Publicidade Topo

notícias

Pré-candidato a deputado estadual, Xoxolo diz que “Irati merece mais”

Ex-secretário de esportes e ex-vereador, Antônio Celso de Souza afirma que região precisa de maior representatividade política junto à Assembleia Legislativa/Paulo Henrique Sava
Antônio Celso de Souza, o Xoxolo, pré-candidato a deputado estadual pelo Progressistas. Foto: Paulo Henrique Sava

O ex-vereador e ex-secretário de esportes de Irati, Antônio Celso de Souza, o Xoxolo, anunciou sua pré-candidatura a deputado estadual pelo Progressistas (antigo PP). Em entrevista à Najuá, ele ressaltou que a região precisa de uma representatividade maior junto à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP).

“Não é que a representação que temos hoje não esteja acontecendo, mas pode ser melhor. Irati merece mais, a região merece mais. Este é meu objetivo, representar bem a nossa região. Se o nosso município se unir, consegue levar um número bom de votos para um candidato. Temos pouco mais de 40 mil eleitores, e se todo mundo se unir, consegue fazer uma boa campanha para um deputado e Irati conseguirá se desenvolver mais”, frisou.

Xoxolo foi convidado a ser pré-candidato pela executiva do Progressistas, através dos deputados federais Evandro Rogério Roman e Ricardo Barros. Ele espera contar com o apoio de lideranças regionais para uma eventual candidatura. “Nós já estamos conversando sobre esta viabilidade de apoio. É lógico que tem representantes de Irati que já têm uma conversa, mas acredito que é a comunidade que precisa de trabalho, de luta, precisamos renovar alguns conceitos nas questões de educação e saúde e outros projetos nas áreas de Assistência Social, Esporte e Cultura, e isto virá ao longo do tempo”, comentou.

Entretanto, Xoxolo reclamou que os deputados enviam boa parte dos recursos prometidos em campanha para as suas bases eleitorais. Com isto, sobra pouca verba para ser investida na região. “Eu vejo que a representatividade dos deputados se concentra nos grandes centros, e você pode observar que os grandes municípios, como Ponta Grossa, Guarapuava, União da Vitória, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu têm infraestrutura. Lá, eles recebem turistas o ano inteiro, empresários do Brasil e do mundo, e em Irati eles não chegam. Esta representatividade tem que fazer com que o Governo olhe a região, e quem vai fazer isto é um representante que tenha voto de apoio com o Governo na ALEP. Os nossos representantes têm outros municípios maiores, para os quais eles canalizam R$ 30 milhões a R$ 40 milhões por ano, e em Irati chegam R$ 500 mil, R$ 800 mil, esta é a verdade. Por isto, os outros municípios grandes se desenvolvem mais e nós ficamos com a migalha e ficamos ‘felizes’”, lamentou.

Para ele, uma representatividade maior da região poderia trazer mais recursos para os municípios da AMCESPAR. “Com certeza, se você pegar a região da AMCESPAR e mais a AMSULPAR, daria em torno de 20 municípios. Se eles fizessem um deputado da região, cada município estaria com um desenvolvimento bem grande, com recursos, trabalhos das secretarias e participação ativa dos secretários de estado na região, porque a regional teria um deputado, e eles precisam de apoio na Assembleia. Automaticamente, eles precisam trazer o desenvolvimento para Irati e região, e é por isto que estamos para trás”, pontuou.


Xoxolo atuou por 12 anos na Secretaria de Esportes, sendo diretor entre os anos de 2001 e 2004 e entre 2009 e 2012, e secretário entre 2017 e 2020, durante o primeiro mandato de Jorge Derbli (PSDB). Ele também foi vereador na legislatura 2013-2016, durante a gestão de Odilon Burgath (PDT). “Tive o maior prazer de representar na Câmara Municipal, trabalhei muito para que conseguíssemos recursos estaduais e federais. Passamos por momentos difíceis, de enchentes (em 2014) e alagamentos. Eu fiquei dois anos trabalhando em cima disso e conseguimos trazer recursos para ajudar Irati, porque as pessoas não perdem só bens materiais: tem a questão psicológica, que fica abalada. Eu acredito que fiz a minha parte como vereador e secretário. Pegamos um período de pandemia, que acabou atrapalhando a sequência do nosso trabalho, porque você fica durante um ou dois anos projetando para colher os frutos na frente. Com a pandemia, tivemos que recuar, e agora está voltando ao normal. Fiz o que pude para ajudar, e estaremos lutando para melhorar Irati e região”, pontuou.

Xoxolo chegou a ser convidado para participar das eleições municipais de 2020 como candidato a vereador, mas ele decidiu não aceitar o convite, alegando que já havia cumprido seu papel na Câmara. Agora, ele resolveu aceitar a pré-candidatura a deputado estadual.

“Eu acredito que todo candidato, tanto a prefeito, a deputado, tem que começar como vereador. Tem gente que quer pular etapas, mas a Câmara ensina bastante o parlamentar. Eu tinha esta vontade, consegui minha eleição em 2012, bastante pujante com os amigos e a família, que são o principal e a base. Agora, depois de passar também pelo Executivo, eu tenho experiência nos dois lados, o Legislativo e o Executivo, e sei que um depende do outro. Agora, nesta pré-campanha, vamos buscar viabilizar uma candidatura a deputado estadual, porque Irati e a região merecem”, destacou.

O esporte será uma das bandeiras de Xoxolo, caso sua candidatura seja concretizada. “O esporte está no sangue e eu não tenho como abandoná-lo, até porque eu acredito que o esporte é o objetivo de toda a estrutura de governo. Além de ele ensinar, ele ajuda a desenvolver o crescimento das crianças, e isto é importante”, comentou.

Xoxolo ressaltou que o desenvolvimento regional precisa ser revisto por parte do Governo do Estado. “Ele está muito concentrado na capital e na região metropolitana e outras regionais que têm um polo de desenvolvimento muito grande e muita gente sai daqui para procurar emprego lá. Nós temos que fazer o contrário: temos que trazer o desenvolvimento para cá, para que as pessoas fiquem na região, trabalhando aqui, e eu acho que o Governo tem que olhar com carinho para o interior do estado”, pontuou.

Para atrair empresas e cursos profissionalizantes, o município deve oferecer uma infraestrutura melhor, de acordo com Xoxolo. “Eu já participei de reuniões há tempos atrás com uma pessoa que tinha uma visão de futuro e falava que a nossa região da AMCESPAR precisava de um miniaeroporto (se referindo a uma reunião realizada em 2010 na casa do ex-prefeito Sérgio Stoklos). Muita gente acha que não precisa, mas temos que voltar a discutir esta questão. Se queremos nossa região forte e pujante, precisamos de um miniaeroporto para pequenas aeronaves, para poder desenvolver a região e de outros setores tecnológicos que estão desenvolvendo o Brasil e o mundo inteiro”, comentou.