Publicidade Topo

notícias

“Não tem plano B”, diz Guto Silva sobre pré-candidatura ao Senado

Em entrevista à Najuá, deputado estadual, Guto Silva (PP), destacou que manterá a sua pré-candidatura ao Senado e não vai disputar vaga na ALEP ou na Câmara Federal/Karin Franco, com reportagem de Rodrigo Zub

Guto reassumiu mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Paraná em janeiro deste ano. Foto: Assessoria

O ex-secretário da Casa Civil do Governo Ratinho Junior (PSD) e deputado estadual, Guto Silva (PP), afirmou em entrevista à Rádio Najuá que seguirá com os planos de uma pré-candidatura ao Senado. “Eu estou muito focado nessa pré-candidatura ao Senado. Já disse aos deputados estaduais que não disputarei a eleição para deputado estadual. Já comuniquei aos deputados federais que não teria uma eleição também muito tranquila para deputado federal, em função da atividade na Casa Civil, mas eu fiz essa escolha de poder disputar uma vaga ao Senado Federal e não tem plano B, não tem outra alternativa”, afirmou.

O Paraná possui apenas uma vaga em disputa para o Senado, que hoje é ocupada pelo senador Álvaro Dias (Podemos). À CBN de Curitiba, o atual senador disse nessa semana que não irá disputar o governo do Paraná, desde que Ratinho Junior apoie sua reeleição ao Senado. Para Guto Silva, a pressão exercida pelo senador ao governador não deve fazê-lo desistir da candidatura. “Eu respeito muito a posição do senador Álvaro Dias, tem uma trajetória bonita na política. Eu não faço política para desmerecer ninguém. É uma vaga que disputamos agora, mas eu estou pronto e preparado para trazer um ar diferente assinado, um comportamento diferente e não sei se será enfrentamento com o senador Álvaro Dias, com outras candidaturas, mas eu estou pronto para levar essa energia do paranaense ao Senado”, destacou.


Sobre a disputa de apoio do governador às candidaturas, o deputado estadual disse que isso é parte do processo. “As costuras políticas agora estão muito agitadas. Eu entendo que o governador Ratinho Junior tem uma eleição muito boa pela frente, uma grande avaliação e é natural que todos querem o apoio do governo do Ratinho nesse processo. Essa construção partidária vai refletir muito ainda o cenário nacional e estou fazendo a minha parte, trabalhando, me movimentando, conversando muito com a população. Mais importante ouvindo, entender quais são os pontos estratégicos que precisamos defender e, naturalmente, com o objetivo de poder melhorar a vida das pessoas”, disse.

Guto Silva explica que a escolha pelo Senado se deu porque quer colaborar com o estado. “Eu encerrei meu ciclo como deputado com dois mandatos, agora à frente da Casa Civil do governo Ratinho Junior, com muito orgulho pude ajudar, dar minha contribuição ao estado que a gente ama e ao governo que eu acredito, que é o Governo do Ratinho Junior. Nessas andanças, percebíamos essa situação, esse diagnóstico da população, das lideranças como forma geral, da falta de presença mais firme do Senado”, conta.

O deputado destaca que quer ser uma alternativa para o estado. “Estou com 45 anos. Acho que estou jovem. O Senado é bom lembrar que são oito anos, é um mandato de oito anos. E é preciso representar essa energia do Paraná, esse agronegócio que nos dá orgulho, que produz muito. O comércio e serviço que emprega muita gente, o pessoal está com a porta aberta, com toda dificuldade enfrentada na pandemia. A indústria competitiva”, disse.

A possibilidade de uma pré-candidatura ao Senado também foi uma das razões da sua mudança de partido. Guto saiu do Partido Social Democrático (PSD), partido do governador, para o Partido Progressista (PP). “Justamente porque estava espremida a questão partidária. Nosso governador é do PSD, o próprio vice, Darci Piana, também é do PSD, e para poder iniciar essa jornada de uma pré-candidatura ao Senado Federal teria dificuldade de legenda partidária porque nós sabemos agora que terá toda a negociação, os palanques eleitorais. Foi uma decisão construída com o governador, uma alternativa para que eu pudesse me viabilizar nessa candidatura ao Senado e esse ingresso ao Partido Progressista justamente para poder iniciar essa caminhada”, conta.

Para poder concorrer, o deputado deixou a Casa Civil no início do ano. Guto Silva avalia que sua passagem pela pasta trouxe bons resultados. “Nós temos uma reforma administrativa, reduzindo de 28 para 15 secretarias, enxugamento da máquina pública, fusão de empresas. Isso tudo para que a estrutura do estado pudesse estar mais ágil, mais rápida e, sobretudo, mais econômico. E essa economia poder realizar investimentos nos municípios, gerando emprego, melhorando a vida das pessoas”, disse.

O deputado ainda destacou o desafio da pasta diante da pandemia. “Esses três anos foram difíceis porque no meio do caminho, a pandemia nos obrigou a reorganizar todo o planejamento para que não faltasse atendimento à população, para que os hospitais pudessem estar abertos, os leitos e atendimento à população de qualidade pudessem ser realizados. Não dá para afirmar que teve sucesso na pandemia porque todo mundo sofreu demais. Se perdeu familiares, amigos, as crianças que deixaram de ir para escola, mas quando comparamos o Paraná com outras regiões, com outros estados, o Paraná caminha bem, batendo recorde em empregos formais nesse último ano, caminhando firme, com a pandemia controlada, com a força de trabalho da nossa população”, explica.

Na sua atuação como deputado estadual, Guto Silva esteve nessa semana em Brasília onde acompanhou o cronograma de investimentos em aeroportos no estado.

Quatro aeroportos foram privatizados no paraná: o Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba; o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais; o Aeroporto de Londrina e o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas. As empresas ganhadoras das licitações de concessão de uso tiveram que apresentar um cronograma de obras e investimentos que serão feitos nos locais. “Na segunda estive na Secretaria de Aviação Civil para poder acompanhar esse cronograma e agora já nos próximos meses, nós vamos ter investimentos pesados das empresas ganhadoras, pois esse era o contrato que vão explorar os aeroportos do Paraná, mas, naturalmente, com toda regulação, com toda acompanhamento do serviço, mas com os investimentos já previsto para início. Isso garante, de forma estratégica, o desenvolvimento para o estado”, explica.

Entre os investimentos estão melhorias na pista, equipamentos para segurança e clima, além de equipamentos que auxiliem na decolagem e aterrisagem.