Publicidade Topo

notícias

Iratienses são contra retorno da mão dupla na rua 19 de Dezembro

Enquete realizada pela Prefeitura nas redes sociais verificou que 66,8% dos iratienses que participaram não concordam com a alteração/Karin Franco, com reportagem de Juarez Oliveira e Rodrigo Zub

Mudança de sentido da rua 19 foi cogitada após pedido da diretoria do CIS/Amcespar, que passou a funcionar em prédio em cima da loja Mercado Móveis. Foto: Lennon Diego Gauron

A maioria dos iratienses se mostrou contrária ao retorno da mão dupla na rua 19 de Dezembro. O resultado foi verificado em uma pesquisa divulgada nas redes sociais da Prefeitura de Irati.

O levantamento, feito por meio da plataforma Google Forms, teve 4.722 respostas, sendo que 66,8% votaram contra e 33,2% apoiaram a alteração. A votação ficou aberta entre quinta (17) e segunda-feira (21). Em entrevista à Najuá, o secretário de Planejamento, João Almeida Junior, disse que a participação da população surpreendeu. “Desses 4.722 votantes, praticamente 4.100 tinha participado nas primeiras 24 horas”, relata.

A pesquisa foi realizada após uma demanda do Consórcio Intermunicipal de Saúde (CIS/Amcespar). A partir de segunda-feira, dia 28 de junho, as consultas do consórcio serão realizadas no prédio acima da loja Mercado Móveis, da rua de 19 de Dezembro. Com a mudança, o consórcio consultou a prefeitura sobre a possibilidade de mudança do trânsito no local. “Ele veio com uma demanda para que os ônibus que param, trazendo pacientes de outras cidades, eles estacionem ao lado direito dos ônibus, para que as pessoas desçam deste ônibus em frente ao prédio”, explica o secretário.


Como havia dificuldade de fazer alteração apenas neste trecho, surgiu a ideia de realizar a enquete com a população para verificar se havia concordância com o assunto. “Nós não teríamos como fazer apenas a alteração de uma quadra, que seria hoje entre a Arauto [Motos] e o Mercado Móveis, fazer essa alteração de trânsito, então surgiu não a ideia, mas demanda de fazermos alteração no trajeto inteiro da rua 19 de Dezembro como era antigamente”, disse João Almeida.

Normalmente, essa consulta é feita em uma audiência pública, onde a população consegue manifestar suas opiniões. No entanto, com a pandemia não é possível realizar aglomerações e a Prefeitura de Irati decidiu realizar a consulta de forma online. “Normalmente, nós fazemos audiência públicas. Em época de pandemia, isso fica um pouco comprometido, não vamos fazer aglomeração de pessoas, então nós fizemos uma enquete”, explica o secretário.

Com o resultado verificado, a mudança não deverá ser realizada. “Dois terços dessas mais de 3 mil pessoas votando pela permanência como está hoje, esse assunto, como já havia sido no Conselho Municipal de Trânsito debatido várias vezes, ele ficou praticamente hoje está encerrado. A rua 19 permanece como está, permanece de mão única, sentido bairro-centro”, afirma João Almeida.

O secretário ainda explicou que a opinião popular apenas reiterou uma decisão que já havia sido tomada em discussões anteriores. “Nós já tínhamos uma solicitação de alguns empresários da região, surgiu essa demanda nova do Consórcio de Saúde. Nós já tínhamos o parecer da Comissão de Trânsito, nós sabíamos que era contrário a esta mudança. Mas nós queríamos sentir a opinião da nossa população, sentir o que nossa população achava”, disse.

Se o resultado fosse contrário, ou seja, pela volta da mão dupla, a situação ainda seria estudada. “Caso desse ao contrário, nós teríamos que fazer um estudo de uma outra rua binária ali, conversar com a Comissão de Trânsito, conversar com os nossos engenheiros. Não que essa mudança ocorreria ainda essa semana. Ocorreria, lógico, nos próximos dois, três meses, mas nós respeitaríamos, como sempre, vamos respeitar a opinião da população”, destacou.
 
