Publicidade Topo

notícias

Derbli diz que não há possibilidade de pleitear recursos para pavimentar toda a estrada de Itapará em uma única vez

Prefeito ressaltou que, a exemplo da estrada do Pinho, pavimentação entre Gonçalves Júnior e Itapará será feita por etapas/Paulo Henrique Sava
Em entrevista à Najuá, prefeito Jorge Derbli disse que não há possibilidade de pleitear recursos para pavimentar toda a estrada de Itapará de uma só vez. Foto: Arquivo Najuá

Em visita a Irati na última semana, o deputado federal Evandro Rogério Roman (Progressistas) anunciou o envio de recursos na ordem de R$ 4,5 milhões para o início das obras de pavimentação da estrada que liga Gonçalves Júnior a Itapará. Com uma contrapartida da Prefeitura de Irati de aproximadamente R$ 500 mil, a primeira etapa terá cerca de 5 km da estrada pavimentados. A ideia é que os trabalhos sejam feitos por etapas, assim como vem acontecendo na pavimentação da estrada do Pinho.

O prefeito Jorge Derbli (PSDB) acredita que, até as eleições presenciais de outubro, todo o valor de R$ 4,5 milhões estará liberado para que o processo de licitação da obra seja iniciado. Derbli ressalta que não há possibilidade de pleitear um valor para pavimentar 30km de estrada de uma só vez. “De Gonçalves Júnior até Itapará são mais de 30km, então não adianta eu reivindicar 30 km de pavimentação, pois sei que é impossível conseguir um valor tão alto desta maneira. Mas, como fizemos no Pinho em 4 etapas, queremos também ali fazer 5 km, depois mais 5km até o Rio do Couro, depois até o Cerro da Ponte Alta, Cadeadinho e assim por diante”, frisou.

Pavimentação da estrada do Pinho - Sobre a pavimentação da estrada do Pinho de Baixo, Derbli acredita que a 4ª e última fase deve ser concluída em até 90 dias. “O tempo atrapalha um pouco, mas a obra está em andamento e eu acredito que em 90 dias, nós concluiremos a 4ª fase, fechando a “ferradura” da pavimentação do Pinho de Baixo”, comentou.

Outras estradas - O prefeito também levou o deputado para visitar outras estradas, como a que liga as comunidades de Caratuva II e Pinho de cima. “O Roman foi categórico ao dizer que vamos terminar uma (estrada) bem-feita, uma obra com qualidade, e vamos pensar no seguimento para atender as outras comunidades, como Caratuva II e Pinho de Cima”, destacou Derbli.

O município recebeu recursos na ordem de R$ 5 milhões para a conclusão da 4ª etapa da pavimentação da estrada do Pinho e para a pavimentação da estrada que liga a rodovia PR 364 à fábrica de rações da família Thoms, em Governador Ribas.

“É uma empresa que gera muito emprego aqui em Irati, são 700 metros de pavimentação. Com o saldo destes últimos R$ 5 milhões que o deputado Roman conseguiu para a gente, estamos fazendo mais 2km de pavimentação no Pirapó. Já fizemos 1,2 km com recursos próprios, conseguimos com o deputado Haroldo Martins mais R$ 500 mil e agora mais R$ 2 milhões vão ser investidos pelo Roman. Começamos do Pirapó no sentido à estrada que liga a Inácio Martins, para tentarmos fechar os 7 km ainda neste ano, conseguir mais um recurso e fechar a pavimentação da rodovia até a comunidade do Pirapó”, destacou.


Cachoeira do Pinho - Já sobre o processo de doação do terreno onde está a Cachoeira do Pinho por parte da União ao município, Derbli ressaltou que isto não poderá ocorrer neste ano por conta das eleições para presidente em outubro. “Tudo já tramitou em Brasília, só depende de passar este período eleitoral para que este terreno passe para o domínio do município. Já temos garantido um recurso com o deputado Roman um recurso em torno de R$ 2 milhões a R$ 2,5 milhões para fazer uma ciclovia que sai da BR 277, no mesmo seguimento do asfalto do Pinho, até a cachoeira, que será um ponto turístico de muita visitação após o desmembramento desta questão eleitoral”, comentou.

Em entrevista recente à Najuá, Roman ressaltou que a Eletrobrás e a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) já deram sinal positivo para a continuidade do processo. Entretanto, a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU) somente deve repassar o imóvel para Irati em 2023, visto que, neste ano, a legislação eleitoral não permite qualquer tipo de doação por parte do Governo Federal aos estados e municípios.

"Existe uma situação: em ano eleitoral, não é possível você conseguir transferir da União para o município uma área que mede em torno de 160 a 470 mil m², que é a antiga hidrelétrica do Caratuva ou de Irati, e que hoje vai se tornar patrimônio do município. Para que nós possamos colocar recursos, este terreno terá que estar diretamente nas mãos do município. Quando passar o período eleitoral, esta área vem para o município e ali estaremos aportando em torno de R$ 2,5 milhões a R$ 3 milhões para que esta obra fique completa, em se tratando da localidade de Pinho de Baixo”, frisou o deputado.