Publicidade Topo

notícias

Teixeira Soares imuniza pessoas acima de 24 anos contra o coronavírus

Vacinação em Teixeira Soares está avançando. Para secretário de Saúde, o trabalho de mapeamento de moradores ajudou município a ampliar a vacinação/Karin Franco, com reportagem de Rodrigo Zub e Paulo Sava

30% da população de Teixeira Soares já recebeu duas doses ou dose única da vacina contra o coronavírus. Foto: Secretaria de Saúde de Teixeira Soares  

O município de Teixeira Soares já está conseguindo vacinar pessoas acima de 24 anos. O município recebeu 200 doses para imunizar a população nesta faixa etária. 

Em entrevista à Najuá, o secretário de Saúde de Teixeira Soares, Amauri Klossowski, explicou que o avanço na imunização contra a Covid-19 no município é resultado de um trabalho dos profissionais da pasta que mapearam a população local e cadastraram os moradores. “É uma estratégia simples que é a gente usar nossos profissionais da linha de frente, que são os agentes comunitários e os enfermeiros, e um reconhecimento de todo o nosso território que a gente vem fazendo desde o início da nossa gestão, para reconhecer toda a nossa população. Reconhecer e cadastrar”, disse Amauri.

Os cadastros são realizados em um sistema que contém dados dos pacientes e das famílias que moram nas residências do município. As informações são repassadas tanto por agentes comunitários, em postos de saúde ou até mesmo na Secretaria de Saúde. “Temos um sistema já informatizado contratado pelo município que conseguimos através da nossa equipe, da Estratégia da Saúde da Família, cadastrou antecipadamente as pessoas para que a gente tenha o vínculo saúde-família. Esse vínculo temos que reconhecer com a nossa população. Isso já vem acontecendo há muito tempo pelos nossos agentes comunitários que eles fazem cadastro ou na recepção da Secretaria de Saúde, de uma Estratégia de Saúde da Família. E esse cadastro conta todos os dados do paciente, e mais importante, de toda a sua família”, conta o secretário.

Mapeando e cadastrando a população, o setor de saúde de Teixeira Soares pode fazer chamadas para a vacinação. “A gente entra no nosso sistema, já imprime todas as listas, sabe onde mora cada indivíduo e já faz o chamado desse indivíduo, da sua área, do seu território em que ele pertence do seu domicílio”, explica.


Outro fator que ajudou foi a ampliação dos locais de vacinação. “A gente conseguiu avançar em quatro setores da saúde. A gente ampliou a nossa Estratégia de Saúde da Família e conseguiu montar quatro salas de vacinas no nosso município. E assim, temos uma forma mais rápida de chegada da vacina para toda a população”, disse Amauri.

São quatro pontos de vacinação nas localidades de Rio da Areia e Guaraúna, Clínica da Mulher (no novo posto de Estratégia da Saúde da Família) e no posto Antônio Pires Pedroso. “Essa estratégia tem os minipostos ainda. Por exemplo, na comunidade do Ribeirão, nós selecionamos a população, vai a enfermeira, monta a caixa, no mesmo dia da vacina do Rio de Areia, vai acontecer lá no Ribeirão”, explica o secretário.

Até quinta-feira (5), Teixeira Soares já havia recebido 7.734 doses e aplicado 5.690 doses (1ª dose) e outras 2.044 (2ª dose e única dose). Ao todo, 30% da população já está completamente imunizada com segunda dose ou única dose e 62% já receberam a primeira dose.

O secretário revelou que há pessoas que tem dificuldade de aceitar a vacinação, mas que os profissionais têm insistido para imunizar a população. “Ainda tem as recusas, mas a gente insiste a fazer, mas a gente entende o momento das pessoas. Às vezes por medo, por descrença. Mas quero deixar o recado aqui: ninguém vai sair da fila. Nesse momento, se eu não me sentir confortável de não fazer a vacina – bem detalhado, não é escolher a dose – voltem em outro momento que as portas vão estar abertas. A gente vai fazer, não queremos perder ninguém para o Covid-19”, afirma Amauri.

O secretário ressalta que como a vacinação começa a alcançar faixas etárias mais jovens, pode haver mais lentidão. “Quanto menos idade, a gente tem uma população maior. Agora com certeza a gente já vai diminuindo aos poucos esse chamado porque 18 anos a gente tem um público maior de pessoas. Então, agora é mais lento”, explica.

O secretário ainda alerta que é preciso manter os cuidados mesmo após a vacinação. “Não é porque estou imunizado que os cuidados acabaram. Só vai diminuir quando 100% de toda a nossa população estiver completamente vacinada, mas a nossa vida mudou, a partir do Covid-19. O uso de máscaras vai ser normal na nossa vida agora, o distanciamento, o aperto de mão tudo isso ainda nós temos que cuidar, principalmente, as aglomerações. Os nossos casos que estão ativos são de aglomerações”, conta.

Amauri explicou que a vacinação já tem trazido resultados positivos, pois a contaminação em idosos diminuiu. Porém, é nos mais jovens que está a preocupação. “Não perdemos mais os nossos idosos, isso diminuímos bastante, pode ver as estatísticas, que os nossos idosos pararam de morrer. Quem está acometendo, ficando mais doente são os nossos jovens ainda que não chegaram a ser vacinados”, disse.

