Publicidade Topo

notícias

Homem morre em acidente entre carro e caminhão na PR-364, em Rebouças

Capa de colete com emblema da Polícia Civil de São Paulo foi encontrada no carro conduzido pela vítima, o que indica que ele poderia ser um agente do DEPEN. Porém, nenhum documento foi encontrado para comprovar que ele atuava nesta função

Condutor de Honda Civic ficou preso nas ferragens. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local do acidente. Foto: PRE/Divulhação

Um homem morreu após um acidente na PR-364, em Rebouças, na noite de terça-feira, 7. Milton Batista da Silva, de 49 anos, conduzia um veículo Honda Civic, de São Paulo, que se envolveu em uma colisão frontal contra um caminhão Mercedes Benz L1620, com placas de Curitiba, na localidade de Marmeleiro. O acidente ocorreu por volta das 20h30, no quilômetro 66 da rodovia.

Milton não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O corpo dele ficou preso nas ferragens e foi removido pelas equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Irati. Os bombeiros de São Mateus do Sul também haviam se deslocado para prestar atendimento à ocorrência, mas não conseguiram chegar ao local do acidente, pois havia um caminhão encalhado na estrada rural de Monjolos. Com isso, as equipes de Irati prestaram atendimento. Em seguida, o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de União da Vitória. O motorista do caminhão, de 28 anos, sofreu ferimentos leves. A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) também prestou atendimento no local do acidente.


Segundo informações do Corpo de Bombeiros de Irati, havia uma capa de colete com um emblema da Polícia Civil Penitenciária de São Paulo no veículo de Milton, indicando que ele atuava como agente do Departamento Penitenciário (DEPEN). Porém, não havia nenhum documento que comprovasse que a vítima trabalhava nessa função. “A gente não encontrou uma identificação funcional que comprovasse que ele era [agente] ou não. O corpo foi encaminhado para IML e Criminalística de União da Vitória. O perito compareceu no local. Nós não mexemos no veículo e deixamos aos cuidados da perícia, porque a gente não pode também movimentar a cena do acidente devido ao óbito. O perito de União da Vitória que fez o levantamento. Não sei se na sequência eles encontraram algum documento, mas não conseguimos confirmar a identificação dele”, disse o 1º Tenente do Corpo de Bombeiros, Marcelo Aleixo Cordeiro, que conversou com a nossa reportagem.

Conforme informações do SAMU, Milton morava em São Paulo e se deslocava para São Mateus do Sul no momento do acidente.