notícias

Hospital de Imbituva poderá ser reaberto em abril ou maio

JARDIM DA PAZ

Abertura será realizada em duas etapas, sendo a primeira para atender pacientes com Covid-19. Imbituva já teve 51 mortes em virtude da doença/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava

Espaço do hospital São João atualmente funciona como Pronto Atendimento Municipal. Foto: Letícia Torres/Hoje Centro-Sul

O Hospital São João de Santa Cruz, de Imbituva, poderá ser reaberto até abril ou maio, com uma ala dedicada para casos de Covid-19. A informação foi confirmada pelo prefeito Celso Kubaski em entrevista à Rádio Najuá. “Eu sou mais otimista de que em maio já esteja funcionando. Vamos trabalhar para que seja em abril, mas a possibilidade de que não consiga também é possível”, disse Kubaski. 

A reabertura do hospital será realizada em duas etapas, com a primeira fase dedicada para o atendimento de pacientes com coronavírus. O hospital passará por reformas para a criação de 30 leitos de enfermaria. “Vai precisar de algumas adaptações dentro das normas vigentes de Vigilância Sanitária e em princípio, nós colocaremos à disposição 12 quartos, que daria em torno de 30 leitos, exclusivamente no combate ao Covid-19”, conta o prefeito. 

Serão investidos R$ 270 mil mensais para a adaptação desses quartos, incluindo contratação de equipe técnica. Além da reforma dos quartos, haverá adaptações em tubulações e central de gás. Os recursos são oriundos da prefeitura de Imbituva. “Estamos tentando junto ao Governo do Estado que nos auxilie para que coloque algum recurso do Estado, mas é um interesse também nosso muito grande de que esse projeto saia do papel e volte a ser realidade”, relata Kubaski.

Quer receber notícias locais?

A prefeitura montou um grupo gestor que trabalhará organizando a documentação para autorização do funcionamento do hospital. “Hoje nós temos um Pronto Atendimento, vamos ter que transformar toda a documentação em hospital, tem que ter uma empresa gestora que vai nos auxiliar neste sentido para fazer a gestão do hospital. Hoje é estaca zero. Nós temos que começar do zero para fazer porque o Pronto Atendimento não tem vínculo nenhum com o SUS [Sistema Único de Saúde]. Para que seja adequado ao SUS, é tudo do nada”, conta. 

A segunda fase começará após o funcionamento da ala Covid-19, com a ampliação do hospital e criação e habilitação de centros cirúrgicos. “Numa segunda etapa, depois de credenciado o SUS, o Governo do Estado autorizando, nós temos que fazer uma adequação maior um pouco e uma ampliação. O projeto seria três salas de cirurgia para que possa ser feita cirurgia de baixa complexidade aqui em Imbituva, para que volte a ter partos normais, partos com cesariana”, disse. 

Esta segunda fase está orçada em R$ 2 milhões, que até o momento será custeado com recursos municipais. “É uma prévia apenas porque não sabemos do teor geral porque vai envolver equipamentos novos, para fazer um centro cirúrgico hoje sabemos que a adequação dele é mais complexa um pouco”, explica o prefeito. 

O cronograma de trabalho para a realização dos processos de reabertura foi montado em uma reunião na última semana em Curitiba. A reunião teve a presença do prefeito de Imbituva, do diretor de Gestão em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SESA), Doutor Vinicius Filipak, do diretor de Gabinete do secretário de Saúde, Ian Sonda e da deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR), que tem auxiliado com articulações com o Governo do Estado. De acordo com o prefeito, a reunião foi positiva. “Saímos de lá muito satisfeito com a reunião. Foi uma reunião técnica, em que se abriu a possibilidade de reativar mais uma vez o hospital aqui em Imbituva porque nós perdemos o credenciamento do SUS há uns dez anos e não foi restabelecido”, disse. 

As reuniões para discutir a reabertura do hospital iniciaram em fevereiro. A primeira reunião teve a presença do prefeito, da deputada Leandre, e do chefe da 4ª Regional de Saúde de Irati, Walter Trevisan. 

Covid-19: A reabertura do hospital é uma notícia positiva para o município que tem tido aumento no número de óbitos de Covid-19 nesta semana. Imbituva soma 51 óbitos desde o início da pandemia. “É um número assustador o número de óbitos aqui em Imbituva. A realidade nossa hoje é que temos poucas pessoas internadas, mas está sendo muito complicado nesta situação numa região inteira nossa do Paraná inteiro”, disse Kubaski. 

O prefeito de Imbituva explicou que o município tem tomado medidas para evitar a contaminação. “Temos tomado medidas de colocar a importância de se cuidar, a importância de não haver aglomeração, principalmente em festinha particulares, tomamos medidas com relação a isso. Principalmente, orientação”, conta. 

Apesar da orientação, o município deverá reforçar a fiscalização. “Seguimos o decreto do estado que foi prorrogado e vamos tomar principalmente medidas de fiscalização. Acho que as pessoas infelizmente não se deram conta ainda que não é só poder público, pessoas tem que colaborar também, tem que fazer a parte delas, tem que orientar, tem que vigiar. Todos nós temos o poder de polícia. Nós podemos, verificando uma situação de aglomeração, de pessoas que não estão se cuidando, comunicar a polícia, comunicar a Vigilância Sanitária”, disse.