Publicidade Topo

notícias

Samu será inaugurado em Teixeira Soares nesta segunda-feira

A partir de segunda-feira (10), moradores de Teixeira Soares poderão acionar o Samu pelo 192 para casos de urgência e emergência/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava e Juarez Oliveira
Nova base do SAMU de Teixeira Soares será inaugurada nesta segunda-feira, 10. Foto: Reprodução Facebook

Uma nova base do Samu será inaugurada nesta segunda-feira (10), às 10h, em Teixeira Soares. Com isso, os moradores de Teixeira Soares já poderão acionar na próxima semana a ambulância pelo número 192.

A base está instalada em um prédio da prefeitura e funcionará próximo à Secretaria Municipal de Saúde na Rua XV de Novembro, 254. No local, há uma ambulância de atendimento básico com um técnico de enfermagem e um motorista socorrista que atenderão principalmente os municípios de Teixeira Soares e Fernandes Pinheiro. Contudo, dependendo da ocorrência médica, a ambulância poderá atender chamados em outros municípios.

O funcionamento do Samu na região é possível por meio do consórcio CIS/SAMU, formado por mais de 20 municípios, incluindo os abrangidos pela 4ª Regional de Saúde. “Participam todos os municípios que compõem a 4ª Regional. Especificamente no nosso caso, além de sermos somos parceiros dos outros municípios, também somos de Fernandes Pinheiro que acaba sendo nosso irmão”, conta o prefeito de Teixeira Soares, Lula Thomaz.

A parceria possibilita que os municípios repartam os custos e possam usar ambulâncias do Samu de outras cidades. Na região, há bases do Samu com ambulâncias básicas nos municípios de Irati, Imbituva, Rio Azul e Mallet. “A rede está totalmente desenhada e agora nesse momento aplicada, temos a ciência que quem vai ganhar com isso com certeza é a nossa população”, disse o secretário de Saúde, Amauri Kossowski.

O secretário explica que a instalação da base sofreu atrasos por causa de problemas de licitação no consórcio. “Nós pertencemos ao consórcio CIS/SAMU de Ponta Grossa. Houve um atraso na licitação de Ponta Grossa, teve algumas impugnações na Justiça, que é normal nas licitações e isso acabou atrasando esse processo de implantação”, disse.

Mas a partir de segunda-feira (10), o serviço já estará funcionando. No momento em que o paciente ligar para o 192, um atendente irá redirecionar uma ambulância adequada ao melhor atendimento. “Essa ligação vai cair na central, no SIS/SAMU, que é a nossa Central de Regulação em Ponta Grossa. Vai ser atendido num primeiro momento por um atendente e filtrada qual ambulância será utilizada no momento”, explica o secretário.


De acordo com a urgência do chamado, ambulâncias de outros locais podem ser acionadas. “Se eu utilizar um atendimento leve, um atendimento médio de urgência, será utilizado a nossa ambulância com suporte médio, que será o técnico em enfermagem e o motorista. Se na ligação, nos filtros da ligação, for um paciente já com problema com um infarto ou AVC, em qualquer momento esse médico da regulação pode acionar o médico da nossa central em Irati, que é do suporte avançado. E também pode acionar o aeromédico que é também o helicóptero”, conta o secretário.

Além da divisão do uso das ambulâncias, o custo é divido. Para participar da rede do Samu, Teixeira Soares paga um valor de R$ 2,40 por morador e R$ 0,18 por morador para custear o administrativo. Ao todo, são quase R$ 33 mil por mês e quase R$ 400 mil por ano para que o morador de Teixeira Soares possa ser atendido pelo Samu.

O gerenciamento e a contratação de funcionário estão sendo realizada por uma empresa de Ponta Grossa, que ganhou a licitação do consórcio CIS/SAMU.

Mas a manutenção da base em Teixeira Soares é feita pela prefeitura. “Esse custeio é 100% do município. Num momento secundário, depois da instalação e o início da operacionalização dessa ambulância, nós procuramos os órgãos competentes – o Ministério da Saúde e o Estado – para a habilitação do veículo e da base. Habilitando esse serviço, esse valor pode cair até R$ 1,80 per capita [por pessoa], que mesmo assim, fica um valor considerável, mas ele abaixa gradativamente”, disse o secretário.

O município também custeou a reforma do local onde a base está instalada. O local recebeu investimento de R$ 50 mil na adaptação da infraestrutura e R$ 10 mil em imobiliário, com recursos da Prefeitura de Teixeira Soares.

Serão dez profissionais que atenderão na base, sendo que a cada turno de 12 horas, haverá dois profissionais para os atendimentos. “A base vai trabalhar com 10 profissionais sendo: cinco motoristas resgatistas e cinco técnicos de enfermagem”, explica o prefeito.

Mesmo com o Samu, o munícipio ainda manterá o funcionamento da ambulância da prefeitura que continuará a ajudar no transporte de doentes. “Vamos ter ainda no município o serviço de apoio que o nosso serviço municipal não vamos desativar. Então, deixar bem claro que vamos manter o nosso serviço municipal para toda essa adaptação dessa novidade para Teixeira”, conta o secretário.

O secretário destaca que a população deve chamar o Samu para situações mais graves. “O Serviço de Urgência e Emergência é aquele serviço agudo. Aquilo que aconteceu naquele momento. Por exemplo, um fermento de corte contuso, um sangramento, uma dor inespecífica, um desmaio, um acidente de trânsito. Todos esses momentos que tem que ser utilizado por uma viatura, como uma ambulância, deve ser utilizado 192”, disse.

O Samu não deverá atender situações em que há algum ferimento leve. “O Samu não vai fazer, por exemplo, demandas leves porque ele dá prioridade para demandas agudas e as graves. O que é uma demanda grave? Por exemplo, um AVC, um acidente vascular cerebral, uma fratura de fêmur, uma queda, alguma coisa nesse nível”, explica o secretário.