Publicidade Topo

notícias

Vereadores mirins são empossados em Irati

Projeto conta com a participação de dez vereadores mirins eleitos e dez suplentes que participarão de quatro sessões até dezembro/Texto: Karin Franco, com reportagem de Jussara Harmuch, Juarez Oliveira e Rodrigo Zub

Prefeito Jorge Derbli e o presidente da Câmara Municipal, Hélio de Mello, ao lado dos vereadores mirins Matheus Maneira e Alexandro Kanarski da Escola Municipal Olavo Anselmo Santini. Foto: Assessoria da Câmara de Irati

Na manhã de quarta-feira (07) aconteceu a solenidade de posse dos vereadores mirins na Câmara de Irati. Dez alunos de escolas municipais foram empossados como vereadores mirins, com seus respectivos suplentes. A solenidade fez parte da programação de aniversário de Irati.

O projeto da Câmara Mirim acontece desde 2012 e tem o objetivo de levar a experiência do Legislativo Municipal às escolas do município. No projeto, os alunos podem propor ideias, discutir assuntos de seus interesses e também aprender as funções de um vereador.

O prefeito Jorge Derbli, que acompanhou a sessão de posse dos vereadores mirins, ressaltou que o projeto visa estimular a participação e envolvimento das crianças na política. “Projeto muito importante para nós, desenvolver já nas crianças a cidadania para a questão política da nossa cidade”, disse Derbli.

A estudante Emanuelly Ribeiro da Cruz, da escola Rural Municipal Esperança Carignano Chuilki, que foi eleita presidente da Câmara Mirim, disse que o projeto visa contribuir na formação das crianças. “[...]Contribuindo assim para a nossa formação como cidadãos. Conscientes de seus direitos e deveres capazes de compreender, inovar e transformar a realidade do local onde vivemos.”, disse Emanuelly.


Em entrevista à Najuá, o presidente da Câmara de Irati, Hélio de Mello, explicou que a Secretaria Municipal de Educação inscreve as escolas que querem participar do programa. “O município de Irati é composto por 29 escolas municipais. A Câmara Municipal de Irati é composta por dez vereadores. O processo já inicia no ato da inscrição. Ele só acontece porque é uma lei feita pela Câmara Municipal, é a Lei nº 3.481/2012. Em parceria com a secretaria Municipal de Educação, onde a secretaria Municipal de Educação faz a inscrição das escolas que desejam participar desse projeto, desse programa, este ano”, conta.

Como a Câmara Municipal possui dez vereadores, apenas dez escolas são escolhidas para participar do programa a cada ano. A secretaria Municipal de Educação encaminha o nome das dez escolas para os vereadores, que visitam as instituições para estimular a participação dos alunos.

Participam do programa alunos que estão no 5º ano do Ensino Fundamental, entre dez e 11 anos. “Cada escola faz o cadastramento dos alunos que têm interesse em disputar a eleição, na sua escola, como é feito o processo na escolha dos candidatos”, disse o presidente. A escolha dos vereadores mirins é feita em uma eleição, onde alunos, professores e funcionários decidem qual será o representante de sua escola.

Neste ano, o Cartório Eleitoral disponibilizou as antigas urnas de voto impresso para que os alunos realizassem a votação. As urnas eletrônicas não foram disponibilizadas por causa da eleição que ocorre este ano.

A campanha dos alunos que participaram da eleição nas escolas contou com a confecção de santinhos e campanha nas redes sociais. “Houve a impressão de santinho, como chamamos, eles mesmos criaram. Foi utilizado a própria rede social, os números do WhatsApp, os contatos que eles tinham, os grupos que eles tinham. Diariamente estavam conversando com as pessoas. Eu posso falar disso porque na escola onde atuo como professor [na comunidade do Rio do Couro], pela primeira vez, primeiro ano, a nossa escola participará desse momento em Irati. Víamos o quanto que eles se dedicavam, o quantos que eles iam atrás e a participação da família, participação dos pais, que é um dos principais objetivos da Câmara Mirim em Irati, aproximar a família do poder público”, conta Hélio.

As eleições nas escolas aconteceram no dia 21 de junho e os eleitos tomaram posse na quarta-feira. Para o presidente da Câmara, o projeto traz a democracia para as escolas. “Prevalece a democracia, prevalece a oportunidade e faz com que as nossas crianças participem. Faz com que as famílias façam parte do processo, vemos o envolvimento”, destaca.

Os vereadores mirins e seus suplentes participam de sessões na Câmara de Irati onde propõem indicações de ações que podem ser feitas no município. “Depois que o mirim, na sessão apresenta essas indicações, é feito um ofício e encaminhado para o presidente da Câmara que numa data marcada, com o prefeito, os meninos participam da entrega dessas indicações, onde cada um pode defender a sua ideia, pode defender o seu pensamento, para que possa conseguir êxito na melhoria, naquilo que ele almeja”, explica.

