Publicidade Topo

notícias

Feira do Pêssego de Irati começa no sábado

Do dia 20 de novembro a 22 de dezembro, agricultores irão comercializar pêssego, ameixa e morango em três locais. Parque Aquático também terá programação especial em dois domingos/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava e Rodrigo Zub

Pêssegos e ameixas serão comercializados no Parque Aquático, Feira do Produtor e ao lado do restaurante Maxim's. Foto: Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Irati

A Feira do Pêssego de Irati começará no sábado (20) e contará com três pontos de venda de produtos. A feira é a alternativa para a tradicional Festa do Pêssego, que não será realizada devido à pandemia de coronavírus.

De acordo com o secretário de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar de Irati, Raimundo Gnatkowski (Mundio), a opção de continuar com a feira neste ano ocorreu porque a preparação de um evento como a Festa do Pêssego exige um tempo maior do que o disponível no momento. “Esse ano, pelo fato de a Festa do Pêssego ter um prazo mais longo para a gente preparar ela, para que continue sendo aquele sucesso que vem acontecendo desde 2017, 2018 e 2019. Ela precisa de um prazo maior. E esse prazo, nós tínhamos incerto, de quando nos livraremos da pandemia. Claro que agora está amenizada, não está livre de tudo, mas a feira estará acontecendo e nós faremos a venda do pêssego em três pontos dentro de Irati”, conta o secretário.

Os pontos de venda funcionarão do dia 20 de novembro a 22 de dezembro, com vendas de pêssego, ameixa, morango e vinho. A previsão é que os pêssegos sejam vendidos a R$ 8 o quilo e R$ 15, com dois quilos.

Um dos pontos de venda será a Feira do Produtor Iratiense, onde os pêssegos e outros produtos serão comercializados nas segundas, quartas e sábados. “Nós teremos seis bancas, entremeio, bem no meio da construção. As bancas estarão ofertando vinho, morango, ameixa e o pêssego”, disse Mundio.


Outro ponto de venda será o Parque Aquático que terá comercialização de produtos nos dias 5 e 12 de dezembro. Nestes dias também haverá programação especial com apresentação de artistas locais, bancas de artesanato local e exposição de orquídeas. Também acontecerá no campo próximo ao Pavilhão de Exposições João Wasilewski, o Festival de Futebol Society Infantil que reunirá competidores de seis, oito e dez anos, respectivamente. Nos dois domingos, a programação começa às 9h e tem previsão de terminar entre 18 e 19h.

No dia 05 de dezembro ainda será realizada a Missa em Ação de Graças aos fruticultores, às 10h, na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Uma das novidades desse ano será à venda de produtos na BR 277, próximo ao Restaurante Maxim's. No local, haverá uma tenda com pêssego, ameixa e morangos para as pessoas comprarem. Haverá sinalização do ponto de venda nas proximidades. Para o secretário, essa novidade é ideal para quem passa no local. “Aquelas pessoas que já param ali no restaurante já poderão adquirir o pêssego. E as pessoas que pararem para adquirir o pêssego também estarão sendo clientes do restaurante”, observa.

Nesta tenda, haverá duas pessoas comercializando os produtos. “Nós temos uma infraestrutura de câmaras frias junto à Feira do Produtor, isso tudo estará sendo levado para a BR, o pêssego já embalado, pesado. Então, ele passará pela câmara fria, ficará ali, dali ele será destinado à BR 277, já sabendo quantas redes foi, quantos quilos foi, tudo embalado. A pessoa que estará lá, estará somente comercializando. Não terá contato nenhum com a fruta”, explica Mundio.

A Feira do Pêssego de Irati será promovida pela Secretaria de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar de Irati, em parceria com a Associação dos Fruticultores de Irati (Asfrutir), Emater e Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (SEAB).

Colheita: Cultivando pêssegos desde a década de 80, o agricultor Natalino Mascarello conta que a expectativa dos produtores é positiva. “Embora não tenha aquela pompa de uma festa, nós acreditamos que será bom porque vai usar dois domingos. E domingo é que flui bastante povo no parque. É isso que esperamos de comercializar bem o nosso produto”, disse.

