Publicidade Topo

notícias

Escola Luiza Rosa Zarpellon Pinto receberá novo Ensino Médio a partir de 2022

Com a implantação da nova modalidade de ensino, escola passará à condição de colégio no ano que vem. Escola Municipal que funciona no mesmo prédio será transferida para o antigo orfanato, pois a Escola São Valdomiro será desativada/Paulo Henrique Sava

Escola Estadual Luiza Rosa Zarpellon Pinto, no bairro Lagoa, passará a receber o novo Ensino Médio a partir de 2022. Foto: Paulo Henrique Sava

A Escola Estadual Luiza Roza Zarpellon Pinto, no bairro Lagoa, receberá o novo Ensino Médio a partir de 2022. Com isso, a instituição passará à condição de colégio. Em consequência, a Escola Municipal Vilma Rossa Bartiechen, que funciona no mesmo prédio, será transferida para o antigo orfanato, uma vez que a Escola São Valdomiro será desativada.

A diretora da Escola Luiza Rosa, Vera Lúcia Girardi, que atua na instituição há 27 anos, acredita que o funcionamento de duas escolas com modalidades diferentes de ensino no mesmo prédio não é conveniente. “Eu não acho conveniente, é minha opinião pessoal, pois cada modalidade tem a sua maneira de ensinar, de passar o conteúdo. O que é utilizado nas séries iniciais (do Ensino Fundamental, do 1º ao 5º ano) nós não utilizamos (nas séries finais, do 6º ao 9º ano). O entendimento foi muito bacana, o prefeito e o chefe do NRE assumiram esta decisão, que não foi fácil, pois mexe com uma comunidade”, frisou.

A transição deve ocorrer até o final do ano. Atualmente, a escola estadual atende cerca de 200 alunos das séries finais do Ensino Fundamental pela manhã. Porém, com a implantação do 1º ano do Ensino Médio a partir de 2022, algumas turmas devem ser deslocadas para o período da tarde. Esta medida ainda precisa ser estudada junto ao NRE de Irati. Isto poderá proporcionar a utilização de todas as salas de aula disponíveis durante o dia inteiro, segundo a diretora.

“Eu acredito que poderemos acolher mais por conta de utilizarmos as salas de manhã e à tarde. Antes, nós tínhamos que colocar todos os nossos alunos de manhã e o município os estudantes dele à tarde, então não tinha como (receber mais alunos). Depois, se eu tiver, por exemplo, oito turmas, poderei passar quatro para a tarde e deixar o restante de manhã”, frisou.

Conforme Vera, a implantação do Novo Ensino Médio na escola será gradativa. “No ano que vem, em 2022, teremos o 1º ano; em 2023, o 1º e o 2º, e em 2024, o 1º, o 2º e o 3º. Então, eu tenho que contar com as salas para a frente, porque todo ano vai aumentando uma turma. Com esta saída (da escola municipal), eu posso colocar os 6ºs e 7ºs na parte da tarde e deixar os [alunos] maiores na parte da manhã. Vai ficar bem dividido e terá lugar para todos”, pontuou.

A escola conta atualmente com oito salas de aula, sendo que uma delas é utilizada como secretaria da escola municipal e a outra como sala de informática. Outras duas estruturas de madeira também são utilizadas como salas de aula. Com a saída da escola municipal, uma delas poderá ser transformada em laboratório de química, física e biologia. 

A diretora pede que as autoridades e a comunidade tenham um “olhar diferenciado” para as escolas periféricas. “O bairro está crescendo, mas a escola não cresceu. Existem as escolas do centro, nas quais as crianças parecem ter um poder aquisitivo melhor, e as escolas do campo, composta por agricultores, que têm uma outra visão. Eu acho que as escolas periféricas deviam ser vistas com um olhar diferenciado por apresentarem situações mais carentes e difíceis. Eu tenho este olhar diferenciado por esta escola aqui, quero cuidar bastante dela”, pontuou.

