Publicidade Topo

notícias

Irati recebeu 1447 doses de vacina contra a Covid-19, diz Agostinho Basso

Município está priorizando a vacinação de profissionais da saúde com mais de 55 anos e idosos acima de 90 anos, segundo protocolos estabelecidos pela SESA e pelo Ministério da Saúde 

Em vídeo, coordenador do COEF, Agostinho Basso, esclareceu dúvidas sobre a campanha de vacinação contra a Covid-19. Foto: Reprodução SECOM

Desde o início da campanha de vacinação contra a Covid-19, em 19 de janeiro, Irati recebeu 1447 doses das vacinas Coronavac e da Oxford-AstraZeneca. A informação foi dada pelo coordenador do Centro de Operações Especiais e Fiscalização (COEF), Agostinho Basso, em vídeo publicado nesta quarta-feira, 10, pela Secretaria de Comunicação (SECOM). Para aplicação das doses, o município está seguindo o protocolo do Plano de Vacinação da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA), que elencou 10 grupos de trabalhadores da área da saúde para serem vacinados.  Nesta etapa, cerca de 600 pessoas que integram o grupo de profissionais das clínicas médicas, de fisioterapia, odontologia, farmácias e de outros estabelecimentos da área da saúde, estão sendo vacinadas. Idosos com mais de 90 anos também foram priorizados.

“É claro que, num primeiro momento, aqueles que estavam na linha de frente, no Pronto Socorro, das ambulâncias do Corpo de Bombeiros, SIATE e da EccoSalva, que fazem o transporte de pacientes, e também todo o pessoal do Pronto Atendimento receberam a imunização. Depois, vieram os grupos dois e três, que envolviam os hospitais de referência. Da Santa Casa, foram imunizados, num primeiro momento, 50% dos funcionários; depois, quando veio a segunda leva da vacina, foram vacinados 100% dos trabalhadores. Aqueles que atendem pacientes de Covid-19 na Unidade Sentinela (Posto de Saúde François Abib, no Conjunto Joaquim Zarpellon) foram vacinados. Fica claro que nós seguimos estrita e rigorosamente o que vem do Ministério da Saúde e do plano estadual no plano municipal”, comentou.

O coordenador do COEF explica que, neste momento, trabalhadores da saúde acima de 55 anos que estão na ativa têm prioridade juntamente com os idosos acima de 90 anos. “Como não temos vacina para todos, estamos vacinando idosos acima de 90 anos, pois fazem parte do grupo de risco que mais sofre e tem uma taxa de letalidade maior, e também trabalhadores da área de saúde com mais de 55 anos. Além de serem trabalhadores da saúde, eles estão entrando em um grupo de risco e, por questão de coerência, estão elencados”, comentou. 

Para receber a vacina, o trabalhador da saúde deve comparecer ao local de vacinação portando uma ficha própria, assinada por sua chefia imediata ou pelo proprietário do estabelecimento ou instituição em que ele trabalha. “É muito sério, trabalhamos com muita responsabilidade, honestidade e transparência e não temos receio nenhum de abrir nossos livros, nossos registros para que seja pesquisado quem já foi vacinado aqui em Irati ou não”, afirmou Agostinho. 

Algumas das empresas e instituições da área da saúde poderão vacinar 100% dos funcionários, desde que comprovem que prestam atendimento de urgência e emergência. “Este é um critério para urgência e emergência: portas abertas para receber casos assim. Por isto, algumas instituições vacinaram 100% dos colaboradores e outras não, porque não tem vacinas para todos, e é bom deixar isto bem claro para a população. Jamais iríamos negar uma vacina para alguém se houvesse estoque”, pontuou Agostinho, ressaltando que o município possui apenas 375 doses da vacina. 

Quer receber notícias locais? 

Prestação de contas - A Secretaria de Saúde presta contas da vacinação a cada quatro dias ao Ministério Público, para o qual é enviada uma lista nominal com as pessoas vacinadas. Além disso, a 4ª Regional de Saúde também recebe este material, que é encaminhado posteriormente para a SESA e para o Ministério da Saúde.  A Prefeitura, através do seu portal, disponibilizou uma plataforma específica com todos os dados relativos à vacinação, como o vacinômetro, que apresenta a quantidade de vacinas aplicadas no município, e orientações sobre o cadastramento e registro dos idosos. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil levará cerca de 1 ano e 4 meses para vacinar toda a população. Por isto, é necessária a manutenção das medidas de combate à Covid-19, como o uso de máscaras, a higienização frequente das mãos com álcool gel, água e sabão, e o distanciamento social, conforme Agostinho.

“Não existe solução fácil para problema difícil, nós temos uma demanda enorme de pessoas querendo a vacina e uma oferta reduzida porque o mundo inteiro, 7 bilhões de pessoas, estão buscando, através de seus governos, comprar a vacina, que tem duas doses, ou seja, são 14 bilhões de vacinas, e isto não tem para todo mundo, não tem insumos nem logística, e isto tem que ser passo a passo”, comentou. 

Calendário falso - Em comunicado publicado na manhã desta quinta-feira, 11, a Prefeitura de Irati alertou a população sobre um calendário de vacinação falso que está circulando nas redes sociais. A Secretaria de Saúde de Irati alerta que se trata de fake news e que o mesmo não tem qualquer relação com a campanha de vacinação contra a Covid-19. Agostinho ressalta que nenhum município está promovendo campanha por conta própria.

“Não é verdade, quando se fala em redes sociais, que os municípios estão fazendo da forma que querem. Não é verdade que, nos municípios, tem uma ou duas pessoas mandando no serviço de vacinação. Temos a quem nos reportar e para quem mandar os relatórios. É muito sério, o mundo inteiro precisa de vacinas, e não as temos suficientes. Não adianta nos iludirmos também. O Governo do Paraná acredita que, se tudo correr bem e os laboratórios conseguirem insumos para produzir a vacina, será possível vacinar todos os grupos de risco no 1º semestre, ou seja, até maio ou junho, serão vacinados os profissionais da saúde e idosos. A população em geral subentende-se que vai ficar para o 2º semestre e também avançar para 2022”, frisou. 

Incentivo à vacinação - O médico Eugênio Mazepa já recebeu a 1ª dose da Coronavac. Ele disse que não apresentou qualquer reação à vacina, que vai tomar a segunda dose no próximo dia 12 e incentivou a população a se vacinar, quando chegar a sua vez. “Peço a toda a nossa população que não tenha medo da vacina, ela não causa dano nenhum e vai aumentar a imunidade e te proteger contra este danado deste coronavírus, que é uma doença mortal”, comentou.