Publicidade Topo

notícias

Santa Casa de Irati receberá recursos para ala psiquiátrica e aquisição de equipamentos

Investimentos na área da saúde foram anunciados durante visita do ex-secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, que esteve no hospital e na prefeitura de Irati na segunda-feira, 13. Texto: Karin Franco, com reportagem de Rodrigo Zub

Beto Preto esteve no gabinete do prefeito Jorge Derbli. Vice-prefeita Ieda Waydzik, provedor da Santa Casa, Ladislao Obrzut Neto, e o administrador do hospital, Sidnei Barankiewicz, também participaram do encontro com o secretário de Estado da Saúde. Foto: Assessoria
O ex-secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, esteve em Irati na segunda-feira, 13. Na ocasião, ele visitou à Santa Casa e à Prefeitura. No hospital, ele foi recebido pelo provedor Ladislao Obrzut Neto, e na prefeitura, pelo prefeito Jorge Derbli.

Durante a visita, um dos investimentos anunciados foi a disponibilização de recursos para a ala psiquiátrica na Santa Casa de Irati. “O Doutor Ladislau já tinha apresentado, ainda quando eu era secretário de Estado da Saúde, alguns pleitos. Um deles diz respeito à complementação de recursos dos leitos de saúde mental que existem lá na Santa Casa. Isso está sendo elaborado pelo secretário de estado, Doutor César Neves, e dentro de mais algumas semanas isso deve estar resolvido”, conta Beto Preto.

A Santa Casa de Irati deve receber um complemento na diária dos leitos, segundo o ex-secretário. “São 16 leitos. Cada leito tem uma diária e a diária vai ser complementada com os recursos do Estado, assim como os outros hospitais psiquiátricos do Paraná já recebem essa diária desde o mês de dezembro de 2021. Já recebiam num valor menor. Nós ampliamos ainda quando estava secretário de Estado da Saúde no mês de dezembro de 2021. E agora estes outros hospitais, aqueles que são considerados hospitais gerais, e não os hospitais apenas psiquiátricos, também vão passar a receber esses recursos para manter o atendimento funcionando”, disse.


O ex-secretário de Estado da Saúde contou que este era um pedido antigo do provedor. “Ele foi pedir a instalação de leitos psiquiátricos dentro do hospital geral. O que é previsto pelo Ministério da Saúde. Uma luta dele, deu certo e agora esses recursos vão entrar também, não só os de Irati, mas outros também, na complementação de recursos que o Governo do Estado faz aos leitos psiquiátricos. Irati também, a Santa Casa também vai ter direito a esse recurso”, explica.

A Santa Casa de Irati também deve receber recursos para a aquisição de equipamentos. “É um arco cirúrgico, equipamentos para UTI, um reforço de equipamentos para o hospital que faz um importante papel na 4ª Regional de Saúde”, avalia Beto Preto.

De acordo com ele, os equipamentos podem ajudar a ampliar as cirurgias eletivas. “Nesse caso específico de Irati é um arco cirúrgico e também outros equipamentos que vão ajudar, por exemplo, a ampliar cirurgias eletivas, principalmente. Me parece que o hospital já adquiriu o microscópio para neurocirurgia e a direção do hospital está vendo, inclusive, a necessidade de mais alguns equipamentos em auxílio ao microscópio para neurocirurgia”, conta.

Porém, o principal tópico discutido na visita foi o custo para a manutenção do hospital. “Não só durante a pandemia do Covid, mas agora com essa inflação galopante. Nós temos muitos insumos, medicamentos, soro. Aquilo que é utilizado no dia a dia de um hospital está subindo muito. O estado do Paraná não está aguardando o Ministério se manifestar, mas nas próximas semanas o Doutor César, que é o novo secretário de estado, deve já colocar esse assunto de ampliar um pouco a recomposição financeira dos incentivos que são dados para os hospitais que têm maternidade, que tem a porta aberta de urgência e emergência. A Santa Casa de Irati é um deles”, afirma o ex-secretário.

