Publicidade Topo

notícias

Alunos receberão atividades a cada 15 dias em Imbituva

Rede municipal de Imbituva retoma atividades a partir do dia 12 de forma remota. Pais ou responsáveis terão que retirar material destinado aos alunos/Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava e Rodrigo Zub

Secretário de Educação e vice-prefeito de Imbituva, Zaqueu Bobato. Foto: Arquivo Pessoal

A rede municipal de Imbituva se prepara para o retorno das atividades na segunda-feira (8), mas ainda de forma remota. Os pais ou responsáveis terão que ir até a escola a cada 15 dias para buscar as atividades programadas para os alunos. Em entrevista no programa "Meio Dia em Notícias", o secretário de Educação e vice-prefeito de Imbituva, Zaqueu Bobato, explicou que a realidade das escolas públicas é diferente das privadas, que possuem menos alunos. Em Imbituva, na rede municipal, há 3.800 alunos, já na privada, há 150 alunos. Com isso, a movimentação de alunos seria maior. 

“A realidade municipal do Covid nos preocupa muito, nós estamos em um município que não tem um hospital. Nós temos aqui um Pronto Atendimento. Há uma série de elementos que balizam a nossa tomada de decisão. Optamos pelo retorno no modelo remoto, a cada 15 dias, mas não descartamos a hipótese em nenhum momento nos próximos dias estar avaliando a situação. Nós entendemos e queremos o retorno presencial, mas seria no momento uma imprudência da nossa parte, no caso da rede municipal”, contou o secretário. 

A preocupação também é com o transporte público, já que é preciso menos alunos por veículo por causa do distanciamento. No entanto, o secretário disse que não descarta a volta pelo modelo híbrido, porém é preciso algumas adaptações antes de iniciar.

Quer receber notícias locais? 

Uma delas já está sendo realizada a partir de uma verba de R$ 86 mil que será voltada para a compra de máscaras para alunos, professores e funcionários, que somam até 4 mil pessoas. Devido à quantidade, serão três máscaras por aluno. “Nós estamos num processo licitatório para aquisição de máscaras. Diferentemente da realidade de um particular, nós precisamos ter essa dimensão. Nós tivemos uma verba via Governo Federal, próximo aos R$ 90 mil e praticamente mais da metade dessa verba vai para podermos preparar a infraestrutura com a utilização de máscaras. Máscara, álcool em gel para que possamos estar proporcionando a segurança para nossa comunidade”, disse Zaqueu. 

O ensino remoto começará no dia 12 de fevereiro, com pais ou responsáveis se deslocando até as escolas para pegar um caderno de atividades com diretores e professores. Esse caderno de atividades será devolvido no dia 24 de fevereiro, onde os professores irão avaliar o que os alunos conseguiram aprender. “Nós precisamos entender como esses alunos estão retornando para essas atividades, qual foi o aproveitamento deles do ano anterior para que a gente possa encontrar essas dificuldades – que eu imagino que não são poucas – para que posamos estar sanando”, explicou o secretário. 

O município pretende criar um canal no YouTube com vídeos dos professores explicando os conteúdos ensinados. Mas como há dificuldade de muitos estudantes acessarem a internet, outras opções são pensadas. “Nós também já estamos aqui estudando, criando um planejamento, porque os professores vão perceber a partir das atividades diagnósticas aqueles alunos que estão tendo uma dificuldade maior para trabalhar em casa. Para que possamos estabelecer um cronograma, muito organizado, para que esses alunos possam estar vindo uma vez por semana à escola, junto com os pais, para que o professor possa dar uma explicação particularizada para ele”, contou.