Publicidade Topo

notícias

Teixeira Soares inicia implantação do SAMU

Expectativa é que em até 30 dias, teixeira-soarenses possam acessar o serviço pelo número 192/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava
Base do SAMU de Teixeira Soares funcionará no prédio que aparece na esquerda da foto. Imagem: Secretaria de Saúde de Teixeira Soares

Teixeira Soares iniciou o processo de implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). O município aderiu ao Consórcio Intermunicipal (CIMSAMU) em 2020 e recebeu neste ano a ambulância para ofertar o serviço.

O secretário de Saúde de Teixeira Soares, Amauri Klossowski, explica que o município esperou num primeiro momento para a adesão do SAMU. “Teixeira Soares naquele momento de 2020 resolveu aguardar a chegada das ambulâncias básicas. Teixeira Soares fez adesão como base do SAMU. Esse processo que vem acontecendo desde 2020, fez adesão à nossa ambulância foi contemplado agora e já está à disposição do município para retirada em Curitiba”, explica o secretário.

A ambulância ficará em Teixeira Soares, mas poderá ser usada por outras cidades da região que fazem parte do Consórcio Intermunicipal. “O SAMU é regional. Tem uma base aqui em Teixeira Soares, que ela pode ser deslocada a qualquer outro município da 4ª Regional ou da 3ª Regional, que é Ponta Grossa, ou a 11ª [Regional], conforme a disponibilidade de ambulância. É um círculo, uma rede fechada de ambulâncias e que vai servir para um atendimento muito rápido”, conta Amauri.


Além disso, mais cinco ambulâncias deverão ser credenciadas para a região. Os municípios que estão neste novo credenciamento são Irati, Teixeira Soares, Rio Azul, Imbituva e Inácio Martins. “Atualmente, toda a soma de regionais tem 11 ambulâncias. Nós vamos sair de 11 para 26 ambulâncias. Só a nossa região vai receber cinco”, disse.

Para que Teixeira Soares seja incluído neste processo, foi realizado um termo de aditivo. “Vai ser feito um aditivo de prazo e de valores. Isso que vai proporcionar o novo modelo de atendimento. Isso será num primeiro momento custeado pelo município, por uma renda per capita, de cada habitante. Hoje em média, falar de valores, será R$ 2,55 por pessoa”, comenta o secretário de Saúde.

Apesar do custo inicial ser pago pelo município, o Governo Estadual e Federal deverá repassar recursos após a habilitação da rede. “A gente pede a habilitação e depois a qualificação. Depois de qualificado os serviços e habilitados, pode chegar a R$ 1,10 per capita, por pessoa”, conta. A expectativa é que esse processo possa ser realizado em até seis meses.

Num primeiro momento, a base da ambulância do SAMU deverá ser instalada em anexo ao hospital de Teixeira Soares. Enquanto isso, o município procura terminar um anexo ao Centro de Saúde que será a base permanente. “A gente está elaborando a construção da base do SAMU que vai ser ao anexo ao Centro de Saúde, aqui na Secretaria de Saúde, o prédio verde que é do lado do Fórum. Estamos trabalhando com o processo de licitação para construção dessa base. Aqui é um ponto central, que vai ter vários acessos, principalmente para BR, para todas as localidades de Teixeira Soares e região”, relata Amauri.

A construção da base está orçada em R$ 60 mil e será feita com recursos do município. É também a prefeitura que arcará os primeiros custos da implantação. Segundo o secretário, o município já tem recursos destinados para esta área. “Faz algum tempo que reservamos um valor para a construção dessa base e já está na nossa programação anual de gestão, e no nosso plano de gestão, a construção desse SAMU. Nós já estamos preparados para conseguir avançar nessa rede de urgência e emergência”, disse.

A ambulância que ficará em Teixeira Soares é de suporte básico, que terá como equipe técnicos de enfermagem e motoristas socorristas. Este é o mesmo tipo de ambulância que estará nos municípios de Irati, Teixeira Soares, Rio Azul, Imbituva e Inácio Martins. Apenas Irati tem mais uma ambulância de suporte avançado, equipada com médico, enfermeiro e motorista socorrista. Todas as equipes são gerenciadas e custeadas por uma empresa terceirizada contratada pelo Consórcio Intermunicipal.

O secretário destacou que o SAMU trará vantagens nos atendimentos de urgência e emergência. “Se aqui em Teixeira Soares ou Fernandes Pinheiro, nossa ambulância for atender um paciente infartado. Ela vai fazer o contato com a Central de Regulação, que vai ser Ponta Grossa, e ela não vai ser deslocada para o hospital de Irati ou Teixeira Soares. Ela vai ser deslocada para um lugar que tenha hemodinâmica, que tenha um cardiologista que possa assistir esse paciente. Isso a gente vai ganhar muito tempo, de salvar muitas vidas, que é o objetivo de a gente diminuir e entrar no serviço certo, na hora certa”, conta.

Para acessar ao SAMU, o paciente poderá ligar gratuitamente no número 192. A expectativa é que o serviço já possa ser usado em até 30 dias.

Contudo, Amauri alertou que a prefeitura deverá divulgar mais informações sobre quando as pessoas podem chamar o serviço. “O SAMU vai definir, ele tem uma regulação, atrás de tudo isso. Ele vai definir através de um médico que vai atender o telefone e vai qualificar a sua ligação como alta prioridade, média prioridade ou baixa prioridade. Aí entra as ambulâncias. Se for uma alta complexidade, qual é a ambulância que vai? Vai a de suporte avançado que pode se deslocar de Irati. Se for uma alta complexidade, mas com múltiplas vítimas, pode vir o suporte aéreo. E se for baixa complexidade, vai entrar o suporte básico”, disse.

Projeto de como ficará a base descentralizada do SAMU em Teixeira Soares