notícias

Irati tem estrutura preparada para iniciar vacinação contra a Covid-19

Cerca de 2800 pessoas devem ser vacinadas nesta primeira etapa em toda a região. Segundo critérios do Governo Federal, profissionais de saúde que estão na linha de frente no enfrentamento à doença serão os primeiros a serem vacinados

Governo do Estado iniciou neste sábado, 16, a distribuição dos insumos para aplicação das vacinas contra a Covid-19. Foto AEN

O município de Irati já tem estrutura pronta para iniciar a vacinação contra a Covid-19. De acordo com a prefeita em exercício, Ieda Waydzik (PV), o Centro de Operações Especiais e Fiscalização (COEF) e a Secretaria de Saúde, através do setor de epidemiologia, vêm fazendo reuniões constantes para organizar a logística de recebimento e aplicação da vacina. A aplicação das vacinas será feita na Unidade Sentinela, que está funcionando no Ginásio de Esportes Fortunato Colaço Vaz, no bairro Rio Bonito. A Secretaria Municipal de Saúde dispõe de seringas, agulhas e do material necessário para aplicação das doses, além de possuir geladeiras específicas para armazenamento das vacinas que devem chegar nos próximos dias. 

Considerando os grupos prioritários, o Paraná pretende vacinar 4.094.804 pessoas. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SESA), a vacinação ocorrerá de forma escalonada. A 4ª Regional de Saúde estima que, nesta primeira etapa, sejam vacinadas 2800 pessoas em toda a região, entre profissionais da saúde que estão na linha de frente no enfrentamento à Covid-19, idosos que residem em instituições de longa permanência, como asilos, e indígenas que vivam em aldeias. 

Transporte de insumos: A SESA iniciou na manhã de hoje, 16, o transporte de mais insumos que serão utilizados para aplicação das vacinas. Na segunda-feira, o material deve ser entregue de maneiraigualitária para todos os municípios da 4ª Regional, conforme relata o diretor da entidade, Walter Henrique Trevisan. 
A ideia é que tudo aconteça da melhor forma, que todos iniciem a campanha de preferência no mesmo dia e na mesma hora, para que isto seja igualitário para a toda a população. Este trabalho de logística vem sendo executado há dias, nesta organização das equipes das regionais com os municípios e o nível central, em Curitiba, com a SESA, através das equipes de imunização. Tudo está sendo feito da melhor forma possível.
No total, de acordo com o Plano Estadual de Imunização divulgado ontem, a região deve receber 70 caixas da vacina Coronavac, produzida pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, que serão entregues aos municípios assim que cheguem à 4ª Regional. Segundo Ieda, o governo do Estado ainda não definiu quantas doses serão enviadas para cada município. “Nós ainda não temos um número, o Estado do Paraná não definiu como vai ser o rateio das doses da vacina, então não temos como saber quantas virão para Irati”, pontuou.

Quer receber notícias locais?

A secretária municipal de saúde, Jussara Aparecida Kublinski Hassen, garante que todos os funcionários do setor estão capacitados para dar início à vacinação. “O município de Irati dispõe de equipe técnica capacitada e pronta para dar início à vacinação, assim que as doses chegarem ao nosso município”, frisou.

A responsabilidade pelo custeio das vacinas é exclusivamente do Governo Federal. Ieda relata que não haverá nenhuma contrapartida financeira do município. “Faz parte do SUS e do direito de as pessoas serem imunizadas. Não se tem notícia nem de que seja possível a venda de forma fragmentada. Eu tenho acompanhado o noticiário e visto que existem laboratórios, farmácias e institutos do país que querem comprar e importar vacinas e não estão conseguindo porque não existe aprovação e também nem estão disponíveis em outros países para pronta entrega. Nós temos que esperar que o governo nos forneça para que isto possa acontecer”, comentou.

Trevisan afirma que os profissionais de saúde que não forem vacinados nesta primeira remessa deverão receber as doses assim que uma nova entrega for realizada, enfatizando que é necessário também vacinar os idosos que estão nos asilos. “Precisamos ter, neste momento, um olhar humano e de entendimento entre todos nós, sabendo respeitar o nosso momento e a nossa hora de tomar a vacina. Não podemos ter falta de entendimento humano, mas sim temos que ter esta sensibilidade de olhar para o próximo e reconhecer aos nossos idosos o direito de se vacinarem porque são os mais acometidos pelas fatalidades, pelos óbitos”, comentou.

Segundo Ieda, a chegada da vacina traz a esperança de uma vacinação em massa para toda a população. Enquanto isto não ocorre, as equipes do COEF e da Secretaria de Saúde seguem estudando o comportamento do coronavírus e da população e a variação do número de casos para analisar se haverá necessidade de aplicação de medidas restritivas para controlar a doença. “A expectativa é de que o Brasil consiga trazer a vacina em maior número. Estas doses que estão chegando são as primeiras, às quais com certeza se seguirão outras para imunizar mais a população. Enquanto isto, estamos nos reunindo e observando o comportamento do vírus. Por enquanto, as medidas continuam as mesmas, mas isto não quer dizer que nós não tenhamos que, verificando os números, tomar outras providências”, afirmou.

A secretária Jussara reforça que a chegada das primeiras doses da vacina não significa que a pandemia chegou ao fim. Por isto, ela pede que a população mantenha as medidas de prevenção, como a lavagem constante das mãos com água e sabão, higienização com álcool gel e a utilização de máscaras, além da manutenção do distanciamento social. “As doses iniciais não serão suficientes, e a campanha irá se estender por todo o ano de 2021. Vamos sim, dando passos firmes e certeiros, rumo à vacinação em massa para toda a população. Por favor, se cuidem, pois este é o melhor remédio, se previnam”, solicitou a secretária. 

Apesar do anúncio do início da vacinação nos próximos dias pelo Governo Federal, Ieda pede calma aos iratienses, pois a campanha nacional deve demorar para atingir toda a população. “Quem define a ordem de vacinação é o Ministério da Saúde e não o município. Temos que seguir a orientação das autoridades de saúde nacionais e estaduais. Que as pessoas tenham tranquilidade, pois não haverá fura de fila, mesmo que haja comentários ou questões sendo colocadas em relação a algumas pessoas serem beneficiadas em outras cidades. Nós seremos muito rígidos com isto para que as prioridades e as categorias definidas pelo governo sejam respeitadas”, frisou.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) vai se reunir amanhã, 17, para decidir sobre o uso emergencial da vacina importada da Coronavac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac e pelo Instituto Butantan, e da vacina importada do laboratório Serum, da Índia, que produz o imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, pelo laboratório AstraZeneca e pela Fiocruz. O Governo Federal solicitou que seis milhões de doses da Coronavac sejam entregues pelo Butantan para que o Ministério da Saúde faça a distribuição para os estados.

Unidade Sentinela, instalada no Ginásio de Esportes Fortunato Colaço Vaz, no Rio Bonito, será utilizada para vacinação contra a Covid-19. Foto Paulo Henrique Sava