Publicidade Topo

notícias

Recuperado da Covid-19, Derbli conta sua experiência com a doença

Prefeito voltou ao comando do Executivo na última semana e falou como foi passar pela experiência de ser internado por causa da Covid-19

Prefeito Jorge Derbli permaneceu duas semanas internado na Santa Casa de Irati em virtude de dificuldades respiratórias. Foto: Facebook/Divulgação

Na última semana, o prefeito Jorge Derbli, reassumiu o comando do Executivo de Irati, após se licenciar para se recuperar das sequelas deixadas pelo Covid-19. Em entrevista à Najuá, o prefeito comentou sobre o tratamento da doença. Derbli foi diagnosticado com coronavírus no dia 9 de dezembro de 2020, após sentir tosse e febre. Ele chegou a ficar isolado por dez dias. No último dia de isolamento, o quadro se agravou. O prefeito conta que começou a sentir uma dor muito forte nas costas, na altura do pulmão. “Fui até o hospital fazer uma tomografia e constatou que eu estava com 50% do pulmão contaminado pela Covid. Imediatamente, fui internado. Minha esposa [Maria de Fátima] também fez o exame, também estava em torno de 25% [de comprometimento do pulmão] e o Doutor João Henrique achou por bem a gente ficar internado para fazer o tratamento”, conta Derbli. 

Foram 13 dias de internação na Santa Casa de Irati. Durante o período, o prefeito passou por sessões leves de fisioterapia e também tomou a medicação do tratamento precoce. “Tudo aquilo que é um protocolo quase que nacional. Eu tomei tudo aquilo, as doses, dez dias antes de ir para o hospital e depois os 13 dias no hospital, depois mais uns 15 dias em casa eu continuei. Como a gente tomava muito corticoide que fala, isso ataca bastante o estômago, a gente foi gradativamente diminuindo a dose para não ter um corte efetivo. Então, fiquei mais uns 15 dias tomando os remédios e hoje não estou tomando nenhum remédio desse coquetel que era para Covid-19”, disse. 

Com um quadro de comorbidades, tendo pressão alta e sendo pré-diabético, o prefeito também precisou tomar insulina durante vários dias para controlar o nível da diabete. Com a forte medicação, alguns efeitos colaterais apareceram, como uma úlcera no estômago. No dia 29 de dezembro, o prefeito teve alta. Ele pediu licença até o dia 2 de fevereiro desse ano para poder se recuperar das sequelas que a doença deixou. Um dos primeiros tratamentos foi a continuidade da fisioterapia, que ficou mais intensa. “Depois que eu tive alta em casa, tivemos um acompanhamento de um profissional e a gente ficou perto de 20 dias fazendo a fisioterapia, cada dia aumentando mais o volume de exercício para aumentar a capacidade respiratória e foi melhorando”, relata Derbli. 

Hoje, o prefeito conta que está praticamente recuperado. “Eu diria para vocês que estamos bem. A recuperação 100% eu acredito que ainda demora mais alguns dias, mais alguns meses, porque a gente ainda sente muito cansaço, fica ofegante e isso é normal”, disse. 

Quer receber notícias locais?

Para Derbli, o trabalho da equipe da Santa Casa foi essencial. “Quero agradecer todas pessoas que oraram, que mandaram mensagens, eu fiquei muito tempo sem responder mensagem, sem atender celular, porque não tinha condições mesmo até para conversar pelo telefone celular. Então, quero agradecer a todos e fazer um agradecimento especial sempre à Santa Casa, pessoal que cuidaram de mim, da minha esposa e de todo mundo que está cuidado lá, principalmente no setor da Covid, na UTI, enfim Santa Casa inteira”, destaca. 

Ele conta que a dificuldade de respirar foi um dos momentos difíceis, mas o emocional também ficou abalado durante o período no hospital. “Qualquer coisa que você vai falar, você lembra de uma pessoa, de um familiar, qualquer coisa que você vai falar não conseguia, você ficava muito emotivo, não conseguia falar”, disse. Derbli destaca que a experiência foi única e ajuda a dar mais importância às medidas de segurança. “Quando não acontece na família, quando não acontece com você, você tem uma noção daquilo, mas não sabe o que é realmente pegar uma doença e ter um problema, principalmente de falta de ar. Você vivendo nesse mundo que vivemos, você não conseguir respirar, é uma aflição que dá em você. Você fica ‘arf, arf’ [som de falta de ar], respirando assim com dificuldade. Olha, minha gente, é complicado. Por isso, que eu peço, se cuidem, máscara, álcool em gel, tudo isso que há mais de ano a gente vem falando. Se cuidem porque realmente, só na hora que você tem, que você vê a gravidade que é a Covid e as consequências que ela traz”, relata o prefeito. 

Vacinas: O município de Irati já recebeu 1.447 vacinas, sendo que uma remessa de 420 doses foi repassada nesta semana. Até a semana passada, a secretaria de saúde havia aplicado 979 doses. O prefeito acredita que ainda são poucas doses, já que a expectativa é que se possa imunizar toda a população incluída na faixa etária estabelecida, que soma de 30 mil a 40 mil pessoas. 

Derbli ainda destaca que deverá respeitar a fila de vacinação. “Eu não tomei a vacina porque não preciso tomar porque já fiz tratamento e, teoricamente, estaria imune, nos próximos quatro a cinco meses. Mas posso pegar outra comorbidade, um resfriado, uma pneumonia, tem que se cuidar muito. Mas eu não tomei a vacina e vou tomar a vacina sim. Quando chegar a minha vez, quando a fila andar e chegar a minha vez de tomar a vacina. Não porque sou prefeito eu vou tomar a vacina”, conta. 

O prefeito destaca que o município não é autorizado a comprar as doses. Ele afirma que está no aguardo do envio das doses dos governos Estadual e Federal. No entanto, ele afirmou que se houver liberação, tentará adquirir algumas doses. Para isso, foi liberado um fundo com verbas livres no orçamento municipal. Os recursos proveem do pagamento de parte do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). 50% da arrecadação do IPVA é repassada ao município onde o veículo foi emplacado. “Se for o caso que tiver que comprar, Irati vai comprar. Nós estamos criando um fundo, estamos deixando uma reserva técnica, pra que se houver a possibilidade de as prefeituras comprarem a vacina, tiver à disposição, seja ela qual for a vacina comprovada e autorizada pelo Governo, pelo Ministério da Saúde e se não tiver o repasse do Governo Federal, Estadual, para Irati, das vacinas, com certeza, nós vamos fazer a aquisição para cobrir toda a população de Irati”, disse.