Enquete realizada pela prefeitura teve participação de 4.722 pessoas. Foto: Divulgação

Como a rua 19 de Dezembro permanecerá como está, o município estudará novas formas de facilitar o trânsito no local, já que o movimento aumentará a partir do dia 28. “Nós vamos que ter alguma alternativa, seja um estacionamento exclusivo para esses ônibus, deixar as pessoas logo após sair, seja uma travessia elevada, para aumentar a segurança desses pacientes. A demanda vai aumentar muito, a quantidade de pessoas naquele setor do município, naquela região da cidade. Ou faremos uma travessia elevada, ou faremos um recuo para que os ônibus tenham um estacionamento exclusivo para eles. A alteração de tráfego não terá”, conta o secretário.

O sucesso da participação popular na pesquisa também incentivou a Prefeitura de Irati a planejar outras enquetes por meio das redes sociais. “É um novo modo de nós fazermos essas, o que seria antigamente de audiência públicas. Nós continuamos fazendo ela com uma participação muito maior. Em nenhuma audiência nós conseguiríamos, nem 10% o que conseguimos nessa votação”, avalia João Almeida.

A intenção é continuar realizando pesquisas para saber a opinião da população. “Agora nós lançaremos praticamente uma a cada 15 dias ou uma a cada três semanas cada enquete, seja ela da área educacional, da área da saúde. Essa como era da área de planejamento e trânsito, precisávamos sentir a adesão da população. Como ela foi excepcional, nós gostamos dessa participação. Tivemos uma participação até acima da nossa expectativa, por ser uma enquete inicial, por ser um modelo novo e nós lançaremos, sim, várias enquetes para a população”, conta.

Discussão antiga: O debate para a volta da mão dupla na rua 19 de Dezembro é antigo. Quem é favor do retorno, aponta que os carros passam no local em alta velocidade, trazendo riscos no trânsito de pedestres e ciclistas. Quem é contra alega que a mão dupla dificultará o fluxo de veículos no local e trará dificuldades no trânsito. Contudo, modificações na rua 19 de Dezembro tem sido alvo de debates ao longo dos anos, principalmente, entre comerciantes que pedem uma revitalização na via para atrair empresas e clientes.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Irati (SindiIrati), Airton Trento, que também participou da entrevista com João Almeida, disse que as entidades ligadas ao comércio do local já apoiaram a volta da mão dupla, já que a alta velocidade dos carros tem prejudicado especialmente ciclistas na região. “O SindiIrati e até a Associação Comercial [Associação Comercial e Empresarial de Irati – ACIAI] realmente defenderam a ideia de fazer com que essas vias se tornassem de mão dupla, porque quem utiliza diariamente, como nós aqui de cima essas vias, percebe que o ciclista foi o grande prejudicado. É muito fácil atropelar um ciclista que vem na contramão porque eles também em tese deveriam respeitar a mão”, relata.

Contudo, o presidente destaca que para realmente ajudar o setor não basta apenas mudar o direcionamento da via, mas sim, ter um planejamento maior para a região, olhando também para as ruas em torno da 19 de Dezembro. “Já não é de hoje que nós reivindicamos melhorias em todo esse entorno das ruas Trajano Gracia e 19 de Dezembro, que foram muito importantes e são muito importante para a economia. Nós temos alguns problemas como estes relacionados aos ciclistas. Já percebemos que no centro tem pistas de caminhadas, nos bairros tem, e aqui foi esquecido completamente. O que nós reivindicávamos era melhoria na rua Senhorinha Lopes, porque temos um grande esforço para desafogar o centro para o bairro, mas do bairro do centro não temos nenhuma obra efetivamente realizada pelo município”, disse Trento.

