Publicidade Topo

notícias

Jovem iratiense é um dos quatro representantes brasileiros em programa do Mercosul

Raul Zainedin da Rocha, de 14 anos, integra o projeto Niñosur, que presta auxílio a crianças e adolescentes/Paulo Henrique Sava
Raul Zainedin da Rocha, de 14 anos, é um dos quatro integrantes brasileiros do programa Niñosur, do Mercosul. Foto: Assessoria Câmara

Há aproximadamente sete meses, o jovem iratiense Raul Zainedin da Rocha, de 14 anos, aluno do 9º ano da Escola Estadual Trajano Gracia, de Engenheiro Gutierrez, é um dos quatro integrantes brasileiros do programa Niñosur, do Mercosul. Em entrevista à nossa reportagem, o jovem relatou que o programa é responsável pela criação de projetos de políticas públicas para crianças e adolescentes dos países participantes. “Nós também criamos propostas para melhorar e fortalecer cada vez mais este programa, para que ele permaneça ao longo dos anos”, frisou.

Raul explicou que as propostas são criadas individualmente pelos países antes de encaminhá-las às reuniões, nas quais os integrantes do grupo decidem sobre sua aprovação. “No caso do Brasil, os adolescentes do Comitê Participativo de Adolescentes [CPA] e do Conselho Nacional dos Direitos das Crianças e Adolescentes [Conanda] são separados em grupos para que eles criem estas propostas e projetos todos juntos, sempre tendo a perspectiva e a visão de outra pessoa. Então, não somos apenas eu e os outros três adolescentes do Brasil que criamos as propostas, mas sim uma série de pessoas que estão envolvidas desde o início e colaboram para que estas ideias sejam lapidadas e atinjam o melhor possível”, enfatizou.

Dentre os países envolvidos, estão Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Equador, Colômbia, Brasil, Bolívia e Peru. Raul falou sobre a forma de funcionamento da gestão do programa. “Existem as presidências pró-tempore [temporárias], que mudam a cada seis meses. No semestre passado, estava com a Argentina e neste está como Brasil. A cada seis meses, são criadas novas propostas e novos eixos. Quando a presidência pró-tempore estava com a Argentina, eu estava no eixo de educação na pandemia”, comentou.

Os projetos criados são direcionados a todos os países participantes. Raul pensa em implantar um Comitê de Participação de Adolescentes em Irati (CPA). “Este CPA será composto por adolescentes do nosso município, que participarão das reuniões do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente [CMDCA]. A ideia é que, nestas reuniões, eles possam expressar suas ideias e opiniões. O CPA Municipal terá como intuito fazer palestras nas escolas, para conscientizar as crianças e adolescentes sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), seus direitos e até mesmo siglas como CPA e Conanda”, explicou.


Outra função do CPA será de conscientizar as crianças e adolescentes sobre a política em geral, especialmente na hora de participarem de qualquer pleito eleitoral. O jovem comentou também sobre os projetos apresentados por ele no programa, criadas no semestre passado. Ele ressalta que algumas delas podem ser aplicadas em todos os municípios e estados e são válidas para todos os países que participam do programa.

“Criar ouvidorias municipais, estaduais e federais, para relatos de negligência e/ou irregularidades do setor educacional; concursos públicos na área da educação, com remuneração satisfatória aos professores; planos de reforço escolar, de forma a diminuir as desigualdades na educação por causa da pandemia; videoaulas nas redes de televisão pública ou aberta, a realização das aulas online e em tempo real e postagem de atividades e avaliações; capacitação do corpo docente para a utilização das tecnologias e aplicativos educacionais; dispositivos como tablets e chips para os professores da rede pública e alunos de baixa renda, através de convênios dos governos com as operadoras de telefonia móvel. O projeto propõe ainda o mapeamento das necessidades, o transporte para que atividades impressas cheguem a alunos que moram em locais de difícil acesso e sem sinal de internet, o oferecimento de atendimento especializado para alunos com necessidades educacionais especiais e a entrega de cestas básicas para alunos de baixa renda da rede pública de ensino, incluindo produtos de limpeza, verduras e legumes. Os alimentos perecíveis devem ser adquiridos dos empreendimentos da agricultura familiar, auxiliando os pequenos agricultores da localidade durante a pandemia. O projeto solicita a inserção regular de profissionais da área psicossocial nas escolas e colégios para acompanhar as crianças e adolescentes”, relatou.

Início - Raul começou a participar da política em 2017, quando foi vice-presidente da Câmara Mirim aos 10 anos. Na época, ele era estudante do 4º ano da Escola Municipal Rosalina Cordeiro de Araújo, na Vila São João. No entanto, ele diz que pensa primeiro em fazer faculdade e depois decidirá se continuará atuando na política, mesmo que ela já seja praticamente uma realidade na sua vida. “Eu não acredito que a política seja um sonho porque já é praticamente uma realidade. Mas, pensando em no futuro me candidatar a vereador, eu vou primeiro focar na faculdade; depois, vou pensar nisso com carinho, certamente”, finalizou.