Publicidade Topo

notícias

Governo estadual repassa cinco ambulâncias para SAMU Regional

Cidades de Irati, Imbituva, Inácio Martins, Rio Azul e Teixeira Soares foram beneficiadas/Karin Franco, com reportagem de Rodrigo Zub e Juarez Oliveira

Prefeitos Celso Kubaski (Imbituva), Leandro Jasinski (Rio Azul), Jorge Derbli (Irati) e Junior Benato (Inácio Martins) receberam ambulâncias do governo estadual. Eles aparecem na foto ao lado do chefe da 4ª Regional, Walter Trevisan. Foto: Américo Antonio/SESA

Municípios da região receberam na terça-feira (1º) cinco ambulâncias de suporte básico para ampliação da cobertura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) na 4ª Regional de Saúde de Irati. Os municípios contemplados foram Irati, Imbituva, Inácio Martins, Rio Azul e Teixeira Soares.

As ambulâncias somam um investimento de R$ 850 mil, sendo que cada veículo custa R$ 170 mil. Os investimentos foram realizados pelo Governo Estadual.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, explicou em entrevista à Najuá que as ambulâncias entregues nesta semana são diferentes dos veículos normais. “Não são ambulâncias comuns que são usadas no transporte dentro da cidade, são transportes para o SAMU. O SAMU é um hospital sobre rodas. É um hospital prévio à própria internação hospitalar que muitas vezes pode salvar a vida das pessoas”, explicou.

As ambulâncias que compõem o SAMU da região são de dois tipos. “A ambulância Alpha é a ambulância que é tripulada por médico. É mais direcionada parta atendimentos onde o própria central de regulação do SAMU reporta casos que necessitam da intervenção médica. As ambulâncias Bravo têm outro contexto. É tripulada pela enfermeira, técnico de enfermagem, o motorista, e ela faz o primeiro atendimento, o primeiro combate. Na verdade, todas elas se complementam, mas a quantidade maior é a de ambulâncias Bravo”, disse o secretário.


Os novos veículos integrarão o Consórcio Intermunicipal SAMU dos Campos Gerais (CIMSAMU), que atende 28 cidades da abrangência de três Regionais de Saúde (3ª, 4ª e 21ª). “Hoje estamos dando um passo importante. Faltavam algumas regionais de saúde para fechar a cobertura do SAMU Regional em todo o estado do Paraná. Nós, quando entramos aqui em 2019, mandato do governador Ratinho Junior, tínhamos 75% de cobertura e hoje com a construção do SAMU da Regional de União da Vitória e da Regional de Saúde de Irati, vamos ficar apenas finalizando as negociações e articulações com os municípios da Regional de Guarapuava para conseguir fechar 100% de cobertura do SAMU em todo o estado do Paraná”, relata Beto Preto.

O secretário ainda reiterou que os trâmites dentro do Ministério da Saúde estão seguindo normalmente. Após a habilitação por meio do Ministério da Saúde, os municípios poderão ter reduções do valor pago mensalmente para ter o atendimento das ambulâncias. “O processo de reconhecimento do SAMU Regional de Irati está avançado no Ministério da Saúde e logo, logo estará contemplado o que é importante, o que vai garantir inclusive mais financiamento para a continuidade dos trabalhos na região”, disse.

Em vídeo postado no Facebook, o prefeito de Rio Azul, Leandro Jasinski, disse que a ambulância repassada ao município também vai atender as cidades vizinhas de Rebouças e Mallet. Leandro agradeceu o apoio do secretário Beto Preto. “Nós agradecemos todo o esforço do governo do Paraná neste momento difícil da pandemia. A unidade do SAMU que vai ficar em Rio Azul vai atender Rebouças e Mallet, mas a base será em Rio Azul. Hoje vamos levar a ambulância para já iniciar o trabalho. Nós parabenizamos o senhor [Beto Preto] por todo o esforço que está tendo junto com o governador Ratinho, você que foi prefeito [Beto Preto foi prefeito de Apucarana entre 2013 e 2019] sabe as dificuldades que o prefeito tem frente ao município e principalmente em um momento tão difícil”, disse Leandro.

Logo após o prefeito de Rio Azul se manifestar, o próprio Beto Preto falou sobre a importância do investimento em saúde. “Esse projeto está para sair do papel há mais de dez anos. Saúde não deve ser encarada como gasto em saúde de um município ou estado. Saúde é investimento. E o SAMU regional vai ajudar a salvar muitas vidas”, frisou o secretário.

O prefeito de Teixeira Soares, Lula Thomaz, ressalta que o município terá uma unidade fixa do SAMU para atender situações de urgência e emergência. “Cuidar das pessoas é o nosso objetivo e investir em saúde pública é a nossa maior necessidade. Razão pela qual, por meio de grandes parcerias, estamos trazendo para Teixeira Soares uma unidade fixa do SAMU com o fim de atender urgência e emergência em saúde. Também fomos presenteados pelo governo do estado na pessoa do secretário Beto Preto e do deputado Alexandre Curi com um respirador para uso no hospital. Um avanço significativo para o nosso Município que também contará com novos e importantes investimentos. Juntos caminhamos para frente e continuamos trabalhando pela nossa querida e amada Teixeira Soares. Agradecimentos a vice-prefeita Juliana [Belinoski], ao secretário de saúde Amauri [Klossowski], ao presidente da associação do hospital Rodrigo, ao chefe da 4ª regional de saúde Walter Trevisan, ao secretário de saúde do Estado Beto Preto, ao secretário de Infraestrutura do Paraná, Sandro Alex, ao deputado Alexandre Curi, ao governador Ratinho Júnior, aos vereadores atuantes e participativos. Juntos caminhamos pra frente e continuamos trabalhando pela nossa querida e amada Teixeira Soares”, afirma Lula.

Em entrevista à Agência Estadual de Notícias, o prefeito de Irati, Jorge Derbli, comentou a importância da parceria entre Estado e municípios. “Conseguimos implantar o SAMU em nosso município e agora, para nossa felicidade, essas ambulâncias irão reforçar o transporte de emergência. Essa ajuda do Governo do Estado tem salvado muitas vidas em toda a região, ainda mais neste momento de enfrentamento à Covid-19”, disse.
Secretário de Saúde de Teixeira Soares, Amauri Klossowski, comemora a entrega de ambulância ao município. Foto: Arquivo Pessoal

Cinco veículos foram repassados para os municípios da região. Foto: Américo Antonio/SESA

Cada ambulância custa R$ 170 mil. Foto: Américo Antonio/SESA