notícias

Derbli fala sobre melhorias em estradas rurais e planos para 2021

Prefeito de Irati reassumiu o cargo nesta semana após um período afastado para se recuperar da Covid-19. Em entrevista, ele falou sobre estradas rurais, geração de empregos, início das aulas, entre outros assuntos/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava e Rodrigo Zub

Prefeito Jorge Derbli reassumiu o comando do Executivo na quarta-feira, 3. No dia seguinte, ele esteve presente no programa "Meio Dia em Notícias" da Super Najuá. Foto: Lennon Diego Gauron

O prefeito Jorge Derbli retornou ao comando da Prefeitura de Irati na quarta-feira, 3. Ele esteve afastado devido a uma licença médica para recuperação da Covid-19. No retorno para o início do seu segundo mandato, ele concedeu entrevista no programa “Meio Dia em Notícias” sobre as melhorias nas estradas rurais e as prioridades deste ano.

Com as fortes chuvas do último mês, as estradas rurais foram severamente prejudicadas. O prefeito destacou que está organizando uma força-tarefa para resolver o problema de encalhadores nas estradas do interior. Segundo ele, há mais 220 encalhadores no município. “Nós vamos fazer uma força-tarefa para atender os encalhadores, aonde não passa. Eu estive passando em alguns pontos e eu vi, as pessoas estão com dificuldade. Foi muita chuva”, disse Derbli. 

Para ele, um dos grandes problemas da manutenção das estradas rurais é a carga excessiva de alguns veículos. “Nós temos um problema ainda de alguns caminhões, às vezes, insistem em ir trabalhar. Eu falo como empresário, uma indústria não pode parar, mas tem gente que não tem noção que com chuva, ainda bota caminhão, às vezes, tirando pinus, tirando madeira. Eu não culpo ninguém, só que a situação complica todo mundo. Caminhões com cargas excessivas no interior, o próprio trator, que muitas vezes as pessoas saem e vê que não tem condição, muita chuva, trator traçado faz o atolador e depois o carro pequeno não passa”, relata o prefeito. 

Mesmo assim, ele destacou que estão sendo formadas três equipes que irão trabalhar diariamente para melhorar as estradas. O pátio de máquinas atualmente possui seis patrolas, quatro escavadeiras, duas pás carregadeiras e entre dez e 12 caminhões para transporte. Para ajudar na força-tarefa serão contratados ainda cinco a seis freteiros. “Eu falei para fazer em três equipes, concentrar mais equipamento, ir aonde for, pegar uma estrada, digamos, daqui para o Itapará e fazer toda ela nessa parte onde tem os pontos críticos e dar condição de trafego em toda ela”, disse. 

Quer receber notícias locais? 

Uma licitação está sendo aberta para a extração de material em três cascalhadeiras, já que as máquinas do município não conseguem extrair a pedra que é necessária. “Vamos arrumar as estradas para que dê passagem. Depois na sequência, quando melhorar o tempo vamos fazer aquele trabalho que sempre quis fazer, com alguns equipamentos que recebemos no final do ano passado, com uma patrulha para melhorar o cascalhamento. Nós estamos puxando material britado, é o material melhor que temos no Rio Corrente”, relata Derbli. 

Plano de drenagem: Com as fortes chuvas e as enxurradas que aconteceram em Irati, as obras previstas para o plano de drenagem do município devem continuar. Uma das ações já está sendo realizada com a licitação para contratar uma escavadeira que fará a dragagem do Rio das Antas durante o ano.

Além disso, Irati iniciará a segunda etapa do canal hídrico. Esta etapa será realizada com o recurso de R$ 1 milhão, disponibilizado por meio de emenda parlamentar da deputada federal Leandre Dal Ponte (PV). A empresa licitada para executar a obra já recebeu a ordem de serviço. Contudo, a obra ainda não começou porque é preciso uma autorização do Instituto Água e Terra (IAT). “Estamos esperando uma ordem da questão ambiental. Fizemos todo o trâmite no IAP e ainda falta uma autorização para iniciar a segunda etapa que é onde pega da Moageira e continua até no Rio das Antas. Nós precisamos melhorar perto do Thoms, realmente, a galeria ali está na rocha. Ela já não tem suporte de vazão. Nós precisamos fazer um alargamento dela. Mas também não é alargar só aquele ponto porque para frente ela também afunila, então, a ideia nossa é melhorar aquilo ali”, conta. A terceira etapa também deverá ser feita e ocorre na rua Carlos Thoms até chegar na Mata do Gomes.

