Publicidade Topo

notícias

Mulher é atropelada em Teixeira Soares

Vítima, de 31 anos, foi encaminhada para o hospital Municipal. Acidente ocorreu na rua 15 de Novembro

Imagem de drone mostra centro de Teixeira Soares. Foto: Ricardo Basso

Uma mulher foi atropelada em Teixeira Soares, na tarde de ontem, 31. A vítima, de 31 anos, estava caminhando na rua 15 de Novembro quando foi atingida por um veículo Fiat Uno. A mulher foi conduzida até o hospital Municipal. Familiares foram orientados sobre os procedimentos a serem adotados.

Em Inácio Martins, um caminhão carregado de toras enroscou na fiação elétrica e quebrou um poste em frente de uma casa. Com o impacto, o poste caiu sobre um cavalete de água da residência e danificou o objeto. O proprietário do imóvel relatou que foi atrás do caminhão, mas o motorista não parou. O homem disse que não conseguiu visualizar a marca e o modelo do caminhão e nem conseguiu anotar a placa.

Em Irati, um homem agrediu a esposa e ameaçou matá-la no fim da noite de ontem, 31. A vítima pediu ajuda na casa de sua vizinha na rua das Seringueiras. A mulher afirmou que teve uma discussão com o marido depois que ele saiu de um bar embriagado. O homem apertou os braços, agarrou o pescoço e empurrou a mulher, que sofreu uma queda. Ela conseguiu se levantar, correr e pedir ajuda na residência de sua vizinha. Depois disso, o homem ainda ameaçou pegar uma arma que estava dentro do seu veículo para matar a esposa.


A Polícia Militar foi acionada e esteve na residência do casal. Inicialmente, o homem se recusou a abrir o portão da casa. Ao ser informado que a equipe ia cortar a corrente do portão, o morador concordou em receber os policiais. O agressor foi detido e conduzido para a Delegacia.

Em outra ocorrência em Irati, uma pessoa foi vítima de estelionato. Policiais estiveram em um estabelecimento e constataram que uma caminhonete estava no pátio do local. Duas pessoas estavam no veículo. Ao perceberem a presença da PM, eles pediram para o responsável abrir o portão. Os dois homens foram identificados. Eles moram na cidade de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Os suspeitos disseram que prestam serviços em uma floricultura e que havia sobra de material.

Os policiais estiveram em dois estabelecimentos que receberam a visita dos homens. Em um deles, os suspeitos foram autorizados a realizarem os trabalhos. No entanto, o responsável se surpreendeu com o valor cobrado pelo serviço, pois o jardim era pequeno. O proprietário desconfiou se tratar de um golpe e decidiu comparecer na Delegacia para representar contra os suspeitos. Cópias das notas emitidas pela prestação do serviço e da transferência bancária foram anexadas no processo. No segundo estabelecimento visitado pelos suspeitos, o serviço não foi pago e não havia documentação comprobatória.