Publicidade Topo

notícias

Grupo Ivasko lança 12ª edição do X-Solidário

Campanha de venda de lanches acontecerá durante o mês de setembro e deverá beneficiar Santa Casa de Irati, ANAPCI e Unidade Avançada do Erasto Gaertner/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava e Rodrigo Zub

Denise Dietrich (presidente da ANAPCI), Edna Ivasko, Israel Macedo e Ana Paula Ivasko (grupo Ivasko) e Adriano Lago (Erasto Gaertner) falaram sobre campanha X-Solidário durante entrevista no programa Meio Dia em Notícias da Super Najuá

O Grupo Ivasko lançou nesta semana a 12ª edição do X-Solidário. A campanha arrecadará recursos que serão doados para a Santa Casa de Irati, a Associação do Núcleo de Apoio ao Portador de Câncer de Irati (ANAPCI) e a Unidade Avançada do Erasto Gaertner. A campanha acontece durante todo o mês de setembro.

No ano passado, a quantia arrecadada foi de R$ 118 mil, que foram revertidos para as mesmas entidades beneficiadas neste ano. Em 2021, a meta é atingir R$ 150 mil de arrecadação. “A campanha do ano passado a gente conseguiu um total de R$ 118 [mil], esse ano queremos mais que isso. Vamos correr atrás. A gente sonha no R$ 150 [mil] quem sabe. Vamos trabalhar para isso. Contamos com a ajuda de muita gente boa, com a colaboração de instituições e a comunidade muito receptiva”, explica a idealizadora da campanha, Edna Ivasko, do Grupo Ivasko.

Uma das novidades da campanha é a doação em dinheiro. Assim, além do valor arrecadado com a venda dos sanduíches, a campanha também conta com a doação direta de valores. “Isso também vem somar no total arrecadado. Além da renda líquida dos lanches, do X-Solidário, temos a doação em dinheiro que pode ser feita através do QR Code ou por Pix”, relata Edna.


As doações em dinheiro podem ser feitas a partir de R$ 5, por Pix, pelo endereço de e-mail xsolidario@ivasko.com.br. Edna destaca que os valores serão depositados em uma conta feita especialmente para a campanha. “Essa conta é uma conta exclusiva para o X-Solidário. Ela foi criada para essa finalidade e todo o valor depositado lá, temos muita transparência depois de passar para todas as instituições o resultado, esse saldo será transferido totalmente para as instituições”, conta a empresária.

Outra diferença é o preço do lanche, que será vendido a R$ 12. O cupom para o lanche pode ser obtido com voluntários ou nos supermercados Ivasko. “Eles podem ser adquiridos em todas as lojas do Grupo Ivasko, com as meninas da Rede Feminina [de Combate ao Câncer], as meninas da ANAPCI ou os amigos da Santa Casa. Todos estão com os cupons para a venda”, explica Israel Macedo, representante do Marketing do grupo Ivasko.

Interessados em doar qualquer quantia em dinheiro podem fazer através do Pix. Foto: Divulgação

 Para quem tem a intenção de comprar o lanche e não consumir, pode optar por marcar no cupom a opção de doar os lanches. Diferente de outros anos, a organização decidiu não doar os lanches não consumidos. “Devido à pandemia, temos que ter um cuidado maior e preferimos evitar problemas maiores por causa do contágio do Covid”, disse Israel.

Os cupons dos lanches podem ser comprados durante todo o mês de setembro e retirado até o dia 13 de outubro. “O lanche pode ser consumido até o dia 13 de outubro. E ele só pode ser retirado nas lojas do Ivasko e do New, até as 19h, todos os dias”, disse Ana Paula Ivasko, do Marketing do Ivasko.

Há também a possibilidade de ter mais pontos de venda, principalmente em Rebouças, mas os locais de vendas ainda estão sendo organizados. “Essa semana a gente vai alinhar essas ideias para ter um ponto de venda mais fixo, que a gente vai entregar os lanches lá para facilitar a venda, para ter um ponto de entrega lá específico. E estamos buscando”, conta Edna.

Para conseguir fazer a campanha, o Grupo Ivasko também teve parceiros que ajudaram a custear a live de lançamento, além da compra de camisetas e material impresso. Os parceiros são as empresas Condor, Três Corações e Seara.

Os valores arrecadados serão distribuídos nas três instituições: ANAPCI, Erasto Gaertner e Santa Casa de Irati. Contudo, ainda não há a decisão de quanto será distribuído para cada um.

