Publicidade Topo

notícias

Projeto para construção do IML de Irati poderá ser realizado em parceria com a UEPG

Deputado estadual Emerson Bacil intermediou negociação com a universidade. Em entrevista à Najuá, ele contou detalhes sobre como estão os trâmites para a vinda do IML em Irati/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava e Rodrigo Zub

Deputado Emerson Bacil se reuniu com o reitor da UEPG, Miguel Sanches Neto. Universidade vai doar projeto para construção do IML em Irati. Foto: Assessoria do Deputado Emerson Bacil

O projeto para a construção de um Instituto Médico-Legal (IML) em Irati poderá ser realizado em parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), segundo o deputado estadual, Emerson Bacil (PSL). Ele se reuniu com o reitor da instituição, o professor Miguel Sanches Neto, para discutir a possibilidade de construir a unidade em Irati. 

Em entrevista à Najuá, o deputado contou que nesta conversa, o reitor da UEPG se disponibilizou a doar o projeto para Irati. “Tocamos no assunto que em Ponta Grossa, a UEPG, através de um NCO, licitou o projeto para o IML de Ponta Grossa, na época uma indicação e um trabalho do deputado [Rodrigo] Estacho, e também diversas situações que poderiam dar certo e evoluir no sentido de fazer esse projeto em Irati. Dessa forma, nós tivemos a garantia e o reitor vai doar esse projeto para o município, através de nosso pedido, e assim já temos um passo à frente”, disse.

De acordo com Bacil, a universidade licitou o projeto, com recursos adquiridos do Governo do Estado. O projeto foi originalmente feito para a construção do novo IML de Ponta Grossa, que ainda está em negociação. O deputado conta que Irati poderá usar o mesmo modelo e que o terreno para realizar a obra já está em negociação. “O projeto custou R$ 380 mil e está pronto. Não tem o que confeccionar. Ele está pronto. Simplesmente é só fazer a formalidade da doação e agora o que falta essa semana é confirmar e anunciar o terreno”, contou. A previsão é que o anúncio do terreno seja confirmado até o início da próxima semana.


Bacil também garantiu que o projeto não deverá ter custos para o município. “Vai ser feito essa doação do projeto. Claro que se tiver alguma situação com relação à responsabilidade, isso é uma questão burocrática que vai ser superado”, relata.

O deputado destaca que este passo é importante para os próximos trâmites. “Isso é extremamente importante porque tendo local e tendo projeto, aí se busca a viabilidade orçamentária para que isso se torne realidade”, explicou.

Contudo, ele confirmou a informação concedida pela presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Irati (Conseg), Patrícia da Luz, de que um terreno na Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro) também está sendo visado para ser o local do IML em Irati. “Mas há sim essa questão de fazer uma parceria com a Unicentro e ser instalado dentro da sede, um espaço do IML dentro da Unicentro”, disse. Bacil não revelou se o terreno que ele está em negociação é o mesmo que o da Unicentro.

Em maio do ano passado, o deputado apresentou à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) um requerimento com apoio de 13 deputados para a instalação do IML em Irati. Bacil contou que recebeu retorno do pedido. “Deram total apoio, inclusive estou novamente notificando, fazendo mais um requerimento – já foi protocolado nos últimos dias – para dar andamento e agilidade a essa situação. Eu falei com o próprio secretário Marinho [secretário da Segurança Pública do Paraná, coronel Romulo Marinho Soares], ontem [10/05], e o mesmo demonstrou grande interesse em fazer o IML. Mas precisava duas situações: do terreno e do projeto. E é isso que estamos tratando agora”, disse.

Já em Ponta Grossa, o novo IML ainda está em negociação. “O projeto está pronto, ele terminou alguns dias atrás e agora vai dar andamento. Lá também foi uma construção de várias mãos, de várias lideranças que estão se somando para que essa obra saia do projeto e seja efetivada. É algo recente”, comentou o deputado.

O projeto deverá contar com recursos de diversas fontes. “Em Ponta Grossa vai ser ao custo de R$ 10 milhões. Pelo que sei, em Irati vai ter um custo um pouco menor. Esses recursos podem vir dos deputados, tanto estaduais quanto federais, parceria e investimento da Secretaria de Segurança e também destinação do Governo do Estado. Isso vai ser uma nova fase de trabalho”, conta.

A discussão em torno do IML em Irati ressurgiu após a notícia de que desde o dia 19 de abril, o IML de União da Vitória, que já atendia as cidades da região Sul do Estado, entre elas, São Mateus do Sul, passou a contar com uma unidade do Instituto de Criminalística do Paraná. Com isso, os municípios de Irati, Rebouças e Rio Azul também passaram a ser atendidos pelo órgão.

A mudança trouxe críticas quanto à dificuldade de atendimento dos serviços do IML para a região. Segundo o deputado, a situação da falta de infraestrutura de atendimento dos IMLs no estado não é algo novo. “É claro que há dificuldades em relação à espaço, atendimento e pessoal. Mas não é uma questão que iniciou ontem, é uma questão histórica da nossa região e de todo o estado do Paraná e que foi herdado. Realmente há déficit de profissionais, de estrutura e de equipamentos. Já deveria ter havido um concurso, devido à pandemia foi adiado”, relata.

O deputado contou que apesar da mudança feita desde abril, ela não deverá ser definitiva. “Esse repasse de demanda de Irati, Rio Azul e outros municípios é provisório. Até por uma questão de ajuste no IML de Ponta Grossa e ter aberto essa possibilidade em União da Vitória. Mas não é definitivo. É provisório”, disse.

Apesar disso, Bacil disse que não sabe qual é o prazo para que a mudança esteja vigente. “Eu só posso garantir que ele não é definitivo. Ele é provisório e que vai ser feito dessa forma nos próximos dias ou meses. Mas não com a intenção de perpetuar”, explicou.