Publicidade Topo

notícias

Secretário de Planejamento defende aprovação de empréstimo de R$ 30 milhões

Em entrevista à Rádio Najuá, o secretário de Planejamento de Irati, João Almeida, defendeu a aprovação do projeto e comentou sobre os planos de investimento em infraestrutura para o município/Texto de Karin Franco/Reportagem Jussara Harmuch

Secretário de Planejamento João Almeida Junior
 
O secretário de Planejamento de Irati, João Almeida Junior, defendeu a aprovação do pedido de empréstimo de R$ 30 milhões para investimento em obras de infraestrutura e na construção de residências do programa “Nossa Casa”, criado pela Prefeitura. O Projeto de Lei nº 051/2021 foi aprovado pela Câmara de Vereadores de Irati no início do mês.

Em entrevista à Rádio Najuá, o secretário destacou a necessidade de pavimentação no município. “O núcleo urbano de Irati tem 366 quilômetros de ruas. E surpreendentemente, 108 quilômetros não tem asfalto. Então, um terço da nossa cidade não tem asfalto”, disse.

João Almeida destaca que mesmo que se use o valor total do empréstimo não será possível asfaltar toda a cidade. “R$ 143.621.762,00 custaria hoje para asfaltar todas as ruas de toda a cidade. Mesmo que um empréstimo de R$ 30 milhões, a gente use exclusivamente para fazer asfalto, a gente vai atingir 20% da necessidade que nós precisamos”, conta.

Apesar de reconhecer que demorará para que a cidade toda esteja asfaltada, o secretário destacou que a pavimentação poderá ajudar o município. “O asfalto, por incrível que pareça, traz economia para o município. Porque deixa de ter a manutenção de cascalhamento, dos caminhões passando, das patrolas, arrumando essas ruas”, avalia João Almeida.

O secretário explica que o investimento em pavimentação e infraestrutura faz parte de um planejamento a longo prazo para conseguir atrair mais empresas à cidade. “Hoje, qualquer indústria necessita de esgoto, telefone, saneamento e internet. Surpreendentemente, a internet do nosso condomínio da BR 277 é muito deficitária. Nós temos que deixar com infraestrutura, para poder vender o nosso município e trazer desenvolvimento e emprego”, conta. 

Mapeamento de ruas sem pavimentação em Irati

Os investimentos nos dois condomínios industriais vão usar outra verba. Nesses casos, foi obtido investimento junto ao Governo do Estado. “Os projetos dos dois condomínios já estão prontos. Hoje custaria em torno de R$ 15 milhões para nós darmos toda a infraestrutura necessária para os dois condomínios industriais. Seja o condomínio da Vila São João, seja o condomínio da BR 277. Nós já conseguimos com o Governo do Estado de R$ 2,6 milhões, mais a contrapartida da prefeitura, vai dar em torno de R$ 3,5 milhões para usarmos no condomínio da Vila São João. E estamos em negociação com o Governo do Estado para conseguirmos os outros R$ 11,5 milhões para fazermos a infraestrutura dos dois condomínios industriais”, disse.

No caso do recurso de R$ 3,5 milhões do condomínio da Vila São João, o processo de licitação está em andamento com ampla concorrência, com abrangência estadual, por causa do valor do projeto. “Nós acreditamos que agora em janeiro, no máximo em fevereiro, já começamos as obras no condomínio da Vila”, conta.

João Almeida conta que a pasta é a responsável pela comunicação com deputados federais e estaduais para que ajudem a conquistar recursos para mais investimentos. “Nós ficamos abertos a todas as demandas que o Ministério abre para livre demanda dos municípios e nós vamos atrás das verbas parlamentares. Nós vamos atrás de todos os deputados do Paraná, nós já entramos em contato com todos os deputados, tanto os federais quanto os estaduais, para destinar emendas para o município de Irati”, relata.

De acordo com o secretário, os recursos federais ou estaduais são mais difíceis de conseguir obter se o município apenas esperar que se tenham projetos. Para ele, é preciso ter uma busca ativa.“Nós vamos normalmente com a demanda nossa primeiro, do que esperar vir do Ministério. Que quando vem do Ministério, o projeto já tem que estar pronto, e eles abrem em torno de 15, 20 dias para o projeto estar pronto”, afirma.

Quer receber notícias locais? Clique aqui

João Almeida ainda destaca que deste modo é preciso que o município tenha uma ajuda para conseguir o recurso, mais especificamente, dos deputados. “Sempre precisa de algum padrinho para alguma obra. Dificilmente você vai chegar com uma demanda nossa no Ministério, que o Ministério libere para nós. É muito pontual alguma coisa assim”, conta.

O secretário também explicou que a pasta tem recebido as indicações dos vereadores que pedem por reformas e pavimentação em ruas. De acordo com ele, as indicações são registradas e cruzadas com as prioridades do município. “Todos os pedidos de vereadores, fazemos uma triagem. Eu tenho a listagem de todos os vereadores, de quais pedidos eles fizeram, qual bairro que fez. Tem vereador que pediu a mesma rua duas vezes. Todos esses pedidos entram na nossa base de dados, cruzamos com as prioridades que o Executivo já identificou”, conta.

João Almeida conta que o município procura identificar o que é urgente. “A gente vai cruzar com a base nossa e ver a necessidade urgente, média, ou se dá para aguardar um pouco mais, conforme a prioridade que temos”, explica.

Mudança de nome

A secretaria de Planejamento irá mudar de nome no próximo ano. “A partir de fevereiro, quando a Câmara voltar, já em janeiro vai um projeto de lei nosso para mudar um pouco a estrutura de algumas secretarias. E a nossa Secretaria de Planejamento vai até alterar o nome dela. Será Secretaria de Inovação, Tecnologia e Planejamento porque temos que pensar em como pensamos em tecnologia embarcada para a cidade e principalmente, inovação”, disse.