Publicidade Topo

notícias

Prefeitura de Inácio Martins irá adotar pulseiras de identificação para pacientes com Covid-19

Projeto está sendo analisado pela Câmara de Vereadores. Se for aprovado, pacientes com sintomas gripais utilizarão pulseiras na cor laranja; em caso de confirmação, a pulseira será lilás/Paulo Henrique Sava

Prefeito de Inácio Martins, Júnior Benato, falou sobre projeto de lei que obriga pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19 a usar pulseiras. Foto: Reprodução Facebook

Na última terça-feira, 25, o prefeito de Inácio Martins, Edemétrio Benato Júnior (PSD), apresentou à Câmara do município um Projeto de Lei que obriga pessoas com suspeita ou casos confirmados de contaminação pelo coronavírus a utilizarem pulseiras de identificação. Os artefatos serão confeccionados nas cores laranja (casos suspeitos) e lilás (casos confirmados). O projeto deve ser votado no plenário nos próximos dias. As pulseiras serão colocadas pela equipe da Vigilância Epidemiológica nos pacientes e em seus contatos familiares.

Uma empresa de Curitiba irá confeccionar 4 mil pulseiras, a um custo de R$ 580, a serem custeadas com recursos oriundos do Governo Federal para o combate à Covid-19. Quem retirar as pulseiras estará sujeito a pagamento de multa no valor de 50 Unidades Fiscais (UNIF), o equivalente a R$ 400,00. Se houver reincidência, o valor da multa dobra, passando para 100 UNIF’s (R$ 800), com encaminhamento do caso ao Ministério Público por crime contra a saúde pública. Os nomes dos pacientes serão preservados pela Secretaria de Saúde no município. Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o prefeito solicitou que os proprietários e funcionários de estabelecimentos comerciais ajudem na fiscalização para evitar que pessoas com suspeita ou confirmação da Covid-19 circulem pela cidade.

“Vai ter que ser monitorado porque, se chegar um fiscal no estabelecimento e detectar que tem uma pessoa utilizando pulseira, o proprietário será multado porque não fiscalizou esta pessoa, que vai responder ao Ministério Público porque é crime”, frisou.

Segundo Benato, a decisão é necessária porque a Vigilância Epidemiológica do município recebeu denúncias de que pessoas com confirmação da doença estavam recebendo visitas em suas casas e participando de festas de aniversários. “Pelo amor de Deus, gente. Daí acontece que, no Pronto Atendimento, (o paciente) vai parar na nossa UTI, que está muito bem montada, e não tem para onde mandar. O que a gente vai fazer? Se lamentar, rezar e pedir a Deus. Ele faz perfeito, mas quem não faz são as pessoas, e aí não tem o que fazer. Infelizmente, podemos conter a situação, mas se as pessoas não seguem as regras, como vamos fazer isto?”, questionou.


Outra situação foi verificada em comunidades do interior, onde pessoas tiveram contato com pacientes que contraíram a doença. Benato alerta que a Covid-19 pode ser perigosa para pessoas com ou sem comorbidades.

“O vírus não tem manual de instruções, não sabemos o comportamento dele no organismo. Pode ser pessoa saudável, atleta, de qualquer jeito, idoso, jovem ou criança: estamos precisando de respiradores para os jovens também”, lamentou.

Se o exame comprovar a contaminação por Covid-19, o paciente deverá trocar a pulseira laranja por uma lilás. Caso o resultado seja negativo, a equipe da Secretaria de Saúde irá tirar a pulseira do paciente. No momento em que a pessoa coloca a pulseira laranja (suspeita de Covid-19), ela assina um Termo de Isolamento, conforme explica Benato. “Ela não pode transitar na rua porque pode ser denunciada para qualquer cidadão para a Polícia Militar, a Secretaria de Saúde e as unidades de saúde, ou até para o prefeito. Podem me ligar ou passar mensagem que eu vou fiscalizar e ser linha de frente. Me passe que vamos agir rigorosamente”, ressaltou.

Denúncias podem ser encaminhadas diretamente para o WhatsApp do prefeito Júnior Benato pelo número (42) 99134-0795.