notícias

Irati participará de programa estadual para castrações de animais

Irati poderá realizar um convênio com o Estado do Paraná para a castração de animais ainda neste ano

Programa estadual castrou gratuitamente quase 11 mil cães e gatos. Foto: SEDEST

O município de Irati deverá ser um dos próximos a firmar um convênio com o Estado do Paraná para a realização de castração e inserção de microchip em cães e gatos. Na região, apenas o município de Imbituva conseguiu participar do programa que ajudou a custear castrações em 111 animais na cidade.

De acordo com a secretária de Ecologia e Meio Ambiente de Irati, Magda Lozinski, o município não conseguiu ser selecionado na primeira fase do projeto que iniciou em 2019. “O município de Irati não foi atendido num primeiro momento no Programa de Esterilização Estadual, porém, já temos o protocolo desse pedido e agora no ano de 2021 esse Programa de Esterilização via Estado do Paraná estará contemplando o município de Irati”, contou. 

A coordenadora do programa estadual, Fernanda Góss Braga, confirmou que Irati será um dos próximos a integrar o programa. “Assim que sair o recurso, nós vamos formalizar o convênio com Irati e daí fazer o início de procedimento e executar as castrações em Irati. Nós não temos ainda o convênio firmado, mas Irati está entre os primeiros na nossa lista”, disse Fernanda. 

Quer receber notícias locais?

A falta de liberação do orçamento de 2021 é um dos fatores para que Irati ainda não tenha firmado o convênio. “Esse ano o orçamento do Estado ainda não abriu. Nós não temos o valor que será direcionado para esse programa ainda. Tão logo tenhamos o valor, saberemos quantos municípios poderemos contemplar nesse ano. Quando digo contemplar nesse ano, não é executar a castração nesse ano. Esse ano estamos executando as castrações dos convênios feitos no final do ano passado”, explicou. 

Com a realização dos convênios, outros processos têm seguimento. “Agora faremos convênios com novos municípios. Depois de feito o convênio, faz o pregão eletrônico, aprova as empresas, tem todo o período de aprovação do Conselho de Medicina Veterinária, para então começar a execução”, relata a coordenadora do programa estadual. 

Quando o programa iniciou em 2019, os recursos eram destinados por meio de emendas parlamentares. Deputados estaduais definiam o valor e os municípios que receberiam os recursos para as castrações. Mas em 2020, houve o acréscimo de recursos no orçamento estadual. “Já no ano passado, nós tivemos, além do recurso da emenda parlamentar, nós tivemos um recurso da Secretaria para o programa. A Secretaria priorizou aqueles municípios que já tinham formalizado a solicitação pedindo sua inclusão no programa”, conta Fernanda. 

Texto de Karin Franco, com reportagem de Jussara Harmuch