Mesmo com a contaminação de jovens, os casos de coronavírus estão diminuindo em Teixeira Soares. “Tivemos um número bem considerável dessa redução, tanto que em 24 horas, a gente teve só dois casos. Na semana passada teve dias que tivemos zero casos. Então, isso mostra que a única chance é a vacinação”, ressalta.

Atendimento: O município de Teixeira Soares deve continuar com a Unidade Sentinela no mesmo local em que está, na Academia de Saúde, na praça central. O local funciona de segunda a domingo, das 8 às 17h. No local, dois técnicos de enfermagem trabalham juntamente com um médico para atender os pacientes suspeitos de Covid-19.

Contudo, o secretário revelou que se os casos continuarem diminuindo e o município estiver em uma boa situação em outubro, as pessoas com sintomas de Covid-19 poderão começar a ser atendidas em postos de saúde. “Ainda vamos manter ela [unidade Sentinela] em agosto e setembro. E possivelmente, como for os nossos números no início de outubro, todas as pessoas sintomáticas, com Covid-19, sintomas gripais, vão usar as nossas unidades de saúde. Tanto que a nossa expectativa que a gente vai estar vacinado nossos pacientes, a nossa população com 18 anos acima. E isso vai trazer para nós essa segurança de que a gente não vai misturar uma pessoa com Covid, com uma gestante, um idoso, alguma coisa assim”, conta.

O secretário destacou que o atendimento de casos de Covid-19 ocorre ao mesmo tempo que de outras doenças. “Vale ressaltar que a gente não parou com nenhum trabalho, as outras doenças ainda estão aí. O diabético, o hipertenso, a gestante, a gente ainda continua com todos os serviços de uma forma muito bem organizada, vale ressaltar, a gente está trabalhando com 90% dos atendimentos agendados, o que leva o conforto para nós profissionais e um planejamento para o próprio paciente. De ele marcar seu horário e na sua hora de atendimento, sem demora, sem enrolação”, explica.

Nos tratamentos de casos de Covid-19, o secretário informou que o município não usa medicamentos como cloroquina e ivermectina no chamado tratamento precoce. “Nenhum desses medicamentos entraram como protocolos de Covid para serem adotados na classe médica. Nós adotamos, sim, os medicamentos sintomáticos. Não existe um medicamento que há comprovação científica e no momento apropriado, a gente entra com tal. No primeiro momento sempre são assintomáticos. Remédio para tosse, para dor, para febre, algum anti-inflamatório. No segundo momento ou no terceiro também, corticoides via oral ou injetável. Tudo depende de como o médico vai avaliar”, disse.

O tratamento precoce não é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a OMS, no caso da hidroxicloroquina e da cloroquina, não há evidência científica até o momento de que esses medicamentos sejam eficazes e seguros no tratamento da Covid-19. Já no caso da ivermectina, a organização não recomenda o uso para quaisquer outros propósitos diferentes daqueles para os quais seu uso está devidamente autorizado, como para tratamento de oncocercose e sarna, pois a evidência atual sobre o uso desse medicamento para tratar pacientes com Covid-19 é inconclusiva.

Segundo o secretário, o município tem investido para diagnosticar os casos de coronavírus. “E principalmente, investimos muito nos exames. No diagnóstico rápido de exames, como do swab nasal, para identificar rápido e fazer o bloqueio muito preciso das pessoas que tiveram contato com caso positivo. E também caso, necessário, os exames de sangue que auxilia o médico a uma infecção mais grave, para a gente já iniciar uma terapêutica mais grave. Também como exames de imagem, tomografia, Raio-X que dão um suporte muito maior e uma segurança para o paciente em relação ao tratamento. E também uma transferência, se for necessário”, explica.

Retorno das aulas: Ao contrário de outros municípios da região, Teixeira Soares deverá retornar com as aulas presenciais somente no fim de agosto. Isso porque até lá, todos os professores devem estar vacinados com a segunda dose. “Estamos programando o retorno às aulas no dia 30 de agosto. Creio que sejamos um dos únicos municípios que não tinham retornado. Mas estávamos esperando chegar nos 25 anos a 26 anos para esse retorno. E também em respeito aos nossos mestres para a vacinação com a segunda dose”, explica.

A volta às aulas será no sistema híbrido, com 50% dos alunos de uma turma tendo aula presencial e os outros de forma online. “Isso vai trazer já, não um experimento, mas uma ambientalização dos alunos nas salas de aulas para o próximo ano a gente já consiga avançar com 100% dos alunos em sala de aula”, disse.

No caso da Educação Infantil, os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) também voltarão a ter aulas, mas somente com crianças da pré-educação. As crianças do berçário e maternal não voltarão às aulas presenciais, já que as salas de aulas serão usadas pelos alunos maiores para que possa haver distanciamento entre as crianças.

Com a volta das aulas, o transporte escolar também voltará com 50% de capacidade de alunos do município e do estado. A volta às aulas está sendo realizada em conjunto com as Secretarias de Educação e Saúde. “A gente tem o programa Saúde da Escola que o município faz juntamente com a educação. Foi investido muito em equipamentos de proteção individual, máscara, álcool em gel, totem, termômetro. Tudo tem na escola. Nós vamos fazer essa semana dispensa de licitação, mas foram mais de 50 mil de equipamentos de proteção individual, tanto para os mestres, como para os alunos. Vamos conseguir, se Deus quiser, avançar nas escolas sem nenhum caso”, conta.