Publicidade Topo

notícias

Ponto de táxi na rua XV de Novembro recebe reclamações em Irati

Ponto de táxi foi transferido para a quadra abaixo do local onde era, próximo da agência da Caixa Econômica. Secretária de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo diz que o local vai funcionar como uma extensão da Guarda Municipal, no centro da cidade/ Texto de Karin Franco, com reportagem de Jussara Harmuch

Ponto de táxi foi remanejado e ficou em frente de imóvel na rua 15 de Novembro. Foto: Jussara Harmuch

A alteração de local de um ponto de táxi na rua XV de Novembro trouxe questionamentos da população sobre o projeto. O ponto foi retirado das proximidades de uma farmácia e colocado uma quadra abaixo em frente ao prédio da Caixa Econômica Federal.

Jorge Harmuch, que é dono de um estabelecimento em frente ao local onde o ponto de táxi foi remanejado, critica a mudança. “O caso aqui é que a quadra já é uma quadra pequena e de grande circulação por causa de banco e de comércio. Quando eu soube aqui da situação, eu até vim, conversei lá na prefeitura. Não houve resposta. Pedi para fazer [responderem com] um ofício e esse ofício não agradou a ninguém porque não responde o que queríamos saber”, disse Jorge, que procurou a Rádio Najuá para expor a situação.


Segundo ele, outros comerciantes da região também criticaram a instalação do novo ponto no local. Uma das principais críticas é quanto o acesso para descarregar mercadorias. “O fato é que o comércio em si precisa do quê? De acesso. O acesso vem através de carro, moto. Eu digo assim que, de repente, tinha que fazer mais coisas para fazer espaço e ali está tomando uma faixa bem boa da rua que é curta, ao passo que também tem um ponto de táxi bem antigo”, conta, alegando também que já existe outro ponto de táxi na quadra abaixo, nas proximidades da Gutio Loterias. Com isso, ficariam dois pontos em trechos próximos.

No local ao lado de onde estava instalado ponto de ônibus na rua XV de Novembro será construído um novo empreendimento. Foto: Jussara Harmuch

A advogada Maria Lúcia Araújo Nogueira, representante de Jorge Harmuch, conta que já houve uma reunião entre as partes para tentar solucionar a situação. “Nós fomos para uma audiência, com o secretário [ela não citou o nome do secretário que os recebeu em audiência, mas o ofício de resposta, recebido a posterior, foi assinado pela secretaria de Urbanismo]. Ele ficou de dar uma posição para nós. Aguardamos. Eu fiz um requerimento solicitando o projeto, da elaboração do projeto para aquela construção [do ponto de táxi]. Dissemos que o proprietário também está na conclusão de um projeto para [construir] uma galeria ali”, relata.

De acordo com a advogada, a construção do ponto de táxi no local pode dificultar o projeto da galeria. “Esse ponto de táxi está inviabilizando”, conta.

A advogada Maria Lúcia conta que argumentou com a prefeitura o porquê seu cliente não foi previamente consultado a respeito disso. "O que eles disseram? Que não havia nenhum projeto na prefeitura ainda protocolado [para construção da galeria]. Obviamente que ele ainda está concluindo para depois entrar com os trâmites legais. Também a prefeitura respondeu que o comércio terá um ganho financeiro muito bom, porque eles estavam com um projeto bem maior ali nas imediações, coisa de R$ 3 milhões a R$ 4 milhões [ela se refere ao projeto de revitalização do centro de Irati]."

Jorge Harmuch proprietário de estabelecimento em frente ao local onde foi instalado ponto de táxi e sua advogada Maria Lúcia Araújo Nogueira procuraram à reportagem da Najuá para expor a situação. Foto: Jussara Harmuch 
A advogada destaca que os donos dos estabelecimentos teriam que ser consultados antes da mudança. “Na verdade, eu achei inviável eles fazerem, sem consultar a população. Ali é uma guarita. É uma guarita com um banheiro, tem pia, tem tudo. Até eu andei dando uma olhada e hoje quem passar por ali, vai ver um odor insuportável bem na área ali do comércio. Eu acho assim, não tinha ninguém ali, foi remanejado por conta dos bancos. Eu fiquei aproximadamente umas duas horas, não vi ninguém pegar um táxi ali. Outra coisa, o pessoal que vai até a Caixa Econômica é gente bem simples, deve pegar a condução, ônibus. E aquilo ali é praticamente inviável”, conta.

Procurada pela reportagem da Najuá, a secretária de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Jéssica Custódio, não quis gravar entrevista, mas informou que o ponto de táxi em frente à Caixa é provisório, uma vez que o local deverá abrigar, em breve, uma extensão da Guarda Municipal, no centro da cidade. Na manhã de hoje, Jéssica forneceu uma foto do desenho do projeto.

O local também vai funcionar como um posto do Departamento de Trânsito de Irati (IRATRAN). O secretário de Segurança Pública e Patrimônio, Lee Jhefferson Souza, relatou que será feito um estudo para realocação dos pontos de táxi em Irati. Entretanto, ele não soube dar mais detalhes sobre o assunto.
Projeto arquitetônico apresentado à Najuá pela secretária de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Jéssica Custódio, mostra que uma extensão da Guarda Municipal será instalada no local onde hoje foi colocado o ponto de táxi remanejado na rua XV de Novembro. Foto: Divulgação