Publicidade Topo

notícias

Pai mantinha filho em cárcere privado

Adolescente disse que pai deixava ele sair apenas para trabalhar na colheita de fumo

Foto: PM/Divulgação

Um adolescente estava sendo mantido em cárcere privado em Rio Azul. Ontem, 7, o menor recebeu atendimento médico no hospital São Francisco de Assis após ser agredido. O rapaz relatou que estava sendo mantido fechado na casa do pai, que deixava ele sair apenas para trabalhar na colheita de fumo. O jovem relatou que não recebia comida e que seu pai ficava com a remuneração pelo serviço. 

O rapaz também disse que o pai usa o dinheiro para comprar bebidas e drogas. Ele ainda afirmou que tentou fugir do local várias vezes, mas foi levado de volta para o local pelo pai. A situação permaneceu até ontem, 7, quando a mãe do adolescente foi buscá-lo e o encaminhou para o hospital, pois ele apresentava ferimentos. O Conselho Tutelar foi acionado e acompanhou os procedimentos. O homem que estava mantendo o filho em cárcere privado foi localizado e encaminhado para a Delegacia de Rebouças.

Em Teixeira Soares, 13 pessoas foram localizadas em um estabelecimento comercial na localidade de Ribeirão. O local não poderia estar funcionando, conforme determinação do decreto estadual, que está em vigor até a próxima quarta-feira, 10. A normativa impede o funcionamento de estabelecimentos que não são considerados essenciais, como medida de prevenção ao coronavírus. O proprietário foi orientado para fazer a cobrança dos clientes e fechar o local. A PM também orientou os clientes para retornarem as suas casas. A Vigilância Sanitária notificou o estabelecimento. Segundo a PM, o dono já havia sido orientado em outra oportunidade. Policiais de Teixeira Soares ainda prestaram apoios aos funcionários da Vigilância Sanitária para verificar denúncias de outros estabelecimentos que estavam abertos. Entretanto, todos os locais denunciados estavam fechados.