Para ele, fazer uma mudança dessas para apenas uma instituição é desnecessário. “Se soubessem que por trás disso haveria um grande projeto de revitalização, essa pesquisa já com 66,8% seria vitoriosa. Porque o pessoal votou dessa forma sem saber nada. Mas agora conhecendo que é só uma quadra, só para efetivar realmente uma necessidade pública, eu acho desnecessária a obra. Mas vamos pensar aí, eu acredito sempre, eu sempre fui uma pessoa que sempre defendeu semáforos perto do hospital, onde sempre tem dado acidente. Semáforos inteligentes, onde a ambulância não precisa parar mais naquelas avenidas que cada vez mais ficam mais violentas e mais rápidas”, conta.

O presidente ainda destaca que precisam ser realizadas outras melhorias no trânsito. “A ideia do SindiIrati seria já a partir do Posto Nadir, um pouco antes, começar a fazer essa dispersão dos veículos que entram na nossa cidade. Nem todos precisariam utilizar a 19. Alguns poderiam ir para a Avenida Getúlio Vargas, coloca sinalização, semáforo. Já tem uma rua pronta para desviar para o centro. Outra é pela Senhorinha Lopes. O pessoal da Senhorinha Lopes teve uma época uma rejeição muito grande de um projeto dessa natureza, no entanto tem que perceber que uma obra dessa envergadura vai trazer vantagens para eles. Vai se tornar uma rua mais comercial, vai ter uma valorização melhor, novos investimentos, novos empreendimentos é coisa da natureza do SindiIrati”, explicou.

Segundo Trento, os comerciantes querem que haja diminuição do tráfego nas ruas 19 de Dezembro e Trajano Gracia para trazer mais segurança aos pedestres. “Nos interessa muito ver essa rua 19 e a Trajano Gracia com uma diminuição da velocidade. Coisas que não acontecem na Antônio Cavalin, onde sempre tem dado impactos violentos, na Getúlio Vargas da mesma forma, pessoas que perderam até membros ali, em acidentes com [colisões em] postes. O acidente e a morte vão ter em qualquer situação. O que tem que fazer, de repente, é um grande projeto para trazer arborização, pista de caminhada, pista de ciclismo, bancos, deixar uma coisa mais legal de sair à noite e desfrutar de uma cidade”, disse.

O presidente do SindiIrati acredita que o período da pandemia é o momento para a prefeitura se planejar. “Hoje estamos na pandemia, mas quando voltar a nossa cidade a circular os veículos de forma normal, vai ser outro problema a ser enfrentado. Então, o melhor momento para fazer um planejamento seria agora”, conta.

Obras: De acordo com o secretário de Planejamento, o município tem realizado projetos durante a pandemia e também estudado mais opções para melhorar o urbanismo da cidade.

Um dos projetos é de uma ciclovia que poderá ligar ruas como da região da 19 de Dezembro, Vitor Ferreira do Amaral, Nossa Senhora de Fátima e Getúlio Vargas. “No ano passado nós lançamos um projeto ambicioso que é o acréscimo de 30 km de ciclovias no município de Irati. Nós já iniciamos na perimetral e iremos continuar agora esse mês mais um quilômetro. Queremos tornar Irati uma das cinco cidades com maior número de quilômetros de ciclovia pelo tamanho do seu município, pela quantidade de rua que nós temos. Nós queremos fazer com que 5% das ruas de Irati tenham ciclovias”, disse João Almeida.

Outro projeto é em relação à arborização. “Nós estamos com um projeto grande de arborização, devemos terminar ele no mês de julho, apresentar ele em audiência pública, seja virtual, seja presencial ainda neste comecinho do próximo semestre e ainda esse ano implementarmos”, contou.

O secretário ainda afirmou que a instalação de semáforos no município está descartada pela administração. “Semáforos é uma questão para esta administração ponto descartado. Nós não queremos semáforos. Aonde colocamos rotatória ou as mini-rotatórias, o trânsito passou a fluir de uma forma mais uniforme. Ninguém para. Dá aquela paradinha rápida. Veja o trânsito como era na Vicente Machado, próximo do campo do Iraty, próximo da linha do trem, na rua da Liberdade. Deu uma fluência melhor nela. Aquela rotatória que tinha o sinaleiro próximo à Santa Casa também diminuiu drasticamente o número de acidente. Semáforos não acreditamos que seja a solução para o trânsito de Irati”, afirmou.

