Publicidade Topo

notícias

Reforma da Capela Mortuária de Engenheiro Gutierrez é concluída

Presidente da Associação de Moradores do bairro diz que entidade vem cuidando da regularização da obra desde 2018/Paulo Henrique Sava
Nova Capela Mortuária de Engenheiro Gutierrez está com estrutura pronta. Foto: Joelma Fedalto

A reforma da Capela Mortuária do bairro Engenheiro Gutierrez foi concluída nos últimos dias. Desde 2018, a atual gestão da Associação de Moradores de Engenheiro Gutierrez (AMEG) vem cuidando da regularização desta obra, segundo a presidente da entidade, Joelma Fedalto. “Confesso que não foi um trabalho fácil. Tivemos ajuda de várias pessoas, engenheiros e desenhistas projetistas que fizeram um trabalho gratuito e nos ajudaram nesta etapa de regularização dos projetos, dos documentos, taxas e autorizações. Hoje, podemos dizer que a capela está regularizada e pode funcionar, dentro das normas legais”, frisou.

Enquanto estava sendo providenciada a regularização da capela junto aos órgãos competentes, foi necessário pensar em adequações e melhorias para que fossem cumpridas as normas técnicas e a legislação. Diante disso, o projeto foi elaborado, apresentado e votado em assembleia geral da AMEG, com a participação de toda a comunidade. Todos os participantes tiveram conhecimento, analisaram e aprovaram o projeto por unanimidade.

Por este motivo, Joelma ressaltou a importância da participação ativa da comunidade nas assembleias da Associação. “É neste momento em que é possível ter conhecimento dos projetos, dos planejamentos, os moradores podem dar opinião, votar e principalmente cooperar. A diretoria e o conselho fiscal não podem aprovar despesas como esta, por exemplo, da reforma, sem consultar e a aprovação dos associados, tem que ser em assembleia geral, conforme prevê o nosso estatuto, e isto tudo nós fizemos”, comentou.

Algumas etapas da reforma ainda precisam ser feitas, como a pintura das paredes e da fachada e do letreiro e a colocação do gradil. “Faremos isto tudo ao longo deste ano, assim que tivermos mais recursos”, pontuou Joelma.


Custeio da obra - A reforma da capela foi custeada com doações em dinheiro das famílias do bairro, que contribuem voluntariamente todos os meses com a Associação. “Ao longo destes anos, a diretoria conseguiu a quantidade necessária para custear este projeto e finalmente deixar esta capela dentro das normas e trazendo conforto ás famílias”, comentou Joelma.

A prestação de contas da reforma será feita em assembleia geral, para a qual a comunidade será convocada a participar. Na oportunidade, também serão apresentadas as etapas que foram concluídas nesta fase da obra.

Iniciada em 2011 depois da proibição do uso do pavilhão da Igreja Cristo Rei para a realização de velórios, a Associação de Moradores resolveu construir a capela. “A comunidade, então, se uniu através da Associação, e, com esforço coletivo, construiu a capela, cuja obra foi finalizada em 2014”, comentou Joelma.

Grupo de WhatsApp - A presidente solicitou que todas as famílias permaneçam no grupo de WhatsApp do bairro. “São nesses grupos que nós informamos todas as coisas que acontecem aqui no bairro, divulgamos eventos, cursos, palestras, campanhas, enfim, é o nosso meio mais efetivo de comunicação. As pessoas são incluídas neste grupo e pedimos que pelo menos um integrante de cada família permaneça nele, porque todos têm o direito de receber as informações”, finalizou.

Antiga Capela Mortuária de Engenheiro Gutierrez. Foto: Joelma Fedalto