Atualmente, ele possui cerca de 2 mil pés de pêssego de diversas variedades. “Começando pelos mais precoces até os mais tardios, eu tenho o chimarrita, charme, PS, fascínios, ouro, chiripá e agora esse ano eu plantei o Della Nona, um pouco mais tardio. Não pode investir somente em um produto porque madura tudo numa época, então teríamos mais dificuldade para comercializar”, conta Natalino.

A propriedade localizada próximo do buffet Vó Tereza também conta com diversificação. “Além do pêssego que é o carro-chefe, tenho uns 300 pés de uva e tenho um pouco de amora, amora-preta que ajuda, o pessoal procura bastante para doce, para geleias, tortas. É só chegar lá em casa que sempre está disponível”, relata.

Natalino conta que começou a colher no dia 15 de novembro e espera que a colheita deste ano seja diferente do ano passado, apesar das dificuldades. “O ano passado foi bem fraco. Tivemos uma geada bem tardia que praticamente dizimou os pomares. O meu foi um que colheu muito pouco o ano passado. Esse ano, a gente está sofrendo um pouco essa estiagem. O pêssego que tinha que crescer, justamente na hora da maturação, não está crescendo, por falta de umidade. A gente espera colher de 12 a 15 toneladas”, disse.

Conforme Mundio, a expectativa é que os 31 fruticultores do município colham ao todo cerca de 300 toneladas de pêssego. Mesmo com as dificuldades, já que alguns agricultores também foram afetados por granizo, a colheita deste ano deverá ser melhor que a do ano passado. “A friagem que houve fez bem, fez uma florada melhor da fruta. Claro que as primeiras variedades sofreram um pouco, mas depois na sequência, a segunda e a última variedade estão produzindo muito bem. Houve até um trabalho maior no raleio porque deu bastante fruta, tiveram que tirar bastante dos galhos ralhando. Mas o importante é que a fruta está com uma aparência muito boa, qualidade muito boa e sabor que já é conhecido de Irati. Um pêssego muito bom, muito saboroso que Irati sempre ofereceu”, analisa o secretário.

No processo de raleio, os agricultores ajudam a dar mais espaço para o crescimento das frutas. “Quando a fruta floresce e solta os primeiros frutos pequenos, o galho está tomado de frutas. Eles têm que deixar no pêssego pelo menos cinco centímetros de distância um do outro. Deixando sempre uma fruta de um lado do galho, outra a cinco centímetros para frente do outro lado do galho. Aí você raleia ele. Você praticamente tira quase 60% a 70% das frutas você tira fora, deixando somente aqueles que irão crescer e se tornar uma fruta maior”, explica.

O secretário conta que os novos produtores de pêssego do município também participarão da feira. O número de produtores aumentou após a prefeitura incentivar o cultivo de pêssego por meio de doações de mudas. Neste ano, foram doadas mais de 7 mil mudas de pêssego e ameixa, além de mais 4 mil mudas compradas pelos próprios produtores. “O pêssego claro entrou produtores novos. Vocês já estarão vendo produtores novos entrando na feira, produtores novos na festa lá no Parque Aquático, que são dessa leva que receberam as mudas. Também se fortaleceu aqueles produtores que já tem a vocação trabalhando. Então aumentou, renovou os seus pomares. Isso traz motivação para eles”, disse.

Nem todos os produtores são associação à Asfrutir, mas esse cenário pode mudar. No começo do próximo ano, haverá uma reunião da associação com a Secretaria para analisar os resultados da safra no fim do ano, mas também para analisar a entrada de novos associados. O planejamento é que no futuro os associados possam se unir e formar uma cooperativa. “Todos que trabalham dentro da fruticultura, dentro dessa associação, ou talvez futuramente uma cooperativa de fruticultores. Seja uva, seja kiwi, seja ameixa, seja morango, seja o pêssego. Queremos todos sentados na mesma mesa e buscando projetos novos para incrementar essa fruticultura e crescer cada vez mais”, conta.

Foto: Divulgação