Um dos locais que deve ocorrer a substituição de semáforos por rotatórias são as ruas localizadas próximo ao Posto Nadir. Segundo o secretário, essa substituição ajudará a diminuir custos. “Cada semáforo desses custa em torno de R$ 500 mil esses semáforos inteligentes. O custo da rotatória é infinitamente menor e dá agilidade tão boa quanto um semáforo inteligente”, disse João Almeida.

Já na região da rua Senhorinha Lopes, o secretário destacou que o município vê a realização de outro trajeto que acaba ajudando a diminuir o tráfego nas ruas 19 de Dezembro e Trajano Grácia. “Nós acreditamos que a melhor opção de fluxo de veículos seja pela Vitor Ferreira do Amaral ou pela Nossa Senhora de Fátima. Seriam as paralelas inferior a 19 de Dezembro. Porque na Senhorinha Lopes nós jogaríamos esse trânsito, o final dele seria próximo da delegacia. Teria várias curvas. Então, pela Nossa Senhora de Fátima e Vitor Ferreira do Amaral seria praticamente linha reta e paralela, faria um binário com a Antônio Cavalin, e traríamos uma diminuição de velocidade e do fluxo de veículos em alta velocidade, como Airton comentou, no trecho da Trajano Gracia e na 19 de Dezembro”, comentou.

Há ainda um outro projeto que está pendente em relação à Copel. “Nós estamos com um projeto muito grande de iluminação pública. Fizemos mês passado a inscrição de uma chamada pública da Copel. Fizemos um projeto de mais de 350 páginas neste projeto da Copel. Esperamos ser um dos municípios paranaenses contemplados com este grande projeto”, contou.

O município possui ainda projetos ligados ao Governo do Estado. “Nós temos um programa grande que se encerra no final do mês que é a inscrição de obras no Paraná Mais Cidade, que é um projeto de R$ 500 milhões do Governo do Estado para projetos nos municípios. Nós já temos garantidos mais de R$ 10 milhões. Então, de R$ 500 milhões que seria para o estado inteiro, quase 3% virá ao município de Irati. No Governo Federal, apenas de pavimentação no interior do município junto aos deputados federais uma garantia de mais de R$ 7 milhões com o deputado Evandro Roman, com a deputada Leandre, com o deputado Sandro Alex, já conseguimos algumas pavimentações”, disse.

João Almeida ainda destacou que o município realizou em parceria com a ACIAI e a Câmara Municipal um Plano Municipal de Atração de Investimentos, por meio da Fomento Paraná. “Já está pronto esse caderno de encargos, estamos apenas esperando uma agenda com o governador do Estado para fazer a entrega deste plano ao prefeito Jorge Derbli, junto com a Associação Comercial. Neste plano de atração de investimentos temos que fazer algumas mudanças drásticas no nosso Plano Diretor. Fazer com que, como o Airton comentou, fazer com que empresas de outras cidades se instalem, dar condições à que as empresas locais tenham um fomento de atração de investimentos, fazer com que a nossa construção civil tenha um ganho de construções, seja eles de prédios residenciais, comerciais”, explicou.

Sobre a situação do Consórcio, o secretário disse que a Prefeitura de Irati já doou um terreno ao Governo do Estado para a construção da sede da entidade. Agora, o município espera o andamento dos trâmites dentro da administração estadual para o início das obras. Segundo ele, a localização do Consórcio na rua 19 de Dezembro deverá ser temporária. “Após esse aluguel veio para nós e nós estamos procurando soluções para que dê mais segurança tanto para motoristas como para usuários do Consórcio. Sabemos que é provisório, ou seja, aproximadamente um ano, dois anos que o Consórcio ficará neste prédio para depois ir para sede própria”, disse.