Publicidade Topo

notícias

Unidade Sentinela tem queda no número de atendimentos de casos de Covid-19

Médica Ismary Llañes, responsável pela unidade, ressalta que o número de pacientes atendidos no local caiu de cerca de 100 a 120 para 50 por dia/Paulo Henrique Sava
Unidade Sentinela teve uma redução no número de pacientes atendidos no mês de julho. Foto: Paulo Henrique Sava

A Unidade Sentinela da Secretaria Municipal de Saúde de Irati, instalada no barracão esportivo Vadico Cabral, no Estádio Municipal Abrahm Nagib Nejm, apresentou uma diminuição no número de pacientes com suspeita de Covid-19 nos últimos dias. De acordo com a médica responsável pelo local, Ismary Llañes, entre maio e junho eram atendidos por dia cerca de 100 a 120 pacientes com suspeita de Covid-19. Em julho, este número caiu para uma média de 50 atendimentos diários. Por conta desta redução, a unidade passou a atender em horário reduzido, das 08h às 17 horas todos os dias. Aos sábados, dependendo da demanda, o horário é o mesmo, podendo fechar antes. Entretanto, a unidade continua atendendo com dois médicos, um em cada período do dia.

Na manhã desta sexta-feira, 23, foram atendidos no local cerca de 20 pacientes. A médica atribui esta redução à conscientização das pessoas sobre a gravidade da doença. Somente quem de fato tem necessidade está procurando a unidade. Ela falou também sobre outros fatores que podem ter resultado nesta baixa, como a vacinação, por exemplo.

“Podemos pensar que as pessoas estão sendo conscientes e está procurando realmente quem precisa. Não vamos pensar que todos estão querendo ficar em casa. Se é assim, eu acho que todas as medidas tomadas pelo município estão dando certo e o resultado esperado. Os lockdowns que foram feitos, as restrições de aglomerações, da entrada de crianças nos mercados, estamos agora colhendo os frutos disso. Também a vacina, que não é segredo para ninguém que ajuda a controlar a doença e os casos graves”, frisou.

Ismary acredita que o kit de medicamentos adotado pelo município, mesmo não tendo comprovação científica, ajudou a reduzir a quantidade de casos graves de Covid-19 no município. “Por exemplo, no mês de maio, os pacientes que consultavam na nossa Unidade Sentinela e na UPA chegavam com um estado mais grave. Agora, os nossos pacientes não estão passando pela fase mais grave da doença, o que pode ser atribuído a esta medicação utilizada aqui em Irati”, comentou.

Segundo a secretária de saúde, Jussara Aparecida Kublinski Hassen, a maioria dos profissionais de todas as unidades, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, foram remanejados para a Unidade Sentinela, especialmente durante o pico de casos entre maio e junho. Houve, inclusive, a necessidade de encerrar o atendimento da unidade de saúde François Abib, uma vez que toda a equipe foi deslocada para a Unidade Sentinela. O grupo de trabalho da Unidade Volante de Vacinação do Parque Aquático também foi montada com profissionais remanejados. No entanto, com a redução dos atendimentos e o término da vacinação, eles devem voltar aos seus locais de trabalho originais.

“Hoje você não sabe mais qual é o enfermeiro ou o técnico que trabalha em qual unidade porque estão todos remanejados. Agora, com a baixa procura e com a vacina, vamos começar a realocar de novo o pessoal nas unidades de origem”, afirmou.

A secretária acredita que, se o número de casos suspeitos continuar diminuindo, até o final de agosto os profissionais das unidades de saúde serão treinados para fazer a coleta e o atendimento a pacientes com suspeita de Covid-19. Para suprir o deslocamento de profissionais para a Unidade Sentinela e o Pavilhão do Parque Aquático, foram contratados novos médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem pelo Consórcio Municipal de Saúde (CIS/Amcespar). “Através do CIS/Amcespar, contratamos bastante, não sei te falar hoje, mas foram mais de 50 pessoas contratadas nesta época de pandemia”, pontuou Jussara.