Educação: Na educação, o município se prepara para iniciar o ano letivo na rede municipal. Um decreto publicado nesta semana autorizou a retomada das aulas nas modalidades presencial ou remota em escolas e universidades públicas e particulares do município. No dia 10 de fevereiro iniciam as aulas remotas. Porém, ainda não há uma decisão para o início das aulas presenciais.

De acordo com o prefeito, as escolas estão se preparando, mas a decisão depende de como a situação da Covid-19 estará no município durante o período. “Não estamos ainda com a certeza absoluta da aula presencial. Essa remota inicia dia 10, a presencial será em decorrência da próxima semana. Ver como acontece as coisas até dia 18, ver a questão se vai ter mais pessoas infectadas ou vai diminuir essa curva. Tem algumas coisas que mesmo que a gente tenha alguma previsão, a gente tenha planejamento, são fatos que vão acontecer ainda e que vão direcionar para nós a questão das aulas”, explica Derbli. 

Empregos: O prefeito ainda revelou que em seu primeiro dia de retorno já recebeu duas empresas interessadas em investir em Irati. Os empresários estiveram no município para verificar as condições para se instalarem. As empresas são do ramo de frigorífico de frango e laminação.

Um dos projetos para os próximos quatro anos é investir nos condomínios industriais da BR-277 e da Vila São João. O objetivo é melhorar os locais que precisam de pavimentação, esgoto, regularização de licenças ambientais e diversos outros itens ligados à infraestrutura.

A prefeitura ainda procura remanejar os terrenos cedidos. “Nós estamos entrando com os processos administrativos de retomada de todos os terrenos que foram dados em cessão de uso para as empresas que não estão sendo utilizados. Por exemplo, tem uma empresa que pegou cinco mil metros, está utilizando só dois, nós vamos fazer um remanejamento dessa matrícula, dessa escritura e pegar esses três mil metros e fazer licitações para fazer barracões industriais para dar oportunidade para as pequenas empresas terem condições de se instalar na Vila São João”, afirma o prefeito. 

CAPS/Irati: No ano passado, a prefeitura de Irati chegou a enviar para a Câmara um projeto de lei para pedir suspensão de pagamentos de parte do repasse para a Caixa de Aposentadoria e Pensão dos Servidores Municipais de Irati (CAPS/Irati), alegando queda da arrecadação em virtude da pandemia. Além de valores patrimoniais retidos na folha, o município também paga cerca de R$ 700 mil, referente a valores antigos e que devem ser pagos até 2042. Após discussão, o projeto foi retirado pelo Executivo.

Segundo o prefeito, como previsto, o município não conseguiu pagar totalmente os valores, mas foi conseguido realizar um parcelamento que deve durar mais de três anos. “Dos R$ 10 milhões que tinha do ano passado, que a gente pediu parcelamento, a gente conseguiu no final do ano pagar em torno de R$ 3 milhões e alguma coisa. Que foi pago. Ficou um parcelamento de R$ 7 milhões para pagarmos em 47 meses, que vamos manter esse parcelamento para ter esse equilíbrio porque o CAPS também é saudável financeiramente, tem um recurso bom, mas com que a gente paga, já com muita gente se aposentando e com essa defasagem desse recurso que foi retirado lá em 1900 e antigamente, foi desfalcado o INSS da prefeitura, o CAPS e a gente vai pagamento e infelizmente é assim que tem que ser”, disse. O prefeito relatou que tenta renegociar para que o parcelamento de R$ 700 mil possa ser revisto. “Estamos brigando mudar o cálculo notarial para diminuir essa parcela mensal para a gente estipular mais prazos e menos valores mensais”, conta.