Publicidade Topo

notícias

Castramóvel de Irati deve começar a funcionar em breve

Contrato com o Centro Universitário Campo Real foi assinado na semana passada e enviado junto com o projeto do Castramóvel para avaliação do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná (CRMV)/Paulo Henrique Sava
Castramóvel de Irati deve começar a funcionar em breve, segundo o secretário de Defesa Animal, Wagner Beida. Foto: Paulo Henrique Sava

O Castramóvel de Irati deverá começar a funcionar em breve. O contrato com o Centro Universitário Campo Real para operacionalização foi assinado na semana passada e enviado juntamente com o projeto para avaliação do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná (CRMV), o que deve acontecer nos próximos meses. O secretário de Defesa Animal, Wagner Beida, contou que as avaliações são feitas apenas uma vez por mês.

“Agora, só depende do CRMV aprovar esta questão do projeto, só que eles analisam uma vez por mês. O CRMV aprovando, já começamos no outro dia. Esta aprovação pode acontecer daqui a 10 dias, mas vai depender deles, porque às vezes eles pedem para mudar alguma coisinha e temos que reenviar o projeto. Eu acredito que o projeto está bem completo e não teremos problema nenhum”, pontuou.

A unidade foi adquirida pelo município em 2019, a um custo de R$ 103 mil, valor pago com recursos destinados pelo Governo Federal. Entretanto, segundo Wagner, na época o CRMV estava exigindo a instalação de muitos equipamentos e materiais, que custariam em torno de R$ 80 mil a mais para o funcionamento. Na época, o município não tinha recursos para isto e nem para custear a mão-de-obra.

“O valor era muito alto, na época o município achou inviável fazer estas castrações por conta do custo, não tinha esta verba toda para estruturar o Castramóvel, e a mão de obra era muito cara. Não era viável fazer funcionar antes, por isto ele ficou parado. Agora, o CRMV tirou a exigência de alguns equipamentos, então o custo já ficou mais baixo e hoje já compensa fazer funcionar”, comentou.

O Centro Universitário Campo Real irá ceder professores e estudantes do 5º ano do curso de Medicina Veterinária para auxiliar nas castrações, o que deixará os custos das cirurgias bem mais baixos para o município. “O custo da castração vai ficar bem mais baixo. Hoje, vai compensar, e esta parceria facilitou bastante”, frisou.

Hoje, cerca de R$ 30 mil reais seriam suficientes para equipar o Castramóvel com todos os materiais exigidos pelo CRMV. De acordo com o projeto, a unidade irá funcionar uma vez por semana e deverá permanecer por aproximadamente um mês em cada bairro de Irati, fazendo uma média de 50 castrações mensais. As datas serão definidas de acordo com a disponibilidade dos profissionais e dos estudantes da Campo Real. Wagner ressaltou que a parceria com o Centro Universitário é muito valiosa.

“Como virão professores e alunos, e eles estarão interagindo, poderemos fazer outros trabalhos junto com os alunos no bairro. Estávamos discutindo com o pessoal da Campo Real sobre outras ações, como a distribuição de panfletos, indicando a importância da castração e das vacinas, alguns trabalhos com os alunos nos bairros”, frisou.

Caso a parceria com o Centro Universitário não fosse concretizada, seria inviável para o município colocar o Castramóvel para funcionar, segundo Wagner. “Eu acho que não teria como, pela questão do custo, que seria muito alto. Teríamos que contratar dois veterinários para ficar dentro do Castramóvel junto com três auxiliares. O custo iria se elevar muito, mas com a parceria da faculdade, o valor será bem baixo”, pontuou.

Critérios - Os critérios para inscrição das famílias participantes serão divulgados após a aprovação do projeto pelo CRMV. Um dos requisitos, segundo Wagner, será o registro das famílias no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal para programas sociais. Além disso, cada uma delas não poderá ter renda maior que dois salários mínimos.

Licitação anterior - Havia uma previsão de que o Castramóvel começasse a funcionar em maio. Na oportunidade, uma empresa de Foz do Iguaçu venceu a licitação para operar a unidade. Entretanto, o processo foi cancelado. Wagner explicou os motivos do cancelamento. “A própria empresa decidiu que era melhor cancelar esta licitação por questão de valores, que não compensaria para eles vir e voltar. Eles teriam que manter um veterinário aqui para fazer o pós-operatório, então, acharam melhor cancelar mesmo”, pontuou.


Prefeito Jorge Derbli (PSDB) ao lado do Castramóvel de Irati. Foto: SECOM

Serviços veterinários de emergência - Recentemente, em contato com nossa reportagem, Wagner anunciou que o município abriu licitação para contratação de serviços veterinários de emergência, em casos de atropelamentos, animais feridos, entre outras situações. No entanto, ainda não há previsão orçamentária para estes trabalhos. Segundo Wagner, a princípio serão atendidos animais de rua, com atendimentos custeados pelo município.

“Vai ser, a princípio, para animais de rua que foram atropelados, atendimentos básicos mais simples, uma consulta, uma sutura ou cirurgia de emergência mais simples. O município vai arcar com estas despesas. Muitas vezes o cachorro está debilitado e uma pessoa se compromete a cuidar deste animal, aí sim entraremos na solicitação deste serviço”, frisou.

Todas as clínicas veterinárias de Irati poderão se cadastrar para participar do projeto. “As clínicas que estiverem interessadas em fazer este tipo de serviço para o município poderão ir até a Prefeitura para se credenciar”, pontuou.

Os critérios para as famílias participarem deste projeto são os mesmos do Castramóvel, ou seja, elas devem estar cadastradas no CadÚnico e cada uma não pode ter renda superior a dois salários mínimos.

CastraPet Paraná - Irati também está participando do programa CastraPet Paraná, elaborado pelo Governo do Estado, que deverá realizar cerca de 217 castrações. Uma das exigências para que o município pudesse participar do programa foi a distribuição de cartilhas nas escolas com orientações sobre o cuidado com os animais e como evitar o abandono e os maus tratos. O material foi entregue a alunos com idades entre 4 e 12 anos. Faltam apenas alguns detalhes para que o município inicie as inscrições das famílias interessadas.

“Já está tudo encaminhado, mas estamos esperando uma data agora para finalizarmos as inscrições, as quais não estamos fazendo ainda porque precisa vir um formulário de inscrição do Estado para seguir conforme as exigências. Estamos aguardando a data para definir o dia em que virá o CastraPet Paraná”, frisou.

Uma equipe da empresa licitada pelo Governo do Paraná deverá executar os serviços de castração em dois dias. Serão montados quatro centros cirúrgicos para isto. Os critérios para inscrição dos participantes ainda não foram definidos. Entretanto, Wagner acredita que as vagas serão distribuídas entre a ONG Amigo Bicho, protetores independentes e a sociedade em geral.

Mais informações sobre os programas podem ser obtidas na Secretaria de Defesa Animal, pelo telefone (42) 3132-6270. A Secretaria está funcionando na Avenida Vicente Machado, 455, no antigo prédio da Agência do Trabalhador, junto às secretarias de Agricultura e de Ecologia e Meio Ambiente.