notícias

Pessoas a partir de 68 anos começarão a ser vacinadas contra a Covid-19 neste sábado

JARDIM DA PAZ

Município recebeu mais 1130 doses da vacina contra Covid-19. Pavilhão do Parque Aquático estará aberto neste sábado, 27, o dia todo, para vacinação de pessoas nesta faixa etária/Paulo Henrique Sava, com informações da SECOM/Prefeitura de Irati

"Estou convidando aquele que está em casa com medo e achando que vai virar jacaré, que não tem perigo, pode vir sem medo”, diz Alfredo Van Der Neut, 73 anos, ex-prefeito e secretário de Cultura de Irati, ao receber a primeira dose da vacina na última quinta-feira, 25. Foto: Paulo Henrique Sava
Irati recebeu mais 1130 doses da vacina contra a Covid-19 nesta sexta-feira, 26. Para agilizar o processo de vacinação, o Pavilhão do Parque Aquático estará aberto neste sábado, 27, das 08h às 16 horas. No período da manhã, a vacinação será para iratienses com 69 anos ou mais. Já no período da tarde, será feita a imunização das pessoas com 68 anos ou mais. No total, 370 doses serão destinadas à população de 70 a 74 anos e outras 760 para pessoas de 65 a 69 anos, que serão vacinadas na próxima semana, segundo o setor de epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde. 

Durante a semana, a vacinação continuará sendo feita nos 11 postos de saúde com sala de vacinação da área urbana e do interior e também no Pavilhão do Parque Aquático. Nossa reportagem conversou com algumas pessoas que já receberam a vacina. Reinaldo de Paula Brandalise, de 72 anos, morador da Vila São João, disse que ficou mais tranquilo ao receber a primeira dose. “Fica mais tranquilo porque já tenho uma dose tomada, agora vamos ver quando virá a outra”, frisou.

Vicência Aparecida Ferreira, de 73 anos, disse que não teve medo nenhum, mas pediu uma “caminha” para descansar depois da vacinação. “Estou muito bem, não doeu nada. Eu já não vim com medo, mas queria uma caminha, porque queria dormir um pouco”, brincou.

O secretário de cultura e ex-prefeito de Irati, Alfredo Van Der Neut, de 73 anos, também foi imunizado. Para ele, a vacina representa a “salvação” contra esta pandemia. “Assim a gente acredita e esperamos que seja de fato, pois não vemos outro caminho. Vemos no dia-a-dia há mais de um ano o que este mal já causou em todo o mundo. É uma alegria estar aqui hoje com minha esposa, vendo os amigos da minha época e tendo o privilégio de tomar a primeira dose. Eu me sentiria muito mais feliz de ver quando o último tomar a vacina. Encerrou, todo mundo foi vacinado, e é isto que a gente espera”, frisou.

Alfredo acredita que, mesmo que muitas pessoas não acreditem nas vacinas ou que tenham medo de que alguma reação possa acontecer, a imunização é importante. “Existem vacinas de todos os tipos já criadas que resolveram problemas grandes no passado, e assim nós vamos ter que ir convivendo e acreditando. Nenhum cientista maluco faria nada que não fosse para o bem da humanidade. São vários grandes laboratórios, muito estudo, muito preparo. Ninguém precisa ter medo, pelo contrário, temos que vir aqui com muita alegria de chegar este momento e dizer: ‘Chegou a minha vez’. Estou convidando aquele que está em casa com medo e achando que vai virar jacaré, que não tem perigo, pode vir sem medo”, comentou. 

A enfermeira Jéssica Cristina de Matos, do setor de epidemiologia da Secretaria de Saúde, avaliou que a campanha está ocorrendo de forma tranquila, sem aglomerações nos postos de saúde. Ela ressalta que, mesmo que os idosos não tenham feito o cadastro no site da Prefeitura, eles serão vacinados. “Este cadastro gira em torno mais de logística e de planejamento, e não um impeditivo para ser vacinado. Este cadastro está no site da Prefeitura, onde ele vai preencher seus dados e escolher a unidade de referência para ser vacinado, que pode ser aqui no Parque Aquático ou nas outras 11 unidades de saúde com sala de vacinação. Em relação aos trabalhadores da saúde vinculados a instituições, existe um cadastro que precisa ser feito, no qual o responsável legal pela instituição envia os dados dos funcionários e depois a vacina é disponibilizada para a população”, pontuou.

