Publicidade Topo

notícias

Vacina contra a Covid-19 já está sendo aplicada em adolescentes com comorbidades em Irati

Terceira dose de reforço também está sendo aplicada em idosos com mais de 85 anos e imunossuprimidos em Irati/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava e Rodrigo Zub

Foto mostra adolescente sendo vacinada em Toledo. Cidade foi escolhida pela Pfizer para sediar um estudo observacional da vacina no Brasil, com a participação da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Foto: José Fernando Ogura/AEN

O município de Irati já iniciou a aplicação da primeira dose da vacina contra o coronavírus em adolescentes de 12 a 17 anos, com comorbidades. Segundo a Secretaria de Saúde, foram repassadas 516 doses para a vacinação deste público-alvo. A expectativa é que esta faixa etária tenha cerca de 400 adolescentes, conforme resultado do pré-cadastro.

Para se vacinar, é preciso fazer um pré-cadastro no site da prefeitura e ter o atestado médico com a comorbidade do adolescente. A lista de comorbidades e demais documentos podem ser consultados no site irati.pr.gov.br

De acordo com a secretária de Saúde de Irati, Jussara Kublinski Hassen, a vacinação desta faixa etária tem sido boa. O que está diminuindo é a procura para a vacinação da segunda dose em outras faixas etárias. “Pessoal da segunda dose está deixando a desejar. Por favor, nos procure. Veja a sua carteirinha, nós estamos lá para vacinar. Não deixe passar o tempo da segunda dose”, ressalta a secretária.

A terceira dose de reforço também está sendo aplicada em idosos. Apesar da Secretaria Estadual de Saúde (SESA) autorizar a vacinação para pessoas com mais de 70 anos, em Irati, a gestão optou por separar por faixas etárias. Por isso, a aplicação da dose de reforço está acontecendo em idosos com mais de 85 anos e que tenham recebido a segunda dose há seis meses.


Contudo, pessoas com alto grau de imunossupressão, como no caso de pessoas acamadas, podem receber a terceira dose em qualquer idade. Para isso, é preciso ter um intervalo de 28 dias após a aplicação da segunda dose.

A secretária ainda comentou sobre os casos de pessoas que se contaminaram com Covid-19 após receberem a segunda dose da vacina. Ela confirmou que esses casos existiram, mas que ainda não foi contabilizado qual foi a porcentagem de casos. Contudo, ela destacou que foram poucos casos e que não foram graves. “Os que estiveram vacinados e não tinham comorbidades todos passaram muito bem. Temos uma expectativa boa para isso porque os que não tiveram comorbidade, eles passaram bem”, disse.

Os casos com mais gravidade, chegando ao óbito, ocorreram em pessoas que possuíam comorbidades. “Os que vieram a óbito é que realmente tinham comorbidades bem avançadas, então os que tiveram a segunda dose e acabaram falecendo é que tinham comorbidades”, contou.

SAMU: A região recebeu cinco ambulâncias básicas que serão usadas no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Uma das ambulâncias básicas ficará em Irati, que já possui uma ambulância avançada.

A expectativa é que as novas ambulâncias possam funcionar nas próximas semanas. “Essas ambulâncias tem um custo alto, até podíamos pegar mais, mas o custo dela é bem alto. Por ter porta aberta, ter equipe 24 horas. Irati, provavelmente, eu espero que dentro de 15 dias comece a funcionar a nossa ambulância básica do SAMU”, disse a secretária.

Em Irati, o atendimento deve iniciar antes que em outros municípios, pois a ambulância já está pronta para operar, somente esperando a equipe que trabalhará no SAMU. “Porque Irati já recebeu essa ambulância do Ministério da Saúde desde fevereiro e nós só estávamos aguardando porque quem faz a gestão do CIMSAMU é Ponta Grossa, e não Irati. Estávamos aguardando um PSS, uma contratação de funcionários para começar a trabalhar nessa ambulância. Por isso que Irati vai começar antes, por ter recebido uma ambulância do Ministério da Saúde em fevereiro”, relata Jussara.

Ao todo, são 28 municípios que formam o consórcio CIMSAMU. Todos os municípios dividem os custos da operação do serviço. A partir do próximo ano, o município de Irati deverá passar a pagar R$ 2,40 por habitante, chegando a um valor de R$ 140 mil por mês para ter o atendimento do SAMU no município.

No entanto, o custo é abatido por repasses do Governo Estadual e Federal, após as ambulâncias serem habilitadas e qualificadas. É o caso da ambulância avançada que já passou por esse processo.

Atualmente, o município de Irati recebe cerca de R$ 110 mil para ajudar a custear a ambulância avançada, sendo que R$ 78 mil vem do Estado e R$ 32 mil a R$ 38 mil vem do Ministério da Saúde. No caso da ambulância básica que entrará em funcionamento, o repasse será somente do estado, que enviará ao município R$ 13 mil de recursos. “Irati já habilitou a nossa unidade avançada, que é a UTI Móvel. Então, já estamos habilitados, já recebemos do Estado e já recebemos do Ministério da Saúde. A avançada porque viemos desde 2020, conseguimos habilitar, qualificar e conseguimos receber. A básica é somente o Estado que vai habilitar. O Ministério da Saúde não tem contrapartida e só o Estado. Nós já recebemos em torno de R$ 110 mil por essa unidade avançada que temos da ambulância do SAMU”, explica.