A construção de uma escola no bairro Vila Nova é um dos exemplos de indicações de alunos mirins que virou uma ação efetiva no município. “A escola da Vila Nova é um grande empreendimento municipal, uma necessidade muito grande para aquele bairro e que havíamos conseguido recurso para o nosso município para a construção de uma escola. Porém, tinha um terreno cadastrado, mas o terreno era um terreno que o município ia perder, que não estava pago. O terreno, na época, a família já estava dividindo em lotes para ser vendido”, conta Hélio de Mello.

A Câmara e a administração municipal se articularam e conseguiram adquirir o terreno. “Sabendo disso e preocupado com isso, juntamente com a professora Silvana [Rezpka], lá da Escola da Vila Nova, corremos atrás. Na época, o vereador mirim Lucas Guilherme, juntamente com a Câmara Mirim, a Câmara Municipal, empreendemos esforços e conseguimos realizar uma economia no Legislativo Municipal de R$ 360 mil na época, onde em conversa com o senhor prefeito e com a família dos herdeiros do proprietário do terreno, conseguimos articular para que dentro da devolução dos recursos da Câmara, o Executivo utilizasse esse recurso para aquisição daquele terreno. Já foi licitada para que a empresa pudesse iniciar as obras que eu acredito que dentro de breve será inaugurado”, disse o presidente.

Os vereadores mirins empossados participarão neste ano de quatro sessões, juntamente com seus suplentes. As sessões devem acontecer até dezembro quando encerra o mandato. Ao final do projeto, os vereadores mirins e suplentes participam de uma viagem até Curitiba, onde visitam a Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) e conhecem como funciona a política estadual.

O projeto neste ano completa dez anos de realização e tem colhido frutos com a participação de jovens nas discussões sociais. Um dos exemplos é o aluno Raul Zanedin que participou em uma das primeiras edições. “O menino que era da escola Rosalina Cordeiro de Araújo, na Vila São João, hoje está lá na escola de [Engenheiro Gutierrez], com o professor Carlinhos e veio se despontando, veio trabalhando. Ele já tem um grande poder de articulação, de conversa, um menino dedicado nas coisas que faz e ele participou de Conferências Municipais relacionadas à questão da Criança e do Adolescente. Dentro dessa conferência, esse menino foi eleito para representar o município dentro do Estado do Paraná. Participou da Conferência estadual e na Conferência Estadual, o Raul foi escolhido, também foi eleito para representar o estado a nível nacional”, conta o presidente da Câmara.

Raul ainda conseguiu ser eleito para ser representante em um evento do Mercosul. “Quando teve a Conferência Nacional, o Raul, da forma como ele é, um menino bem comunicativo, um menino inteligente, estudioso, conseguiu também a vaga e conseguiu ser eleito. Ele representa o Brasil, a nível de Mercosul, em assuntos de Criança e Adolescente. Já esteve há um mês atrás em Brasília, inclusive, participando de reuniões e eventos para propor ações deste tema, deste assunto pertinente a essa situação”, relata Hélio.

Além da realização de indicações e o auxílio na participação dos jovens, o programa também incentiva a participação feminina na política. Um dos resultados é que a participação de vereadoras mirins tem aumentado nas edições. Nesta legislatura, 70% da Câmara Mirim é formada por mulheres. “Hoje há uma provocação bastante grande, dá um trabalho bastante grande, para que haja participação feminina, em todas as ações, principalmente na política local, nacional e estadual. Isso percebemos. Na escola que eu atuo, de uma turma de 14 alunos, 12 foram candidatos, só dois meninos que não foram. Então todos foram candidatos e percebemos essa articulação. Também a boa articulação que a mulher tem, o jeito de falar, o jeito de correr atrás do voto, o jeito de conseguir os seus projetos e a importância que tem a mulher no cenário político, principalmente aqui na nossa comunidade, no nosso município de Irati”, disse.

As escolas do interior de Irati também possuem representantes na Câmara Mirim. O presidente da Câmara destacou que essa representatividade é importante e reflete uma representatividade já existente no legislativo Municipal. “Sempre o Legislativo Municipal teve representação política dentro do legislativo Municipal. Faz com que haja essa provocação da importância da participação, da representação das classes, do povo do interior, do agricultor, do funcionário público, do engenheiro, do empresário, dessas pessoas serem representadas e nesse sentido a provocação é importante para que haja esta participação, haja o desenvolvimento dessa consciência, tanto de participação, quanto que de escolha desses participantes”, conta o vereador.

A Câmara Municipal também distribui nas escolas uma cartilha com a explicação sobre como funciona o legislativo. “Desde o ano 2017, estamos produzindo essa cartilha e ela consta, dentro da cartilha, de forma bem simples, como entender o que faz um vereador, quais são as funções de um vereador. Inclusive, no final da capa, é um trabalho que tem do conteúdo do ensino do 3º ou 4º ano, que os professores tem que trabalhar, consta também o nome dos vereadores municipais hoje da atual legislatura. Ela dá um norte para que os nobres, para que os mirins, para que as famílias percebam, entendam, qual que é a verdadeira função de um legislador, de um vereador, que além de legislar, que é fazer lei, propor lei, votar, também fiscalizar a aplicação de dinheiro público e também, eu penso que uma das principais funções de um vereador é ouvir as pessoas”, explica.