Ensino em tempo integral - Futuramente, a escola poderá receber o ensino em tempo integral, o que, na opinião da diretora, é algo extremamente positivo para o aluno. “Eu acho que, se a criança está dentro da escola, estará alimentada, tendo regras, alimentação balanceada, terá atividades, depois do almoço vai fazer tarefa e terá uma hora de lazer. Quanto mais tivermos a criança dentro da escola, a mãe poderá sair para trabalhar sem se preocupar”, comentou.


O chefe do NRE de Irati, Marcelo Chociai Komar, confirmou que existe a intenção de implantar o ensino em tempo integral no colégio. “Esta é a nossa próxima pretensão, para que possamos atender os jovens daquela comunidade tão importante, e que eles fiquem o dia todo na escola, podendo estudar, se alimentar bem e ter uma condição de conhecimento muito boa, que se refletirá na sua vida profissional e principalmente na sociedade”, comentou.

Investimentos - O Governo Estadual enviou recursos na ordem de R$ 300 mil para melhorias no telhado, na pintura e no piso da escola. Os próximos passos são as reformas e ampliações de salas e laboratórios. Para a implantação do ensino em tempo integral, a escola necessita de pelo menos onze salas. Com a saída da escola municipal do prédio, o local passará a contar com a quantidade de salas necessárias para a implantação do Ensino Médio, inicialmente.

Estrutura - Além das salas, a escola conta com biblioteca (com um acervo grande de mais de 3 mil títulos guardado em um espaço pequeno), sala de informática, refeitório, quadra de esportes e um amplo jardim. Além disso, também são realizados os programas Mais Aprendizagem, sala de recursos e aulas de treinamento de Educação Física. Entretanto, antes da pandemia, eram realizadas outras atividades, como aulas de dança, que foram paralisadas.

Funcionários - A escola conta com aproximadamente 16 professores e seis funcionários. Porém, com a implantação do Ensino Médio, o quadro de funcionários e professores deve ser ampliado, segundo Vera. “Eu acredito que deva aumentar, ainda mais se abrirmos na parte da tarde, vai abrir mais horas, e teremos que ter mais uma pedagoga, uma secretária e uma auxiliar de serviços gerais. Vai aumentar o número de professores também, pois vem as disciplinas de Química, Física e Biologia. Não sabemos ainda quais serão as disciplinas do Novo Ensino Médio e como vai ser a grade curricular. Estão sendo feitos muitos estudos e reuniões para que isto aconteça”, pontuou.

Professores e servidores efetivos devem ser deslocados para a escola. Além disso, candidatos que participaram do Processo Seletivo Simplificado (PSS) realizado na última semana devem ser selecionados e contratados para atuar na instituição.

Município adquiriu o prédio do antigo orfanato - Recentemente a Prefeitura de Irati adquiriu o prédio onde atualmente funciona a Escola São Valdomiro, que passará a abrigar a Escola Municipal Vilma Rossa Bartiechen. No total, foram investidos R$ 2 milhões na aquisição do imóvel, oriundos de recursos próprios do município. Antes, o Executivo pagava aluguel para utilizar as instalações, uma vez que o imóvel pertencia às irmãs da Associação da Imaculada Virgem Maria. Segundo a secretária municipal de educação, Jandira Terezinha Girardi, o município decidiu unir as duas escolas em uma só por conta do espaço do prédio, que tem capacidade para abrigar os 400 alunos das duas escolas.

“Como queremos favorecer e ajudar a comunidade, trazendo as escolas que estavam na Vilma Rossa para o prédio da antiga Escola São Valdomiro, estaremos favorecendo a população, que receberá no ano que vem o Ensino Médio. Tudo o que pudermos ajudar a comunidade para trazer benefícios a estes estudantes e mantê-los perto de casa, nós vamos fazer”, frisou.

Fotos: Paulo Henrique Sava


Diretora da Escola Estadual Luiza Rosa Zarpellon Pinto, Vera Lúcia Girardi

Biblioteca conta com mais de 3 mil livros

Refeitório

Jardim da escola

Bloco de salas de aula

Pátio e quadra de esportes