Publicidade Topo

notícias

Após um ano, DNIT responde ofício da Câmara de Rio Azul solicitando melhorias na BR-153

Em ofício, órgão federal esclarece que o contrato antigo de manutenção da rodovia não foi concluído e que um novo está vigente desde julho de 2021/Karin Franco, com reportagem de Rodrigo Zub


Local onde está instalado um radar possui buracos e imperfeições na pista da BR-153, em Irati, nas proximidades do trevo da Unicentro. Foto: Rodrigo Zub

Quase um ano após o envio de um ofício, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) respondeu os questionamentos da Câmara de Rio Azul sobre melhorias na BR-153. O trecho da rodovia, que liga Imbituva a Paulo Frontin, tem sido alvo de reclamações de motoristas que criticam a manutenção do local e os buracos existentes na pista. Segundo o órgão federal, já há um contrato de manutenção vigente neste trecho.

O ofício foi apresentado após um requerimento do vereador Felipe Cheremeta (Xera) ter sido aprovado na sessão da Câmara do dia 11 de fevereiro de 2021.

O vereador conta que mora próximo à BR-153, na saída para Mallet, e utiliza um trecho de sete quilômetros para ir até a cidade de Rio Azul. As más condições da pista motivaram os questionamentos para o DNIT. “A rodovia está cada vez pior. O aumento do volume de caminhões, principalmente madeireiros passando aqui com muita carga, tem cada vez mais deteriorando a situação da pista com muito peso. É uma rodovia que não foi projetada para receber esse tipo de peso e quando tem muito tempo de chuva começa aparecer bastante buracos, o que se torna cada vez mais perigosa a circulação de veículos de menor porte. Vemos sempre veículos com pneus estourados, que param por causa de problemas mecânicos. Volta e meia também algum acidente, alguma saída de pista, devido aos condutores ter que desviar desses buracos já que a pista é simples, é um vai e vem não tem acostamento, não tem terceira faixa, então se torna muito perigoso essa rodovia”, conta Felipe.

Ele chama atenção que o local possui um grande fluxo, especialmente porque faz ligação com as BRs 476 e 277, tendo assim, circulação elevada de caminhões e carros. “Muitas pessoas que trabalham em outras cidades, diariamente, trafegam pela rodovia. Tem ônibus, tem vans, tem transporte da saúde, ambulância. É uma rodovia muito perigosa. É uma rodovia muito estreita”, disse.


Há dez anos, foi divulgado que o trecho da BR-153 entre Imbituva e Paulo Frontin seria incluído no Programa Crema 2, de recuperação e manutenção da rodovia ao longo de cinco anos. O cronograma de obras previa a recuperação nos dois primeiros anos e a manutenção do que foi recuperado nos três anos seguintes. A previsão era investir R$ 174 milhões para manutenção da rodovia, conforme dados divulgados na época.

Em resposta aos vereadores de Rio Azul, o DNIT informou que o contrato foi interrompido por restrições orçamentárias. “Devido a restrições orçamentárias sofridas a partir do final do ano de 2014, não teve sua execução total realizada, tendo sido empenhados ao todo R$ 115.009.323,49, que possibilitaram a execução de 53,8% do previsto”, disse o órgão federal em ofício respondido no dia 17 de janeiro de 2022.

O contrato foi encerrado em 2019, segundo o ofício. O contrato do trecho, dentro do Programa CREMA 2, foi executado pela empresa Construtora Centro Minas Ltda (CCM) durante o período de 11 de março de 2014 a 12 de fevereiro de 2019. A empresa foi contratada para realizar de obras de revitalização (recuperação, restauração e manutenção) na rodovia BR-153, entre o km 52,5, em Santo Antônio da Platina, ao km 408, em Paulo Frontin.

Superintendente regional do DNIT no Paraná, José Carlos Beluzzi de Oliveira, encaminhou ofício para a Câmara de Rio Azul respondendo pedido de informações sobre as obras na BR-153. Foto: Divulgação

O DNIT ainda informou que já há um contrato vigente para a manutenção do trecho entre Imbituva e Paulo Frontin. A empresa Differencial Engenharia Ltda é a responsável por realizar a execução dos serviços de manutenção rodoviária (conservação/recuperação) na BR-153. O valor total inicial do contrato é de R$ 14.799.726,63. A ordem de início das obras foi dada em 2 de julho de 2021, quase cinco meses após o pedido de informação feito pelos vereadores. A previsão é que o contrato tenha dois anos de execução. O volume de empenhos alocados para este contrato soma até o momento R$ 5.903.644,30.

Para o vereador Felipe Cheremeta, é preciso fazer um trabalho mais duradouro no trecho para que o problema seja solucionado. “A rodovia precisa de um serviço completo urgente. Faz esse serviço de tapa-buraco, sem alguma máquina, sem nada. Só vê funcionários, pessoas da empresa contratada com carrinho de mão, coloca uma massa asfáltica, espera um caminhão passar em cima para compactar esse material e com os dias acaba saindo. Volta tudo normal, aumentando é o tamanho dos buracos. O que precisa nesse momento é um serviço maior. Um recape talvez, fazer alguma base, algum material que dure mais tempo porque com o tempo, com o movimento, está acabando na situação que está”, conta.

Requerimento apresentado pelo vereador Felipe Cheremeta em fevereiro de 2021 solicitando informações sobre o andamento das obras na BR-153. Foto: Divulgação

Felipe ainda indica a realização de um estudo para que possa melhorar o tráfego na rodovia. “Deveria ser feito um estudo do peso, da quantidade de caminhões, o fluxo que está tendo atualmente. Alguns trechos deveriam ser estudados a possibilidade de colocar a terceira faixa, acostamento e, principalmente, uma sinalização melhor. E sem contar na faixa de domínio, que elas tenham do lado da BR, nas duas pistas, que tem muitas árvores. Então, quando acontece um acidente, alguma coisa, às vezes um veículo pequeno acaba tendo um problema maior, até tendo estragos, levando à morte ou sendo machucadas as pessoas, devido essas árvores que tem durante a margem na pista”, explicou.

Confira mais fotos da situação da BR-153

Imagem de imperfeições na pista no radar da BR-153, em Irati, nas proximidades do trevo da Unicentro. Foto: Rodrigo Zub

Foto: Rodrigo Zub

Foto: Rodrigo Zub

Foto: Rodrigo Zub

Trecho da BR-153, em Rebouças. Foto: Rodrigo Zub

Foto: Rodrigo Zub

Foto: Rodrigo Zub

Imagem da BR-153 na saída de Rio Azul para Mallet, nas proximidades da igreja do Cerro Azul. Foto: Felipe Cheremeta

Imagem da BR-153, em Rio Azul. Foto: Rodrigo Zub

Foto: Rodrigo Zub