Publicidade Topo

notícias

Incêndio atinge Capela Santa Rita

Fogo destruiu o piso superior que tinha alguns jazigos e um apartamento. Ninguém ficou ferido

Foto: Paulo Sava

Um incêndio de grandes proporções atingiu as instalações da Capela Santa Rita, ao lado do Cemitério Municipal de Irati, na madrugada desta segunda-feira, 20, por volta de 0h40, quando o Corpo de Bombeiros foi acionado. O fogo atingiu toda a parte superior do local, que tinha madeira e forro de PVC na construção. Não havia nenhum espaço para queima de velas, uma vez que, no local, não está liberada a realização de enterros. Ninguém ficou ferido.

A parte de baixo, onde estão as capelas mortuárias, não foi atingida pelas chamas por ser toda de alvenaria. Entretanto, a capela permanecerá isolada para que seja feita uma avaliação da estrutura, que pode apresentar possíveis problemas estruturais causados pelo incêndio, segundo a comandante do Corpo de Bombeiros, a Capitã Carla Adriana Spak Sobol. “A princípio, o local encontra-se isolado devido a algumas situações estruturais que serão avaliados pelo setor de engenharia para a questão da liberação de uso da parte de baixo da capela, onde não houve grandes danos”, relatou. 

Equipes da Polícia Militar (PM) e da Guarda Municipal prestaram auxílio fazendo o isolamento do local. Segundo Spak, ainda não é possível relatar o que teria causado o incêndio. Ela falou sobre a estrutura e o efetivo utilizados pelo Corpo de Bombeiros para combater as chamas. “Foram utilizados quatro caminhões, sendo três do Corpo de Bombeiros de Irati e um de apoio do PBC (Posto de Bombeiros Comunitários) de Rebouças, que também veio para nos auxiliar no combate a este incêndio. Tivemos também um número maior de bombeiros devido à escala extra jornada pela questão dos pedágios, então vieram sete bombeiros de São José dos Pinhais para compor o nosso efetivo neste final de ano”, frisou. 

Quer receber conteúdo local da Najuá? Confira a descrição do grupo

Inicialmente, surgiram boatos de que apenas uma mangueira estaria sendo utilizada para apagar o incêndio. Spak disse que esta informação não procede e explicou que foram feitos três "ataques" ao incêndio, um na parte interna pela frente da capela, outro por dentro do Cemitério Municipal e um terceiro pela lateral do G-Center, para controlar o fogo e evitar que estruturas próximas fossem atingidas pelas chamas. “Eles [bombeiros] fizeram primeiro a proteção na parede do G-Center, porque a caloria estava grande e para evitar algum problema estrutural na parte do supermercado, fizeram um ataque pelo lado do Cemitério Municipal e uma mangueira pela frente do apartamento. Foi uma por dentro da edificação, a outra pela lateral do G-Center e a outra pelo cemitério. Esta informação de ter uma mangueira só não procede”, afirmou. 

A moradora do apartamento, Neusa de Fátima de Souza, ficou bastante abalada com a situação e não quis gravar entrevista. Porém, ela relatou à nossa reportagem que saiu da casa na tarde de domingo, 19, por volta das 15 h, e foi informada por telefone sobre o ocorrido. Ela acabou perdendo tudo o que tinha, móveis, roupas e documentos e estava bastante nervosa. 

Uma equipe do Corpo de Bombeiros voltou ao local na manhã de hoje, 20, para fazer o rescaldo do incêndio. Será feita uma perícia para saber o que poderia ter causado o fogo.

Foto: WhatsApp/Divulgação

Foto: Corpo de Bombeiros

Foto: Corpo de Bombeiros

Foto: Vânia Andrade

Foto: Vânia Andrade

Foto: Paulo Sava

Foto: Paulo Sava

Foto: Paulo Sava

Foto: Paulo Sava

Foto: Paulo Sava