Publicidade Topo

notícias

Procon alerta a população sobre golpe da lista telefônica

Golpistas afirmam se tratar de um serviço sem custos adicionais, que já teria sido debitado na conta de telefone/Lenon Diego Gauron, com reportagem de Paulo Sava

Técnico do Procon de Irati, Guilherme Filus. Foto: Paulo Henrique Sava

A Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) alerta a população sobre o "golpe da lista telefônica" que vem sendo aplicado por estelionatários em Irati. De acordo com o órgão, os criminosos ligam para as vítimas oferecendo um serviço de inclusão em uma lista telefônica física e virtual.

Segundo o relato dado à nossa reportagem pela empresária iratiense Cláudia Fagali, que foi procurada, mas não caiu no golpe, os supostos representantes de empresas de publicidade ligam para os empresários querendo confirmar dados pessoais para incluir a empresa em uma lista telefônica, sem custo. “Essa empresa entrou em contato comigo via telefone. Eles se apresentaram como uma empresa que era do setor de qualidade da lista telefônica e que estavam validando o cadastro das empresas de Irati, como e-mail, endereço, telefone, CEP; e que eles estariam enviando a lista telefônica impressa, que isso já teria sido pago, que não teria nenhum custo, que era para eu enviar um e-mail para eles enviarem os dados para eu confirmar se era aquilo mesmo. Além disso, ofertaram também a inclusão na lista telefônica online”, relata a empresária.

De acordo com Cláudia, os golpistas são especializados no que fazem e têm conhecimento prévio do assunto. A empresária comenta que só não assinou o falso contrato porque analisou o documento com calma. “Depois que eles me enviaram esse contrato por e-mail, eu vi que não tinha CNPJ da empresa. Uma coisa que precisa ser alertada é que a pessoa que nos liga, tem muito conhecimento e fala um português muito correto. Ela diz que é somente preciso imprimir o documento, assinar e que alguém vai passar e entregar as listas telefônicas para você. O que me alertou é que faz muito tempo que eu já não faço publicidade em listas telefônicas. Eles dizem que não é preciso pagar nada porque já foi debitado mensalmente em nossa conta de telefone”, descreve.

O Técnico do Procon de Irati, Guilherme Filus, disse que esse tipo de empresa vem tentando dar golpes há bastante tempo e que vários empresários da região já caíram. "A gente está recebendo muita reclamação aqui no Procon, e não é de agora, já de anos, de uma empresa que usa diversos nomes diferentes para ofertar para diversas empresas um serviço de telemarketing, televendas e divulgação de serviços na internet. Na minha conta, no meu sistema, de dez a 15 empresários que foram golpeados por essa empresa, mas todas com nomes diferentes”, afirma.

O técnico relatou que os estelionatários usam o nome de diversas empresas para tentar o golpe. “É um contrato padrão. A gente já percebeu várias empresas diferentes de divulgação, mas o contrato é o mesmo. E eles já vêm com as letras miúdas preestabelecendo uma quebra de contrato. A empresa já manda esse contrato preenchido, é só o comerciante assinar e mandar. Eles não explicam nada por telefone sobre questões de valores. Eles só dizem que é uma confirmação de dados que essa prestação não vai ter custo nenhum. Quando a pessoa recebe o contrato pelo e-mail para fazer a assinatura, percebe ali que tem um número de parcelas e uma multa de 40% caso o contrato seja quebrado antes do estabelecido”, salienta.

Guilherme explicou que os golpistas chegam até a fazer ameaças, quando não conseguem consolidar o estelionato. “Tanto pelo Procon, quanto em contato com o empresário, eles relatam que a empresa chega de forma pacífica, ofertando um serviço de telemarketing ou um serviço de divulgação de empresa e que o próprio empresário pode verificar essas informações por telefone ou pela internet. Após questionamentos, já muda o tom da conversa, ficando de uma forma mais grosseira, não tendo mais negociações, somente ameaças”, comentou.


O funcionário do Procon alerta que o golpe é bem elaborado, o que faz o "serviço" parecer verídico. A orientação é para que os empresários não repassem dados a desconhecidos. “No começo a gente achou que fosse algo verdadeiro por existir contrato e assinatura, e também divulgação na internet. Depois percebemos que era algo fraudulento, pois tentamos contato e a empresa se esquivou da responsabilidade. A orientação que a gente dá às empresas hoje, é que, se receber contato telefônico de alguma empresa de publicação ou divulgação, ou até mesmo de lista telefônica, para que não passem nenhum dado e não assinem nenhum contrato”, orienta.

Guilherme solicita que os empresários que desconfiarem desse tipo de serviço procurem o Procon para verificar a integridade da empresa e tentar um possível cancelamento, caso o contrato tenha sido assinado . “A gente sempre orienta a nos procurar para ver a procedência do contrato se a empresa existe ou não, orientamos a pessoa a manter a calma, pois pode ser uma fraude, tentamos um contato com a suposta empresa, tentamos um cancelamento, como previsto no artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor, onde existe o prazo de sete dias de arrependimento da compra. Como a compra foi feita fora do estabelecimento comercial e pela internet, o prazo de sete dias é válido, sem cobrança de multa”, orienta.

A empresária recomenta sempre desconfiar de propostas que pareçam muito vantajosas. “Eu fiquei pensando por que eles ficaram insistindo tanto em assinar algo que era de graça. Por isso antes de dar uma resposta definitiva, eu decidi procurar os órgãos aqui de Irati e pesquisar na internet, porque é muito fácil da gente cair no golpe. E a taxa para o cancelamento seria bem alta”, ressalta Cláudia.

As pessoas que desconfiarem de serviços oferecidos por empresas e quiserem saber sobre a integridade delas, podem procurar o Procon de Irati, que fica na Rua Dr. Correa, ao lado da Prefeitura; ou via telefone/WhatsApp (42) 3132-6295.