Enfermeira Jéssica Cristina de Matos, ao lado da secretária municipal de saúde de Irati, Jussara Aparecida Kublinsi Hassen. Foto: Paulo Henrique Sava

Quer receber notícias locais?

Aumento no número de casos e da letalidade da doença - A secretária de saúde de Irati, Jussara Aparecida Kublinski Hassen, fez um balanço sobre o aumento no número de casos nos últimos meses em Irati. Somente entre fevereiro e março, foram registrados 414 casos e 15 óbitos no município. Jussara atribui este aumento exponencial ao comportamento da população, que continua promovendo aglomerações. “Não tem outra forma de contrair o vírus se você não estiver aglomerado. Famílias, familiares que se encontram. Eu volto a pedir: o nosso remédio ainda não chegou e é preciso manter os cuidados: máscara, álcool gel e distanciamento. Não se aglomerem. Eu não me preocupo muito com a quantidade de casos que estamos tendo, mas sim com a gravidade deles. Em novembro, chegamos a ter 120 casos em um dia, mas nenhuma letalidade. Hoje, temos 15 a 20 casos confirmados no dia, mas com dois ou três mortos. A gravidade desta cepa é muito forte e rápida. Tivemos pacientes que com três dias de Covid-19 vieram a óbito. O que nos preocupa é a gravidade”, frisou.

Nesta sexta-feira, segundo dados da plataforma Ecovid-19, três pacientes estão internados no Pronto Atendimento aguardando vagas em hospitais para transferência. Até ontem, a Santa Casa estava com lotação máxima no setor Covid, com 12 pacientes na enfermaria, 12 na UTI e 04 no Pronto Socorro Covid. Por este motivo, a secretária pede que a população tenha consciência e não promova aglomerações. “Vamos ter um pouco mais de consciência, não se aglomerem, não deixem este vírus se disseminar, porque não temos recursos para colocar este pessoal. Se tivéssemos mais 10 leitos, ok, mas não temos remédio para comprar e mão-de-obra disponível. Nós poderíamos ter 50 leitos e não adiantaria. Não temos de quem comprar a vacina e a medicação, que está escassa no Paraná e no Brasil. Não é a falta de dinheiro, mas sim de insumos”, lamentou.

Taxa de mortalidade por Covid-19 - A taxa de mortalidade do vírus em Irati, desde o início da pandemia, foi calculada em 1,3%. Porém, com as mortes recentes, este índice deu um salto, chegando a 34% dos contaminados com a Covid-19. Jussara afirma que esta média é muito preocupante. “Se nós avaliarmos desde o início da pandemia, estamos com uma taxa de 1,3%, mas avaliando com a nova cepa, estamos com 34% de aumento de casos, então a nossa média é muito grande, muito preocupante”, frisou.

Atendimento - Jéssica pede que, se a pessoa apresentar sintomas de Covid-19, não os ignore, faça o isolamento e procure imediatamente atendimento médico. “Se está com sintoma gripal, acordou com algum calafrio, cansaço e nariz escorrendo, procure se isolar, não entre em contato com outras pessoas e procure imediatamente a Unidade Sentinela (Unidade de Saúde François Abib, no Conjunto Joaquim Zarpellon) para realizar os protocolos de isolamento e da coleta de exame. Não menospreze os sintomas gripais, pois hoje qualquer rinitezinha ou gripezinha pode ser Covid-19 e é preciso tomar os cuidados”, finalizou.

Movimentação de pessoas foi tranquila na manhã de quinta-feira, 25, no Posto de Saúde da Vila São João. Foto: Paulo Henrique Sava