notícias

Pix já está disponível para associados do Sicredi

Novo sistema eletrônico permite pagamentos 24 horas por dia, sem taxas para pessoas físicas/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava e Rodrigo Zub

Foto: Imagem ilustrativa

Os associados do Sicredi já podem se cadastrar para realizar os pagamentos e receber valores por meio do Pix. O novo sistema de pagamento eletrônico, regulado pelo Banco Central, possibilita pagar e receber valores de forma instantânea, 24 horas por dia. Com o Pix, associados que são pessoas físicas terão a vantagem de não pagar taxa para utilizar. “Ele dá muitas facilidades para transferir, pagar, receber, para que as pessoas façam essas transações qualquer horário do dia, da semana e também não tem limite para a quantidade de transações. Ele funciona tanto para pessoas física quanto para a jurídica”, explica o gerente do Sicredi, Emerson de Lara. 

O sistema Pix utiliza uma chave que é uma espécie de identificação para quem receberá o pagamento. Essa chave pode ser um número do CPF, do telefone, e-mail ou um número aleatório. “A chave vai servir principalmente para fazer os recebimentos, ou seja, você tem uma transferência para receber, uma TED para receber, algo a receber na sua conta corrente. No modelo anterior, de TED e DOC, você passava todas as informações da conta corrente, CPF, CNPJ, dados bancários e a pessoa realizava a transferência, que levava em torno de 15 a 30 minutos para creditar o valor, sendo TED ou DOC, no dia seguinte. Essa chave agora, através do PIX, basta passar a informação do teu CPF, que você gerou uma chave por meio do CPF, por meio do telefone celular, e-mail ou código aleatório que é gerado pelo banco. Quando você faz o cadastramento, automaticamente ele pede para criar essa chave”, afirma Emerson. 

Para aderir ao Pix, a pessoa precisa já ter uma conta corrente ou poupança na instituição para vincular a chave. “É muito fácil para aderir, já adiantando, a pessoa não precisa baixar nenhum aplicativo de Pix. Ela tem a sua conta corrente e ela tem o seu acesso através da conta corrente, via aplicativo, no nosso caso o Sicredi Mob. Dentro do aplicativo, das funcionalidades existe a funcionalidade do Pix. Se a pessoa não tem o cadastro, em poucos cliques ela já realiza o cadastro, já pode fazer a geração das chaves e a partir desse momento ela estará autorizada, está apta a fazer transações”, relata o gerente do Sicredi.  

Quer receber notícias locais? 

Os números, como o CPF e o telefone, podem ser usados uma única vez para fazer a chave. Por exemplo, se a pessoa usar o número de CPF para fazer a chave em um banco, ela não poderá usar o mesmo número de CPF em uma chave de outro banco. Para isso, ela precisará pedir portabilidade. Cada pessoa tem direito a realizar cinco chaves em cada instituição.

O Pix também pode ser utilizado pelas empresas que podem disponibilizar mais uma forma de pagamento aos clientes. O pagamento feito nesta modalidade pode substituir o pagamento em débito ou em dinheiro. “As empresas que vendem os seus produtos pela internet, e em alguns casos localmente - até porque nós temos comentado bastante dessa atividade e a economia local através dessa modalidade – elas disponibilizam o QR Code para o recebimento das suas vendas. Facilita bastante, as pessoas conseguem fazer esse pagamento através do copia e cola, que a gente chama, que é uma chave que ela coloca no seu aplicativo para realizar o pagamento”, disse Emerson. 

Apesar de não ter taxa para pessoas físicas, pessoas jurídicas poderão ser cobradas pelas transações. Mas segundo o gerente, esse valor poderá ser menor do que nos cartões de crédito. Mesmo assim ele destaca que o empresário ainda terá vantagens, já que o recebimento é imediato. “Através do Pix, ele vai receber o seu pagamento na hora, instantaneamente, sem dinheiro, um pagamento virtual e também sem custo. Ele [cliente] não tem taxa, a pessoa [física] vai pagar lá. Hoje através da maquininha de cartão de crédito do Sicredi, ele já gera a chave Pix também. A pessoa opta por fazer o pagamento via Pix ou via cartão”, relata. 

Atualmente, grandes empresas e sites de comércio on-line já começam a disponibilizar a nova forma de pagamento. Para os associados do Sicredi, que forem pessoa jurídica, a instituição disponibiliza um Kit Pix, que contém um display onde o QR Code pode ser colado e disponibilizado no caixa do estabelecimento, permitindo que o cliente use o celular para fazer o pagamento. O kit ainda possui um manual trazendo diversas informações sobre a nova ferramenta.

O gerente destacou que o Pix é uma opção a mais para os associados e que não haverá interrupção de outros serviços já disponibilizados. “Hoje o Pix ainda está bastante limitado em algumas situações, porque como é uma ferramenta nova, embora venha sendo trabalhada e estudada com todas as formas para essas transações, da forma mais segura possível, desde 2013, o sistema de funcionamento pode precisar de alguns ajustes. Até o momento tudo funciona perfeitamente, mas permanece com todas as demais opções anteriores para as transferências”, afirma Emerson. 

Golpes: O gerente garante que o sistema do Pix é seguro e não é fraudado, sendo homologado pelo Banco Central. “Ele conta com o desenvolvimento do Sistema Central e todas as transações passam pelos mesmos critérios que temos hoje em outros serviços do tipo. O que pode acontecer é aquele golpe antigo que está acontecendo pelo WhatsApp que diz: ‘Eu preciso que faça uma transação”. Pelo fato do Pix realizar transferências 24 horas por dia e transferências instantâneas, infelizmente muitas pessoas caem nesse golpe e infelizmente não há ressarcimento de valor”, conta. 

Uma das formas de se precaver nesses casos é definir um limite máximo de transações diárias, que pode ser feito no banco. Outra dica é confirmar com o destinatário o recebimento do valor e verificar as informações que aparecem no telefone, antes de confirmar o envio. “A utilização sempre com confirmação: ‘Eu estou realizando um pagamento’. Em qualquer lugar que seja. Eu preciso me certificar que o pagamento vai para essa pessoa que eu estou comprando. Antes de confirmar o pagamento, você vai ter a informação de todos os dados dessa pessoa e você confirma o pagamento”, disse o gerente do Sicredi. 

As transferências do Pix são realizadas no aplicativo do banco, que disponibiliza as informações do destinatário para serem confirmadas. Esteja atento ao nome, conta e banco que foi vinculado. No caso de golpe, se algum dado for diferente, não confirme o pagamento.

Caso a pessoa caia no golpe mesmo assim, é preciso comunicar imediatamente. Se o valor não foi sacado pelo golpista, a instituição consegue bloquear a transação. “A instituição financeira, através de seus meios, comunica a outra instituição e se o recurso ainda não foi sacado daquela instituição, daquela conta, bloqueia. Porque existe um meio, um conjunto de pessoas que trabalham para fazer este tipo de bloqueio. E logo em seguida fazer boletim de ocorrência, apresentar para que seja investigado logo na sequência”, disse o gerente. 

Contudo, se o golpista já sacou o valor, não há garantia de reaver o valor. Entretanto, ainda é preciso que a vítima registre um boletim de ocorrência na Polícia Civil, para que o caso seja investigado. Mais informações sobre o Pix podem ser repassadas pelo telefone 0800 724 4770 ou no site do Sicredi