Um dos motivos para esse aumento é o valor dos medicamentos. “Nós temos, por exemplo, medicamentos do kit de intubação custavam, vamos supor, o Rocurônio estava R$ 8 ampola, passou a custar R$ 40 durante o pior momento da pandemia. Voltou para um preço de R$ 15, R$ 16, que é maior do que custava antes da pandemia. Veja você tem situações em que são necessários a utilização do medicamento, mesmo não sendo Covid. Um paciente politraumatizado, com trauma de crânio, que teve um derrame, muitas vezes precisa ficar sedado. Essa medicação custava xis. Hoje custa dois, três xis. Quem está fazendo frente a esses custos são os hospitais”, explica.

Segundo Beto Preto, o Ministério da Saúde deveria cobrir o maior custo de manutenção da saúde pública, mas isso não acontece. Por isso, o Governo do Estado tem feito um complemento de recursos aos hospitais filantrópicos. “Atenção hospitalar no Brasil todo teria que acontecer com os recursos do Ministério da Saúde. A tabela do SUS tinha que ser sustentável. Tinha que atrair o hospital para fazer o procedimento, atrair o corpo médico, todo mundo tinha que estar envolvido. O que acontece, de fato, é que isso não existe. Já desde 2013, o Paraná vem fazendo uma tabela complementar na base dos incentivos financeiros conhecidos por HospSUS. O HospSUS para maternidade tem um valor. O HospSUS para serviços de urgência e emergência, porta-aberta, de pronto socorro, é outro valor. Tem vários incentivos diferentes”, conta.

A expectativa é que esse complemento possa ser aumentado. “Nós estamos estudando, eu já consegui quando era secretário do Estado da Saúde, consegui aumentar o valor dessa suplementação do HospSUS para maternidade, para o atendimento dos hospitais psiquiátricos. Isso nós fizemos um aumento muito grande. Por exemplo, na psiquiatria, nós aumentamos praticamente 80% do valor do que era pago antes. Isso que vai incidir sobre esses leitos do Hospital da Santa Casa de Irati. Agora falta dar um reforço”, disse.

Beto Preto destacou que a complementação que é feita atualmente ainda não é suficiente, por isso a necessidade do aumento. “O dinheiro que está vindo para o Estado ainda está insuficiente. Por isso que o estado do Paraná vai fazer frente, vai aumentar um pouco mais aquilo que ele coloca todo mês nos hospitais de todo o estado. Não apenas especificamente em Irati”, conta.

Com o prefeito de Irati, Jorge Derbli, o principal assunto discutido foi a construção da sede do Consórcio Intermunicipal de Saúde. “Uma das principais obras que vem pela frente ainda neste ano, na área da saúde em Irati, é a construção do Ambulatório Médico de Especialidades, o AME Paraná, que vai ser a nova casa do consórcio de saúde dos municípios da 4ª Regional de Saúde”, explica Beto Preto.

O ex-secretário conta que a obra ajudará a dar mais conforto aos pacientes. “Um prédio novo, um prédio amplo, bem localizado e que tenho certeza que vai dar conforto e comodidade para toda a população dos municípios da 4ª Regional de Saúde, ser atendido nas especialidades médicas. É uma oportunidade de ampliar este atendimento”, disse.

Beto Preto ainda confirmou a intenção de se candidatar na eleição deste ano para o cargo de deputado federal. O ex-secretário pretende levar a discussão sobre a necessidade de maior financiamento da saúde pública. “Lá em Brasília, precisamos falar mais ainda nesse momento das necessidades do Sistema Único de Saúde e por isso que estamos colocando o nome à disposição. Mas claro no momento certo. Ainda é momento de pré-candidatura. Vamos aguardar até a convenção que vai ser em agosto”, conta.

Com o prefeito Jorge Derbli, o ex-secretário de Estado da Saúde, Beto Preto discutiu a construção da sede do Consórcio Intermunicipal de Saúde. Foto: Assessoria