Publicidade Topo

notícias

Cidade da Criança mantém trabalho preventivo para coibir atos ilícitos

Desde o ano passado, a instituição deixou de ser abrigo para atuar na proteção básica de forma preventiva para garantir os direitos da criança e do adolescente; Saiba como ajudar/Lenon Diego Gauron, com edição de Rodrigo Zub

Foto:  Tatiane Maria Horst/ Divulgação

A Associação Santos Inocentes de Irati (Cidade da Criança), continua atuando como agente de prevenção contra a vulnerabilidade de crianças e adolescentes, com ações de proteção básica de forma preventiva, ofertando aos matriculados o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos a comunidade (SCFV), com atendimentos em grupo. São ofertadas atividades artísticas, culturais e de lazer, como yoga, oficinas, atividades lúdicas e esportivas, artes e inclusão digital.

Ouça o áudio da reportagem no fim do texto

A Cidade da Criança atua em Irati desde 1992. A partir de 2020, a entidade mudou sua modalidade de atendimento, deixando de atuar como abrigo institucional para focar suas atividades na proteção básica de forma preventiva.

A funcionária do setor administrativo da Cidade da Criança, Tatiane Maria Horst, reforça que o objetivo da Cidade da Criança é garantir os direitos da criança e do adolescente. “Sempre nos perguntam se a Cidade da Criança fechou. A resposta é não. Ela apenas mudou a sua modalidade, focando no trabalho preventivo de proteção básica, evitando que as crianças e adolescentes precisem ir a um acolhimento institucional ou cumprir medidas sócio educativas, que sejam futuras egressas em um sistema prisional”, destaca.


Para Tatiane, o trabalho conjunto de prevenção entre a sociedade e o poder público é essencial e pode gerar economia à sociedade. “O trabalho preventivo, quando feito com responsabilidade, com um Poder Público que apoia essa iniciativa, ele é um trabalho muito mais barato aos cofres públicos. É muito mais barato focar num trabalho de prevenção do que ter que construir presídios, casas-lares, que são medidas já corretivas de situações que houve uma violação de direitos", analisa.

Atualmente, a Cidade da Criança tem 72 jovens matriculados que frequentam a instituição de segunda a sexta-feira. Tatiane relatou que a Prefeitura de Irati não repassa recursos financeiros para a entidade há mais de um ano. De acordo com ela, as despesas estão sendo custeadas por meio de doações da comunidade, parcerias com empresas e eventos sociais, como a venda de pães, pastéis, sonhos e artesanatos.

Integrantes da administração municipal foram procurados por nossa reportagem para se manifestarem sobre os motivos da prefeitura não estar repassando recursos para a Cidade da Criança. Até a conclusão desta reportagem, ninguém havia se manifestado.

Na manhã de hoje, Tatiane informou a nossa reportagem que a vice-prefeita de Irati, Ieda Waydzik, visitou a instituição na tarde de ontem e prometeu auxiliar a entidade a partir do mês que vem. "Ficou acertado com a vice-prefeita Ieda, o prefeito Jorge [Derbli] e o Secretário da Fazenda Juarez [Miguel da Silva], que o município vai fazer um repasse de R$ 5 mil por mês para a Cidade da Criança por um ano, totalizando um auxílio anual de R$ 60 mil ", afirma a funcionária do setor administrativo da Cidade da Criança.

Ainda de acordo com Tatiane, a vice-prefeita também se comprometeu em agilizar o repasse de R$ 10 mil que a Cidade da Criança recebeu via Fundo Municipal da Infância e Adolescência no final de 2020, por meio da Concessionária Caminhos do Paraná. O valor foi aprovado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Tatiana pede ajuda para os interessados em colaborar com a Cidade da Criança, seja por meio de doação em dinheiro, alimentos e roupas ou ainda com trabalhos voluntários em vendas ou produção de alimentos. "Nós vendemos pães semanalmente sempre estamos vendendo pastéis, sonhos, fazemos bazares, logo estaremos divulgando uma feira natalina que nós fizemos ano passado e foi um sucesso com produtos lindos de natal, inclusive venda de plantas, coisa bem bacanas que logo estaremos fazendo essa divulgação, que é uma oportunidade para as pessoas conhecerem nosso espaço". 

O telefone para quem quiser ajudar é o 3423-1305. A instituição fica na rua João de Barro, número 105, no bairro Alto da Lagoa. Já o PIX para quem quiser fazer uma doação em dinheiro, a chave é CNPJ da Cidade da Criança: 95.683.223.0001-07. "Nós também temos a modalidade de 'carnezinho' que a pessoa pode contribuir mensalmente como se fosse um dízimo pode contribuir com R$ 10, R$ 15, R$ 20. Também as pessoas podem fazer doações de alimentos, roupas que não servem, nós também recebemos", afirma a funcionária da Cidade da Criança.  

Tatiane também frisou que a instituição está aberta para quem quiser visitar e conhecer os trabalhos realizados em prol das crianças e adolescentes. "Nosso espaço na Cidade da Criança está muito bonito. Hoje nós temos uma espécie de floricultura, que é onde nós fazemos um trabalho de conscientização ao meio ambiente, nós temos muitas plantas, plantas ornamentais, frutíferas, árvores, coisas lindas", relata. 

Nesta semana aconteceu a renovação do registro da Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social na Área de Educação (CEBAS) para a Cidade da Criança, que é expedido pelo Ministério do Desenvolvimento Social às entidades beneficentes de assistência social que atuam na área da educação. O documento qualifica a Cidade da Criança nacionalmente e isenta a instituição de diversos impostos e gastos tributários.  A renovação do registro foi solicitada em abril de 2020 e confirmada nesta semana. A solicitação agora segue para publicação no Diário Oficial da União.

 Acompanhe o áudio da reportagem


Confira abaixo algumas imagens do dia a dia da Cidade da Criança