Publicidade Topo

notícias

Rio Azul realiza projeto de castração de animais de famílias em vulnerabilidade social

Projeto está sendo feito em parceria com o Centro Universitário Campo Real, de Guarapuava/Karin Franco, com reportagem de Rodrigo Zub e Paulo Sava

Castrações dos animais são realizadas pelos alunos do Centro Universitário Campo Real. Foto: Divulgação

A prefeitura de Rio Azul lançou um projeto de controle populacional de animais, por meio da castração de cadelas pertencentes às famílias em situação de vulnerabilidade social. O projeto está sendo realizado em parceria com o Centro Universitário Campo Real, de Guarapuava, que realiza as castrações.

Nesta primeira etapa serão contempladas 100 cadelas, sendo que 80 castrações já foram realizadas. Os animais pertencem às famílias cadastradas na Assistência Social como em situação de vulnerabilidade social. “A gente já está quase concluindo. Mais uma semana, duas semanas, no máximo, vamos concluir essa primeira leva que são 100 cadelas”, explica o prefeito de Rio Azul, Leandro Jasinski.

A ideia do projeto nasceu com o estudante de Medicina Veterinária da universidade, Pedro Ramon Moretto, que é de Rio Azul e atualmente realiza estágio em Rondônia. “Esse projeto surgiu através da união da prefeitura e o Centro Universitário Campo Real, através de uma matéria que eu tive na minha grade curricular que se chama Projeto de Extensão: Extensionismo Rural”, conta.


No projeto, os animais são selecionados e enviados para o Departamento do Centro Veterinário da Universidade Campo Real, em Guarapuava. “Os animais são selecionados em Rio Azul, um dia antes de ser levado para Guarapuava. Desembarcam, são levados para Guarapuava e chegam lá. Na parte do hospital, quando chegam, é feito a pesagem desses animais, é feito a ficha e eles são identificados com o nome. Se coloca o nome, faz a identificação, faz a pesagem e você passa para os exames físicos dos animais. Depois disso, o exame físico vai te dizer se o animal é apto ou não para realizar a cirurgia no momento”, explica o estudante.

Após a verificação das condições do animal, a cirurgia de castração é feita. “O animal chega na sala de indução, é feito a indução, é calculado todas as doses corretas para esse animal, dose anestésica, sedativo. Então, ele parte para a mesa de cirurgia, retorna de lá. Fica no pós-operatório. Toda a medicação sendo oferecida. E ele permanece por uma semana dentro do hospital. Depois ele volta para Rio Azul e outra leva chega no hospital novamente”, detalha Pedro.

Na primeira etapa do projeto, prefeitura de Rio Azul realizará castração de 100 animais por meio de uma dispensa de licitação. Foto: Divulgação

O transporte dos animais é feito com recursos do município. “Nós temos o veterinário que acompanha, temos o nosso caminhão. As cadelas vão nas caixinhas, bem cuidadas. O veterinário acompanha a ida e a volta”, explica o prefeito.

Segundo Leandro, o objetivo é continuar com o projeto e expandi-lo. “A prioridade é quem está cadastrado na Assistência Social, mas a nossa intenção é expandir para a cidade inteira”, disse.

O projeto realizado com a universidade possibilitou a diminuição de custos para realizar as castrações. Der acordo com o prefeito, nesta primeira etapa foi realizada uma dispensa de licitação, no valor de R$ 14 mil, sendo que cada castração está saindo no valor de R$ 140. Em clinicas particulares, o valor pode variar entre R$ 300 a R$ 500 por procedimento. “É um custo bem baixo. Praticamente, a faculdade paga somente o custo. E utiliza os alunos para fazer os procedimentos. Mas tudo com responsabilidade. É um programa muito bom, custo baixo para o município e podemos trazer um benefício muito grande, principalmente o controle populacional dos cães”, avalia Leandro.

Com o término da primeira etapa, a previsão é fazer uma licitação em torno de R$ 30 mil para conseguir abranger mais cães. “A gente vai fazer uma licitação para, no mínimo, mais 200 cadelas. Já foram 100 cadelas no início e vamos fazer uma licitação para, no mínimo, 200 cadelas. E assim vamos continuando. Terminando essa licitação, é um projeto, um programa que pretendemos manter durante o mandato inteiro”, conta. “A intenção é continuar fazendo de pouco a pouco. Estipular uma meta de 20 cadelas por mês ou mais até, para podermos continuar no mandato inteiro”, complementa o prefeito.

A realização do projeto tem sido apoiada também por vereadores e pelo grupo Rio Patas, que conta com pessoas que defendem o cuidado com os animais. Para que o projeto fosse concretizado, o prefeito de Rio Azul foi até a universidade para verificar as estruturas. “O departamento do Centro Veterinário da Universidade Campo Real é muito estruturado. Os professores que trabalham lá são caprichosos. Eles têm um trabalho enorme pelos animais que vão lá. E a estrutura que eles têm é a estrutura de um hospital de grande centro”, conta.

Os animais são levados em grupos de dez cadelas e chegam a ficar uma semana no pós-operatório. “Eles têm as baias como é chamado que fica cada animal, cada cadela que recebe os tratamentos, recebe a medicação e quando já está apto para voltar para casa, volta na outra leva. Na outra semana que o caminhão vai levar mais cadelas, já traz as que foram na semana passada. Se algum animal permanecer com alguma dificuldade, algum sintoma, fica mais uns dias se for necessário. Mas até agora, graças à Deus, todos os que foram, voltaram muito bem”, explica o prefeito.

O estudante Pedro destaca que o projeto deverá trazer benefícios ao município. “A castração de fêmeas é muito importante porque você vai fazer o controle populacional de animais, você vai diminuir ninhadas indesejadas, cópulas indesejadas, aquele monte de cachorro que cria e não tem dono e fica abandonado na rua sofrendo. Você diminuiu a incidência de doença transmissíveis entre os animais. Diminui o índice de doenças zoonóticas que são doenças transmissíveis dos animais para os seres humanos. E também esses animais vão parar de receber a vacina do anti-cio que também é um grande problema porque é uma bomba de hormônio e esses hormônios a longo prazo podem levar a alguns problemas para esses animais”, disse.

Contudo, o prefeito reconhece que além das castrações, será necessário um trabalho de conscientização para que as pessoas não abandonem animais. “Isso é um trabalho de conscientização que a gente tem que trabalhar com as pessoas. Nós temos um grupo grande em Rio Azul que cuida, que está defendendo as causas dos animais. E é importante a conscientização. Vamos trabalhar nesse sentido também”, afirmou.

Transporte de animais até Guarapuava é realizado em um veículo cedido pela prefeitura de Rio Azul. Foto: Divulgação