Publicidade Topo

notícias

Dedé assume cargo de treinador em time de União da Vitória

Secretário de Esportes de Irati foi anunciado como novo técnico do ACAU, que disputa Série Bronze de Futsal. Dedé vai conciliar as duas atividades/Rodrigo Zub, com reportagem de Ademar Bettes

Dedé vai conciliar os trabalhos de secretário de Esportes de Irati e treinador do ACAU. Foto: Divulgação

O secretário de Esportes e Lazer de Irati, André Demczuk (Dedé), foi anunciado como técnico do ACAU, de União da Vitória, na disputa da Série Bronze do Campeonato Paranaense de Futsal. Ele vai auxiliar o atual treinador Kaye Kampmann, que comandou o time nos dois primeiros jogos na competição, quando a equipe venceu Quedas de Iguaçu e Cantagalo, por 5 a 3 e 6 a 1. O ACAU é o líder do grupo E, com seis pontos.

O objetivo do time é conquistar o acesso para a Série Prata. Dedé já conseguiu subir da Bronze para a Prata com a Assifusa, de Irati, e o Prudentópolis Futsal. Ele também conseguiu bons resultados recentemente no time de Bituruna e foi campeão da Série Prata pelo Ivaí em 2012. A estreia de Dedé no novo clube ainda não tem data para ocorrer. A partida que seria realizada neste sábado, 29, contra São Mateus do Sul foi adiada em virtude do aumento de casos de coronavírus em União da Vitória. Um decreto municipal impede a realização de atividades esportivas na cidade nos sábados.


Em entrevista no programa “Show de Bola” da Super Najuá, Dedé disse que vai conciliar os trabalhos de treinador e secretário de Esportes. Ele relatou que estará pessoalmente em União da Vitória somente dois dias na semana para realizar os treinamentos. Nos demais dias, o auxiliar Kaye vai repassar o cronograma de trabalho aos atletas. “Eles treinam quatro vezes por semana, a gente vai formar a comissão técnica junto com o menino que já estava lá o Kaye, que já era o responsável pela equipe. Ele trabalhou sempre com categoria de base, a gente já vinha amadurecendo essa possibilidade há alguns dias desde o início da competição. Então, não foi uma decisão tomada agora de última hora. O meu compromisso é estar lá duas noites por semana. Duas noites estarei lá passando os treinamentos, nos outros dias o Kaye meu auxiliar vai estar passando os treinamentos que a gente vai fazer uma planilha. Também estarei nos jogos. Quando bater algum compromisso da secretaria de Esportes estarei disponível para a secretaria de Esportes. Esse foi um acordo que a gente fez acredito que posso contribuir e auxiliar no projeto deles até porque conheço alguns atletas que trabalharam comigo e acredito que vou poder de uma forma legal administrar essa situação”, relata o novo treinador do ACAU.

O time de União da Vitória conta com atletas que já trabalharam com Dedé em outras equipes. Um deles é o fixo Fernando, que jogou na Assifusa, de Irati. Ele vai atuar no quarto time diferente ao lado do treinador. Os outros clubes que eles trabalharam juntos foram Ivaí e Bituruna. Outro jogador conhecido na região é Jaison, que teve passagens pelo futsal do exterior em equipes da Espanha e China. O último clube dele foi o Foz Cataratas, onde jogou a Liga Nacional de Futsal e a Série Ouro do Campeonato Paranaense. “Ele tem toda a família de União da Vitória e resolveu voltar embora, está com 36 anos, resolveu voltar para perto da família fixar moradia em União da Vitória e está fazendo parte integrante da equipe. Três atletas que trabalharam comigo em Bituruna e são de União da Vitória também estão no time”, afirma Dedé.

O ACAU está participando pela terceira vez consecutiva da Série Bronze de Futsal. Segundo Dedé, a finalidade neste ano é dar um passo à frente no projeto melhorando o desempenho do time na competição, que foi eliminado na primeira fase em suas participações anteriores. O treinador também comentou que a possibilidade de contratar reforços precisa ser analisada, pois depende da viabilidade financeira. “A gente sabe que tudo gera custo. O projeto deles é bem pé no chão. Eles querem fazer com o projeto cresça um pouco mais do que nos dois últimos anos para que aos poucos eles briguem por esse acesso. Quem sabe com trabalho legal e as coisas se encaixem esse ano ainda brigar por alguma coisa, mas o intuito é que o projeto cresça para que logo a gente colha os frutos também”, salienta o técnico.