Na solenidade de posse, foram eleitos os integrantes da Mesa Diretora para a realização dos trabalhos na Câmara Mirim. Os próprios vereadores mirins escolheram quem integra a Mesa Diretora. Emanuelly Ribeiro da Cruz, da Escola Rural Municipal Esperança Carignano Chuilki, foi escolhida como presidente. A vice-presidente é Geovana Ferreira de Mello, da Escola Rural Municipal dos Colonizadores, a 1ª secretária, Pâmela Emanuele da Silva, da Escola Municipal Professora Antonina Fillus Panka, e o 2º secretário João Nicolas de Almeida Barbosa, da Escola Municipal Tancredo Martins. Os vereadores mirins eleitos para compor a legislatura de 2022 são:

Vereadores mirins eleitos:

Escola Municipal Olaria Filipaki


Vereadora: Nicole Tereza Padilha;

Suplente: Ronald Vitor de Lima.

Escola Municipal Ana Amaral Gruber

Vereadora: Kamile Pereira Barby;

Suplente: Guilherme Strona da Cruz.

Escola Municipal Tancredo Martins


Vereador: João Nicolas de Almeida Barbosa;

Suplente: Manuela Geovana Gomes de Oliveira.

Escola Municipal Rosalina Cordeiro de Araújo

Vereadora: Maria Vitória de Oliveira Santos;

Suplente: Maria Eloisa Monteiro Pereira da Silva.

Escola Municipal Mercedes Braga

Vereadora: Maria Julia Gonsalves;

Suplente: Rafaelly Eduarda Ferreira Lacerda.

Escola Municipal Plínio Anciutti Pessoa

Vereador: Cristiano Luis Santana;

Suplente: Leandro da Silva do Nascimento.

Escola Municipal Professora Antonina Fillus Panka

Vereadora: Pâmela Emanuele da Silva;

Suplente: Kaio Henrique Purfirio.

Escola Rural Municipal dos Colonizadores

Vereadora: Geovana Ferreira de Mello;

Suplente: Eduardo Primak

Escola Municipal Olavo Anselmo Santini

Vereador: Alexandro Kanarski;

Suplente: Matheus Maneira.

Escola Rural Municipal Esperança Carignano Chuilki

Vereadora: Emanuelly Ribeiro da Cruz;

Suplente: Jamilly Graziele Juk.

Confira mais fotos da posse dos vereadores mirins. Imagens: Assessoria da Câmara Municipal

Guilherme Strona da Cruz e Kamile Pereira Barby vereadores mirins da Escola Municipal Ana Amaral Gruber ao lado do prefeito Jorge Derbli

Eduardo Primak e Geovana Ferreira de Mello, da Escola Rural Municipal dos Colonizadores, receberam o diploma de vereadores mirins do vereador Nego Jacumasso e do prefeito Jorge Derbli

Vereador José Ronaldo Ferreira (Ronaldão) entregou diplomas de vereadoras mirins para Rafaelly Eduarda Ferreira Lacerda e Maria Julia Gonsalves

Nicole Tereza Padilha e Ronald Vitor de Lima representantes da Escola Municipal Olaria Filipaki ao lado da vice-prefeita Ieda Waydzik 


Leandro da Silva do Nascimento e Cristiano Luis Santana, da Escola Municipal Plínio Anciutti Pessoa, ao lado do chefe do Núcleo Regional de Educação, Marcelo Komar

Vereadora Vera Gabardo entregou diploma de vereadores mirins para Maria Vitória de Oliveira Santos e Maria Eloisa Monteiro Pereira da Silva, da Escola Municipal Rosalina Cordeiro de Araújo   


Representante da secretaria Municipal de Educação, Dione Cristina Antunes, entregou diplomas de vereadores mirins para Kaio Henrique Purfirio e Pâmela Emanuele da Silva, da Escola Municipal Professora Antonina Fillus Panka

Vereadores mirins da Escola Municipal Tancredo Martins são João Nicolas de Almeida Barbosa e Manuela Geovana Gomes de Oliveira

Vereador Nei Cabral ao lado dos representantes da Escola Rural Municipal Esperança Carignano Chuilki, Jamilly Graziele Juk e Emanuelly Ribeiro da Cruz

Imagem mostra os dez vereadores mirins e seus suplentes após diplomação

Prefeito Jorge Derbli ao lado das vereadoras mirins da Escola Rural Municipal Esperança Carignano Chuilki, Jamilly Graziele Juk e Emanuelly Ribeiro da Cruz 






Presidente da Câmara Mirim, Emanuelly Ribeiro da Cruz, e o presidente da Câmara Municipal, Hélio de Mello