Para Jussara, a abertura das unidades em alguns finais de semana também contribuiu para a redução dos casos. Entretanto, ela ressalta que escalar profissionais para este trabalho não é uma tarefa fácil, pois eles também precisam de folga e estão há um ano e meio nesta batalha. Ela pontuou também que a abertura nos finais de semana depende da quantidade de doses disponíveis. “Todos os vacinadores têm um cadastro do Estado e do Ministério da Saúde. Quando não dá para abrir no final de semana, além de terem vindo poucas doses, nossa equipe de vacinadores trabalhou nos três últimos finais de semana, e são as mesmas pessoas. Elas têm filhos, marido, esposa, pai, mãe, têm família, pegam Covid e ficam doentes. Eles precisam de pelo menos um final de semana para descansar”, comentou.


A enfermeira Denise Homiak Fernandes destacou que funcionários das unidades que permaneceram fechadas nos finais de semana foram chamados para auxiliar em outros postos. “De uma forma ou de outra, foram os mesmos funcionários que trabalharam toda a semana”, afirmou.

Denise avalia que a vacinação de pessoas na faixa etária de 40 anos irá reduzir ainda mais o número de casos e a gravidade da doença. Ela esclarece que a abertura da vacinação para novas faixas de idade depende diretamente da quantidade de doses destinadas para o município. “Como a vacina vem apenas uma vez por semana, divulgamos o cronograma para a semana toda com aquela quantidade de vacinas que recebemos. É para isto que serve o cadastro que está disponível no site da prefeitura, pois é através dele que conseguimos contabilizar a quantidade de pessoas por idade e abrir (a vacinação) conforme recebemos a vacina”, frisou.

A enfermeira Jéssica Cristina de Matos avaliou a importância de toda a população se imunizar. “Fazemos um apelo à população: se já chegou a sua vez de tomar a vacina, procure, não escolha fabricante, pois vacina boa é vacina no braço. É extremamente importante tomar as duas doses da vacina (caso você tenha recebido a dose de um fabricante que necessita de duas para completar o esquema). Procure a unidade de saúde próxima da sua casa ou aquela na qual você tomou a 1ª dose e complete seu esquema. Só assim nós conseguimos garantir cada vez mais que nossa população avance no combate à pandemia”, comentou.

Situação de algumas unidades - Nossa reportagem visitou algumas unidades de saúde para constatar como estão os atendimentos. Na unidade da Vila São João, dois médicos atendem a população de segunda a sexta-feira. Um pediatra também presta atendimento no local às segundas e sextas-feiras. Em média, são realizadas 60 consultas gerais por dia. A unidade também recebe cerca de 95 pessoas procurando a vacinação contra a Covid-19 diariamente. Já para receber a imunização contra a gripe, são aproximadamente 60 pacientes/dia e outras 40 procuram as vacinas de rotina. Outros quatro funcionários fazem visitas domiciliares a pacientes acamados no período da manhã. A unidade conta também com uma psicóloga que atende todos os dias.

Já a Unidade de Saúde Ademar Vieira de Araújo conta com dois médicos, sendo um clínico geral diariamente e um pediatra, que atende às sextas-feiras pela manhã. Em média, são realizadas de 30 a 40 consultas gerais todos os dias e cerca de 30 consultas pediátricas semanalmente. A média de doses de vacina contra a Covid-19 aplicadas por dia varia entre 100 a 120; já a imunização contra a gripe é aplicada em cerca de 100 pessoas diariamente. Outros 40 pacientes procuram as vacinas de rotina.

Fotos: Paulo Henrique Sava


Movimentação na UBS da Vila São João na terça-feira, 20

Funcionários do posto da Vila São João colocaram uma máscara no cartaz elaborado pela Prefeitura de Irati 

Movimentação na UBS Ademar Vieira de Araújo

Na foto, estão a médica Ismary Llañes, a secretária Jussara e as enfermeiras Denise e Jéssica