Para a presidente da ANAPCI, Denise Dietrich, as doações da campanha têm ajudado a instituição para comprar cestas básicas a cerca de 80 famílias que são atendidas pela entidade. “Quando a gente recebe essa doação, nos montamos cestas básicas para entregar para as famílias dos pacientes. Nesta cesta básica tem alimentação, tem o leite especial, fraldas e agora queremos incluir – no ano passado também foi assim – para o Natal. Montar essa cesta e incluir os brinquedos dos filhos dos pacientes”, disse.

O superintendente do hospital Erasto Gaertner, Adriano Lago, relembrou que a campanha tem ajudado o hospital nos últimos anos e que os recursos doados estão sendo investidos em Irati. “Nós primeiro esperamos a arrecadação, para apresentarmos um projeto para aplicabilidade deste recurso para o grupo. Para não acontecer de você fazer um valor alto, não arrecadar e ter que mudar. Ou contrário: fazer um projeto menor ou uma cifra menor e ter um aporte maior, e usarmos de uma maneira mais adequada. Assim foi do fluxo laminar, com autorização do Grupo Ivasko, usamos o recurso de dois anos. Veja que grande benefício que foi. Estamos muito preocupados em primeiro, ter o valor e depois, ter o projeto com aplicabilidade. Mas, ele será para a 4ª Regional, para a unidade [avançada] de Irati”, contou.

Mudança do Erasto: O Erasto Gaertner está negociando com o Hospital Agnus Dei a mudança de local da unidade avançada de Irati. Atualmente, a unidade avançada está no prédio da ANAPCI, que passou a alugar um espaço desde o início da atuação do Erasto em Irati.

A negociação para a mudança está em andamento e o contrato ainda não foi fechado. Contudo, a expectativa é que o local possa ajudar a ampliar o atendimento na região. “Vemos com muitos bons olhos essa oportunidade de ampliar o nosso atendimento, dar um conforto muito maior aos nossos pacientes”, explica o superintendente.

Adriano diz que o Hospital Erasto Gaertner sempre viu o prédio da ANAPCI como um local temporário e que por isso, acredita que este é o momento ideal para a mudança. “A gente sempre teve como meta de algum momento devolver a casa para ANAPCI. Até porque nós não pagamos nenhum tipo de aluguel. O Erasto não tem nenhum tipo de despesa. Por isso nossa gratidão”, conta.

Para Adriano, a devolução do local ajudará a associação. “E eu acho que a ANAPCI precisa voltar para a casa dela também. Esse fortalecimento com a Agnus Dei vai propiciar que acho que a gente faça também que a ANAPCI também cresça uma vez que a ANAPCI tinha suas atividades, mas muito voltada para pacientes que tinham deslocamento. Agora acho que pode ser ainda mais forte com sua sede própria com pacientes que estão na região sem esse deslocamento”, disse.

Quando a negociação for finalizada, a expectativa é que o local passe por algumas adaptações. O superintendente destaca que o hospital já funciona como um espaço hospitalar, mas que as mudanças serão pontuais. “A ideia é que façamos algumas adequações para o atendimento oncológico, como foi feito na própria estrutura da ANAPCI. Temos essa questão da transferência que foi o investimento que fizemos através do X-Solidário da capela de fluxo laminar. Estamos olhando com muito cuidado para poder ampliar a oferta e gerar mais conforto no atendimento dos pacientes”, explica.

Adriano também destacou que o atendimento dos atuais pacientes do Hospital Agnus Dei não será prejudicado. “Os atuais pacientes que fazem uso da estrutura do Agnus Dei devem ficar confortáveis. Nada vai mudar. Pelo contrário. Queremos somar tudo que é positivo que o Agnus Dei oferece hoje, mas com toda aquela expertise o que a gente consegue oferecer, a soma e o benefício para a ponta que é o uso dos pacientes”, afirmou.

A mudança da sede ajudará a ANAPCI, que atualmente paga um aluguel de aproximadamente R$ 3 mil por mês para fazer os atendimentos no centro da cidade. Segundo a presidente da entidade, a associação não possui pressa para ter a sede novamente, mas reconhece os benefícios de voltar à antiga sede. “A hora que o prédio vier para nós, claro vai ser de muito bom gosto, porque vamos deixar de pagar esse aluguel. Mas sem pressa e continuar com nossa parceira, tanto com o Erasto, a Rede Feminina, com a Edna do Grupo Ivasko e a Santa Casa. Essa parceria vai continuar com todos”, disse.