Publicidade Topo

notícias

Escola municipal de Irati registra três casos de Covid-19

Segundo as secretarias de Saúde e Educação, situação foi registrada na Escola Municipal João Maria Pedroso, em Engenheiro Gutierrez, na última semana. No entanto, as atividades não foram suspensas/Paulo Henrique Sava
Escola Municipal João Maria Pedroso e Escola Estadual Trajano Gracia, que funcionam no mesmo prédio, tiveram casos de Covid-19 na última semana. Foto: Arquivo Najuá
Três casos de Covid-19 foram confirmados na última semana entre funcionários da Escola Municipal Vereador João Maria Pedroso, no bairro Engenheiro Gutierrez, em Irati. A informação foi repassada por um morador e confirmada pela nossa reportagem ao consultar as secretarias municipais de Educação e Saúde na tarde deste domingo, 25. 

Uma professora permanece internada, mas está em recuperação. Uma pessoa já se recuperou e outras duas permanecem em isolamento, segundo informações preliminares. Uma funcionária da Escola Estadual Trajano Gracia, que ocupa o mesmo prédio, também foi diagnosticada com a doença e permanece internada, segundo o diretor Carlos Gutervil. Outros funcionários e professores das duas escolas fizeram exames RT-PCR e apresentaram resultado negativo. 

Durante os procedimentos de investigação, todos os protocolos de segurança foram seguidos pelas escolas, que decidiram não suspender as atividades neste período. Segundo nota enviada pela secretária de saúde, Jussara Aparecida Kublinski Hassen, a suspensão das atividades nas escolas não foi necessária porque, após a realização de uma investigação epidemiológica, não foi constatada a ocorrência de contato direto entre os infectados e os demais professores e funcionários das instituições. Ela afirmou ainda que, neste caso, a decisão caberia apenas à Vigilância Sanitária. A secretária afirma que uma interdição deveria ocorrer apenas “mediante a identificação de um surto quando todos os profissionais são considerados contato direto de um caso confirmado, situação não identificadas nas escolas em questão”.

Nossa reportagem procurou a secretária de Educação, Jandira Terezinha Girardi. Em nota, ela informou que, por orientação do Departamento de Vigilância Epidemiologia, não havia necessidade de suspender os trabalhos na escola. “Estamos em contato direto com a escola e os profissionais da saúde, seguimos protocolos da saúde, visto que não temos tanto conhecimento como eles em relação ao vírus”, informou a secretária. Ela informou que, assim que foram diagnosticados com coronavírus, os profissionais foram imediatamente afastados e que foram disponibilizadas caixas para que os pais pudessem devolver as atividades dos alunos sem contato com os funcionários. 

Conforme Jandira, outros casos já foram registrados em escolas do município. Em algumas situações, a equipe da epidemiologia optou por recomendar o fechamento das instituições, como foi o caso da Escola Municipal Irmã Helena Olek, onde foram registrados três casos de Covid-19 no ano passado. “Só não vamos saber se não formos informados pela diretora da escola ou coordenadora de CMEIS, repito, eu acredito que a secretaria de saúde entende bem mais desse vírus que a secretaria de educação, eu trabalho em conjunto com essa secretaria, como falei, conversamos sexta-feira com eles a respeito da escola novamente, desde que surgiu o primeiro caso estamos em contato com eles, confio no trabalho da epidemiologia”, relatou a secretária de Educação. 


Protocolo- O protocolo do Ministério da Saúde define como contato direto qualquer pessoa que esteve próxima a um paciente com caso confirmado de Covid-19 durante o seu período de transmissibilidade, ou seja, entre dois e dez dias após a data de início dos sinais ou sintomas (caso confirmado) ou após a data de coleta do exame (caso confirmado assintomático).

O Ministério da Saúde estabelece que, para fins de vigilância, rastreamento e monitoramento de contatos, deve-se considerar contato próximo a pessoa que:

- Esteve a menos de um metro de distância, por um período mínimo de 15 minutos, com um caso confirmado sem ambos utilizarem máscara facial ou utilizarem de forma incorreta.

- Teve um contato físico direto (por exemplo, apertando as mãos) com um caso confirmado;

- É profissional de saúde que prestou assistência em saúde ao caso de COVID-19 sem utilizar equipamentos de proteção individual (EPI), conforme preconizado, ou com EPIs danificados.