Publicidade Topo

notícias

Claudete Basen conta como a arte pode ser transformadora na vida das pessoas

De origem humilde, Claudete viu uma oportunidade na pintura e agora conta a sua história de superação no livro “O Interior de Todo Artista”/Lenon Diego Gauron, com reportagem de Juarez Oliveira

Claudete Basen foi uma das artistas retratadas no livro "O Interior de Todo Artista" de Mário Lopes. Foto: Juarez Oliveira

A trajetória que começa com uma infância difícil na cidade de Mallet, e a superação por meio da arte, é um dos vários assuntos que Claudete Basen aborda no livro “O Interior de Todo Artista”. Escrito por Mário Lopes, a obra traz relatos e os bastidores da vida de diversos artistas da região.

Claudete conta que foi gratificante receber o convite para contar a sua história no livro e relembrar a sua vida. “Foi muito emocionante ser convidada para esse projeto. É muito gratificante participar desse projeto coletivo. Cada vez que eu conversava com o Mário Lopes, vinham muitas emoções por conta de reviver as histórias pessoais”, relata.

A artista comentou que já conhecia o escritor de outras oportunidades, e relembra quando trabalhou com ele em um filme gravado no Palácio do Pinho em Irati. “Eu já conhecia o Mário Lopes de outros trabalhos, ele que foi o roteirista do Filme Cormorant, e também de quando eu fui secretária da Cultura. Então ele já é um amigo”, lembra.

Claudete iniciou a sua vida artística ainda na infância. De origem humilde, ela viu uma oportunidade de transformação na pintura. “Eu nasci em uma família muito pobre. Meu pai morreu quando eu tinha quatro anos e eu fiquei com duas irmãs com deficiência. Então eu nasci artista, pois sempre fui muito dinâmica e com muita energia. Desde pequena eu já me interessava por formas e desenhos. Aos cinco anos, eu conheci uma mulher que pintava em tecidos e quando eu vi aquilo, eu fiquei encantada”, afirma.


Sem dinheiro, Claudete esperou dois anos para começar a estudar o que mais tarde se tornaria sua profissão. “Ela dava cursos de pintura, eu queria fazer, mas a gente era pobre. Dois anos se passaram, eu ganhei um dinheirinho e, em vez de comprar doces, eu comprei uma tinta. Depois de um tempo, minha mãe me deu alguns pincéis de presente. Foi então que eu pude começar o curso. Foi o dia mais incrível da minha vida”, relembra.

Rapidamente ela viu a sua vida mudar e percebeu que tinha o dom para pinturas e desenhos. “Um mês depois eu já era assistente, já tinha encomendas e fazia sucesso em Mallet aos sete anos de idade. Foi então que eu comecei a ajudar a minha mãe financeiramente e vi que eu tinha condições de investir nisso. Eu tenho o dom do desenho e da pintura e, mesmo com dificuldade, eu cheguei aonde eu estou hoje, que é o meu ateliê de desenho e pintura”.

A artista comentou também sobre o seu sonho de inspirar novos artistas através de um ateliê próprio. Claudete possui uma escola de artes que leva o seu nome, onde são produzidos pinturas, artesanatos, desenhos e restaurações. “Com dez anos, viemos para Irati em busca de condições educacionais melhores para as minhas irmãs. Foi quando eu decidi que ia fazer o magistério e unir a didática e a arte. Eu lecionei por vários anos, mas o meu sonho foi sempre ter meu próprio ateliê, que foi concretizado no ano de 2000”.

Ao contrário do que muita gente possa imaginar, ela diz que a arte é usada não somente para quem deseja tornar isso uma profissão, mas que também é uma forma entretenimento, lazer e que é usada até para tratamento de ansiedade e depressão. “Já são 21 anos. Teve um ano que eu tive mais de 100 alunos. Quem tem um desejo de iniciar ou de se aprimorar nas artes plásticas, está convidado a conhecer o ateliê. É um entretenimento, é terapêutico e pode virar uma profissão. Tem gente que tem preconceito, mas é por que não conhece essa realidade”, explica a artista.

O Ateliê e Escola Claudete Basen está localizado Coronel Grácia, número 422, ao lado do Núcleo Regional de Educação.