Publicidade Topo

notícias

Finados: celebração da vida ou da morte?

Padre Rodrigo Ribas fala sobre o significado da celebração dos fiéis defuntos/Paulo Henrique Sava
Cruzeiro do Cemitério Municipal de Irati. Foto: Paulo Henrique Sava

Nesta terça-feira, 02, cristãos de todo o mundo celebram o Dia de Finados. Em cada país, a celebração é realizada de acordo com um costume próprio. No México, por exemplo, as famílias fazem altares com as fotos dos entes falecidos e colocam oferendas, acreditando que as almas dos antepassados visitam suas casas neste dia. 

No Brasil, existe o costume de visitar os cemitérios neste dia para acender velas e levar coroas de flores como forma de homenagear nossos antepassados. Em Irati, centenas de pessoas devem passar pelos cemitérios no dia de hoje. Mas o que significa a celebração do dia dos fiéis defuntos? Para responder a esta pergunta, nossa reportagem procurou o Padre Rodrigo Ribas, vigário da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Irati. Ele lembrou que, antes do dia de Finados, a Igreja Católica celebra Todos os Santos, no dia 1º de novembro, e que a cultura cristã celebra a vida.

“Quando nós falamos em Todos os Santos, estamos falando da vida nova em Cristo, aqueles que já terminaram sua peregrinação nesta vida e agora estão em Deus, então é uma vida nova em Cristo. Por isto, Todos os Santos é uma solenidade da Igreja. A data vem antes de finados, um dia que nós temos para celebrar a comemoração dos fiéis defuntos. Na hierarquia das celebrações da Igreja, Todos os Santos é uma solenidade, e fiéis defuntos não está em nenhuma delas porque nós não celebramos a morte. Neste dia, nós lembramos dela, que é um dos maiores mistérios da nossa fé, mas com a consciência de que estes nossos irmãos estão indo para o céu. Rezamos também por aqueles falecidos que estão esquecidos ou no purgatório, tempo de purificação para chegar ao céu”, frisou.

O dia de Finados surgiu no Século X e foi instituído pela Igreja Católica no Século XIV em todo o mundo. O padre acredita que o costume de visitar os cemitérios neste dia é muito válido, uma vez que a Igreja Católica considera estes locais como campos santos. “Ali repousam os restos mortais daqueles que já partiram. Quando temos algum falecido na família, a Igreja orienta a oração de bênção da sepultura porque o cemitério é um campo santo. Neste dia, nós vamos ao cemitério, mas conscientes de que o nosso ente querido não está lá, apenas seus restos mortais que descansam. Rezamos pedindo que ele esteja junto com Deus no descanso eterno. Ir ao cemitério é muito importante com certeza”, comentou o padre.


Padre Rodrigo também explicou o sentido dos gestos de levar flores e acender velas junto aos túmulos e cruzeiros dos cemitérios neste dia. “A flor simboliza a vida, e eu sei que meu ente querido está vivo junto de Deus, por isto eu coloco flores ali (no túmulo). Já a vela simboliza a oração. Na igreja, temos as velas acesas durante as celebrações; acendemos velas em casa quando vamos rezar; no cemitério, é a mesma coisa: naquele lugar, lembramos dos nossos falecidos e ali acendemos velas para rezar por eles. O cruzeiro é o lugar onde rezamos pelos falecidos que não estão enterrados ali, por aqueles que estão esquecidos e pelas almas do purgatório”, destacou.

Outras religiões celebram a data de outras formas. “Cada cultura tem seu jeito de celebrar com sua fé. É importante lembrarmos, enquanto cristãos, que rezamos pelo descanso eterno dos falecidos, não cultuamos a morte, mas a entendemos como passagem e não como fim. Por isto, celebramos este dia pelos fiéis defuntos”, ressaltou o padre.

Presença dos fiéis - Muitas pessoas compareceram aos cemitérios Municipal e da Vila São João na manhã de hoje. Nossa reportagem conversou com o vereador José Ronaldo Ferreira, o Ronaldão, que foi ao cemitério municipal para visitar os túmulos dos falecidos de sua família. “Estamos aqui para fazer uma visita aos nossos entes queridos, temos meu pai, minha irmã, os avós e outras pessoas conhecidas e amigas. Eu venho cedo, pois o movimento é mais calmo e tranquilo. Estamos fazendo nossa obrigação, o dia está agradável para fazer esta visita e orações”, comentou.

Floriculturas - O dia de Finados também é importante para os proprietários de floriculturas, principalmente depois da reabertura do comércio. O empresário Fernando Fernandes, proprietário da Floricultura Verdes Plantas, disse que aumentou a quantidade de produtos adquiridos em 20% em relação ao ano passado. “Hoje, estamos trabalhando com mais de 2500 vasos de crisântemos, fora as outras plantas, como calandivas e begônias. A estimativa de vendas para este momento, entre vasos de crisântemos e outras flores que também são utilizadas para homenagear os entes queridos, é de aumento de 40% nas vendas nesta data. Estamos com todos os cuidados redobrados em relação à Covid-19 e seguindo todas as orientações”, comentou.

Fotos: Paulo Henrique Sava


Equipe da Floricultura Verdes Plantas, na entrada principal do Cemitério Municipal

Movimentação tranquila na manhã de hoje no cemitério da Vila São João

Fiéis acendem velas próximo ao cruzeiro do cemitério da Vila São João

Momento em que diversas pessoas se reuniram para rezar o Terço próximo ao Cruzeiro do Cemitério Municipal