Publicidade Topo

notícias

Diretoria do Iraty solicita ajuda financeira

Torcedores poderão contribuir com um valor mínimo de R$ 15 via Pix. Doações também podem ser feitas diretamente na secretaria do clube. Recursos serão utilizados para cobrir gastos do time durante a participação na terceirona do Paranaense/Paulo Henrique Sava, com reportagem de Ademar Bettes

Doações para o Iraty Sport Club podem ser feitas através do PIX ou pessoalmente na secretaria do clube. Foto: Reprodução Facebook

Com um projeto com poucos recursos financeiros, a empresa G-4 está administrando o futebol do Iraty. Durante a disputa da terceira divisão do Campeonato Paranaense, o clube conta com jogadores das categorias de base e atletas experientes que já passaram pelo time no passado. Desta forma, a diretoria não investiu em grandes contratações. Na reta final da competição, o clube está solicitando ajuda financeira da população iratiense. O Azulão se classificou para a semifinal da competição contra o Aruko, de Maringá

Quem quiser contribuir com um valor a partir de R$ 15 pode fazer o depósito via Pix pelo QR CODE. O número da chave Pix é 39.771.611/0001.79. Outras pessoas poderão levar suas doações até a secretaria do clube, junto ao Estádio Coronel Emílio Gomes. Os 100 primeiros torcedores que contribuírem podem levar os comprovantes até a sede do Iraty, onde receberão bonés, garrafas de água ou chaveirinhos.

O técnico Karmino Colombini ressaltou que todas as contribuições serão revertidas para cobrir os custos do clube, principalmente com os testes contra a Covid-19, que chegam a R$ 15 mil por jogo. Ele agradeceu a todos que já estão contribuindo com a equipe. “Para uma pessoa que já contribui com o valor de R$ 15 e aquilo é significativo para ela, nós agradecemos muito, e não é somente o valor, mas aquilo que te custa algo em favor de um projeto, aí é melhor ainda. Portanto, se você pode e está em condições, nos ajude, prestigie este momento, pois certamente nós queremos devolver ao público e à cidade aquilo que sempre foi marca, o lazer primeiro aqui na cidade, que é o próprio futebol. Foi um fator que envolveu as pessoas, é o Azulão conhecido no cenário nacional. Se você está preparado e tem condições para isto, nos ajude”, frisou.

O técnico disse acreditar na força do projeto atual do Iraty e solicita apoio dos empresários da cidade para o trabalho continuar. “Nós não queremos algo que tenha um vínculo, uma proposta inicial e, com o passar dos anos, vá perdendo a força e entre em um processo anêmico até a falência, pelo contrário, nós cremos que é o momento, é hora de escolhermos as sementes, semearmos e virá o tempo da colheita. Vocês podem ter certeza de que, qualquer atleta que aparecer, o dinheiro vai ficar na própria cidade. Não são pessoas que vieram com o propósito de colocar o dinheiro no bolso, fechar a porta de novo e ir embora. Aquilo que obtivermos dentro da empresa G4 e da estrutura que havia no próprio clube nós daremos continuidade, melhoraremos e tornaremos o clube mais exposto, com outros calendários e quem sabe retornarmos ao cenário nacional”, frisou.


Sandro Cabral, integrante da empresa G4, gestora do futebol do Iraty, ressaltou que os custos para as próximas fases da terceirona paranaense serão dobrados, uma vez que os clubes, além dos gastos com viagens e testes de coronavírus, precisarão arcar com o pagamento da taxa de arbitragem, que durante a 1ª fase, foi custeado pela Federação Paranaense de Futebol. “É um custo muito alto, e por isto resolvemos lançar esta campanha e pedir a ajuda do torcedor, do empresariado da cidade e de quem gosta do Iraty em geral para que possa nos ajudar neste momento financeiro delicado. Quem tem a ganhar não somos nós da G4, mas todos do clube, os torcedores e a cidade, que tem o nome de Irati de volta ao cenário do futebol”, comentou.

De acordo com Sandro, no início do campeonato, o clube conseguiu arrecadar apenas 47% do valor orçado para toda a competição. Os recursos foram gastos somente na primeira fase. Porém, o Iraty não deixou nenhuma dívida neste período. “Hoje, estamos alinhados, sem nenhuma dívida, pagamos tudo certo. A nossa preocupação é daqui para a frente, porque os gastos praticamente dobram, tem mais um mês de salário dos atletas, e nós da G4 estamos nos movimentando em todas as partes, falando com os parceiros para que possam nos ajudar e fazer uma coisa bem transparente, certinho, para não termos problema nenhum e sermos diferentes de quem passou pelo Iraty”, afirmou.