Publicidade Topo

notícias

Unicentro adia retorno das aulas presenciais para o dia 31 de janeiro

Início das aulas continua no dia 18, mas de forma on-line. Aulas presenciais iniciam a partir do dia 31 de janeiro, com exigência de comprovação de vacinação/Karin Franco
Reitor em exercício da Unicentro, Ademir Fanfa Ribas, anunciou adiamento do retorno das aulas presenciais para o dia 31 de janeiro. Foto: Reprodução YouTube

A Unicentro anunciou nesta semana o adiamento da volta às aulas presenciais para o dia 31 de janeiro. O início das aulas está mantido para o dia 18, mas as aulas serão feitas de forma remota até o começo das aulas presenciais no dia 31.

A exceção é o curso de Medicina Veterinária que iniciou com aulas presenciais no dia 10 e continuará de modo presencial em janeiro. O curso de Enfermagem também iniciou as aulas no dia 10, mas de forma on-line. Os demais cursos seguirão on-line durante o mês de janeiro, voltando no dia 31.

O adiamento das aulas foi causado pelo aumento de números de casos positivos de Covid-19 na região. Em uma live nesta segunda-feira (10), o reitor em exercício, Ademir Fanfa Ribas, explicou que a universidade quer evitar que o vírus se espalhe. “Mas não poderíamos, e não seriamos irresponsáveis a ponto, de trazer mais de 10 mil pessoas em toda a nossa universidade e que esse vírus, espalhando da forma que está espalhando, nós podemos notar que é muito mais agressivo no contágio, trazer 10 mil pessoas aqui para propagar esse vírus para vários outros lugares”, disse.

A expectativa é que os casos diminuam nas próximas duas semanas. “O que temos de informação é que existe uma expectativa é que talvez esse vírus que veio da África, aconteça a mesma coisa que aconteceu na África. Durante um mês, uma explosão de casos e logo após isso se acalmou. É nesse sentido que temos a esperança que em duas semanas as coisas comecem a diminuir, comecem a normalizar um pouco”, explicou.

Contudo, a decisão pode ser revista. “Se em duas semanas as coisas não melhorarem, nós vamos reavaliar essas questões”, afirmou.

Enquanto isso, o reitor pediu a estudantes, professores e funcionários que mantenham os cuidados como o distanciamento e o uso de máscaras para evitar maior proliferação do vírus. “Vamos esperar um pouco, vamos segurar mais um pouco. Vamos tomar alguns cuidados a mais. Porque se continuarmos da mesma forma que fizemos nesse final de ano com reuniões familiares, festas, baladas, contatos, nós nunca vamos poder voltar à nossa normalidade”, conta.


Passaporte da vacina - Durante a live, a Unicentro também anunciou que exigirá a comprovação de vacina de estudantes, professores e funcionários. “Ao final do ano, todos acompanharam que o STF deu um parecer, daquilo que acreditamos e vamos lutar sempre, para a autonomia da universidade, que a universidade tem autonomia para fazer e tomar as decisões. Por mais que não tenhamos uma lei específica que obrigue a pessoa a se vacinar, mas nós temos condições, enquanto universidade, através da sua autonomia, de pedir para a pessoa que só entre na universidade caso tenha se vacinado. Pensando muito mais no coletivo do que no individual porque a vacina tem salvado muitas vidas, tem salvado muitas pessoas”, explicou.

O reitor em exercício enfatizou que o objetivo é trazer segurança para a universidade. “Nós não queremos que nenhum aluno pare de estudar, muito pelo contrário, o que nós gostaríamos é que você também pudesse se proteger e proteger a todos através da vacinação”, disse.

Os estudantes deverão incluir o comprovante de vacinação no sistema de aulas on-line. “Para os estudantes, vai ter uma disciplina na plataforma Moodle aonde o estudante vai, através do site de saúde, do Ministério da Saúde, ele vai imprimir e vai fazer o upload nessa página do Moodle”, explica.

O sistema ajudará a manter o controle dos estudantes vacinados. “Mas o departamento vai pegar essa disciplina e fazer o controle, junto com os professores de cada turma, para poder ter o comprovante que esse aluno se vacinou”, disse.

A inclusão do comprovante no sistema ajudará a evitar fraudes. “Para nós comprovarmos, ver se não tem nenhum tipo de fraude nesse documento. É muito claro para verificar ali. Hoje eu entrei no ConecteSus, vi as minhas vacinações, é fácil de imprimir. Coloca na plataforma Moodle e as chefias de departamento vão fazer esse controle”, conta.

Os estudantes que não tiverem se vacinado por algum motivo médico, como é o caso de pessoas contaminadas pelo Covid-19, devem justificar a não vacinação. “Caso não tenha tomado a vacina, por uma questão médica, uma questão que impeça de tomar a vacina, você também pode encaminhar, dentro do protocolo on-line da universidade um pedido de exercício domiciliar. Esse pedido é um pedido que existe para qualquer outro tipo de patologia, não necessariamente só para quem tem o Covid. Faz esse pedido, coloca os comprovantes e poderá fazer através do exercício domiciliar”, explica.

Professores e funcionários também deverão apresentar comprovação de vacinação. Neste caso, o comprovante será enviado a um e-mail que será analisado pelo setor de Recursos Humanos e pela Assistência à Saúde da universidade. “Caso não tenha vacina, vamos precisar de um protocolo, que esse protocolo seja encaminhado aos Recursos Humanos, pedindo ou explicando o porquê da não vacina para poder ter os afastamentos legais que é o que existe dentro do nosso estatuto do servidor público”, disse.

O reitor em exercício destacou que quem não se vacinou, precisa se vacinar. “Primeiro, a gente pede que se vacine. É importante. No início poderia ter até algum tipo de desconfiança, mas hoje já temos a comprovação de que a vacina é importante. Vocês não imaginam que com a quantidade de vírus que está rodando as nossas cidades, se não tivesse a vacina, como estaria os nossos hospitais? Então, nosso pedido é que se vacine”, destacou.

Na volta às aulas presenciais, os alunos deverão ser recepcionados com cartilhas com recomendações e cartazes orientando sobre as prevenções que precisam ser feitas.

Recomendações para estudantes de outras cidades - O reitor em exercício ainda recomendou aos alunos de outras cidades que procurem adiantar a sua mudança, para que o tempo de isolamento seja respeitado. “Quem for morar próximo ao seu campus, seja no campus avançado ou campus universitário, tente se programar para chegar um pouco antes. Chegar pelo menos uns cinco dias antes. Hoje que os protocolos de saúde diminuíram a necessidade de isolamento, pela variante Ômicron são cinco dias. Quem sabe, volta [as aulas] dia 31, lá pelo dia 20 já vem para a cidade, seja Guarapuava, Irati, Coronel, Chopinzinho, Pitanga, Prudentópolis, já vai se ambientando, tendo o período de cuidados para não ser transmitido, nem transmitir para alguém”, disse.

A Unicentro também anunciou que deve manter a programação do Vestibular 2022. As inscrições on-line estão abertas até 30 de janeiro e as provas acontecem no dia 13 de março. “O vestibular vai acontecer. Nós temos convicção que as coisas também irão melhorar”, disse o reitor em exercício.