Publicidade Topo

notícias

Homem fica ferido durante explosão em Colégio no interior de Rebouças

Funcionário que estava trabalhando no local atingiu uma tubulação de gás. Houve danos na rede elétrica e hidráulica da instituição

Imagem de câmera de segurança registrou momento da explosão. Foto: Divulgação

Um homem ficou ferido durante uma explosão em uma tubulação de gás no Colégio Estadual de Faxinal dos Marmeleiros, no interior de Rebouças, na tarde de segunda-feira, 16. O diretor da instituição, Paulo Gelson Rodrigues, disse que um funcionário de uma empresa terceirizada da prefeitura estava colocando telas de proteção nas janelas e portas para impedir a entrada de insetos.

Imagens de uma câmera de segurança registraram a explosão. Confira o vídeo no fim do texto

Em um determinado momento, o funcionário perfurou o chão e acertou a tubulação de gás. Com isso houve uma pequena explosão. O diretor contou detalhes do incidente ao jornalista Clayton Burgath do portal Notícia da Região. “O funcionário perfurou o chão acertando a tubulação de gás. Com isso, o atrito da furadeira gerou a chama produzindo chama de uma altura de três metros atingindo a rede hidráulica que liga um bloco ao outro e também parte da rede elétrica. Além do estouro do gás houve rompimento do abastecimento de água e parte da rede elétrica foi comprometida”, revelou Paulo.

O trabalhador sofreu ferimentos nos braços, rosto e pescoço. O homem foi conduzido inicialmente para um posto de saúde que fica em frente ao Colégio. Em seguida, ele recebeu atendimento da equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e foi encaminhado para o hospital Dona Darcy Vargas para ser avaliado. A Defesa Civil de Rebouças foi acionada para prestar atendimento no local.

Conforme o diretor do Colégio, foram registrados danos em um duto de gás e também nas redes hidráulica e elétrica. Coincidentemente, a secretária de Educação de Rebouças, Elismara Cristina Gempka Teixeira, estava presente na instituição no momento do incidente e acionou as equipes para providenciar os reparos necessários.

“A secretária de Educação estava na escola e já acionou funcionários da prefeitura para fazer a correção da rede de abastecimento de água, que foi corrigida ontem, e da rede elétrica foi um eletricista da prefeitura resolver o problema. Para hoje ficou só pessoal da prefeitura fazer avaliação da central de gás para ver se há possibilidade de fazer o conserto ainda hoje”, relatou Paulo.

O diretor salientou que o funcionário Jair, que é brigadista, foi ágil e conseguiu desligar a central de gás, que fica há cerca de três metros do local onde ocorreu a explosão. “Isso foi determinante para que não houvesse danos maiores. Até porque se continuasse o fogo ia pegar a rede elétrica e poderia comprometer a rede elétrica dos dois prédios”.