notícias

Câmara de Imbituva aprova contratação emergencial de profissionais de saúde

Médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, técnicos em radiologia, auxiliares de serviços gerais, motoristas e monitores da Covid serão contratados no regime PSS

Casas da Vila Zezo, em Imbituva. Foto: Geraldo Bubniak/AEN

A Câmara de Imbituva aprovou, em uma sessão extraordinária na segunda-feira (25), o projeto de lei que prevê a contratação emergencial de profissionais de saúde para tornar o atendimento mais rápido. Serão contratados pelo regime de Processo Seletivo Simplificado (PSS), seis médicos, nove enfermeiros, 18 técnicos de enfermagem, dois técnicos em radiologia, cinco auxiliares de serviços gerais, quatro motoristas e 15 monitores da Covid que irão acompanhar quem está com a doença. 

Para o presidente da Câmara, Elcio Galvão (PSC), essa medida ajudará no atendimento. “Eu acho que com isso vamos poder dar celeridade nos atendimentos de saúde em Imbituva. Realmente em Imbituva está difícil, a situação está precária, está difícil, mas precisamos achar uma saída”, relatou durante entrevista à Najuá na segunda-feira (25). De acordo com ele, o município está em condições financeiras para realizar a contratação. “A nossa prefeitura vem de uma saúde financeira boa, visto que veio de uma administração que prezava quanto ao dinheiro público e deixou uma grande quantidade de dinheiro em caixa. Isso que dá essa tranquilidade de fazer essa contratação e saber que não vai causar problema no município”, avalia Elcio. 

De acordo com o projeto de lei aprovado, as contratações dos profissionais de saúde serão realizadas por tempo determinado (seis meses) admitindo somente uma prorrogação de igual período. Ou seja, a contratação não pode ultrapassar o período de um ano.

Quer receber notícias locais? 

A esperança do município também está nas vacinas que chegaram na última semana. Foram quase 360 doses aplicadas em duas remessas. O presidente da Câmara disse que acredita que o número é suficiente para os profissionais de saúde, mas que é preciso mais para trazer mais segurança ao município. “Mas a gente entende que o número é insuficiente. Nós precisávamos, no mínimo, de 2 mil doses dessa vacina para um município que nem o nosso, que é 35 mil habitantes. Mas acredito que no decorrer do tempo as coisas vão melhorando, as coisas vão se acertando e vai aumentando esse número de doses”, disse. 

Imbituva é o município da 4ª Regional de Saúde de Irati com maior número de óbitos em virtude do coronavírus. Trinta e quatro pessoas já faleceram por complicações causadas pela infecção. Nesta quinta-feira (28), a secretaria de Saúde confirmou mais 20 casos da doença. No total, a cidade soma 1.555 diagnósticos de Covid-19 e 1.135 pacientes recuperados. 420 pessoas contaminadas estão em isolamento domiciliar e 14 internadas. 116 imbituvenses apresentaram síndrome gripal e estão em monitoramento. 

Imbituva tenta reabrir Hospital São João: O município de Imbituva tenta reabrir o Hospital São João de Santa Cruz. O hospital passou a não atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em 2012 por falta de repasses e acabou sendo fechado. Agora, autoridades buscam melhorar o atendimento da saúde pública municipal com a reabertura do hospital e contratação de mais profissionais da saúde.

O prefeito Celso Kubaski (Cidadania), que assumiu neste ano, está realizando reuniões com autoridades estaduais e federais para tentar reabrir o hospital. Segundo o presidente da Câmara, um dos próximos encontros deverá ser com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. “Desde que assumiu o mandato, ele já vem fazendo reuniões e buscando conversa com o secretário de Saúde do Estado, deputados federais e estaduais, para que realmente possa ser reaberto”, afirma Elcio. 

A preocupação da nova gestão é especialmente ligada ao atendimento dos pacientes com Covid-19. O atendimento está precário. Há apenas um médico plantonista dedicado para pacientes da doença no Pronto Atendimento de Imbituva e outro médico para as demais enfermidades. Pacientes que precisam de internação ou consultas especializadas precisam se deslocar para outros municípios, como em Irati.

Para o presidente da Câmara, a situação da saúde pública no município é difícil. “Esse hospital foi fechado em 2012. Ele foi descredenciado do SUS e de lá para cá o antigo prefeito não conseguiu reabrir. Os nossos atendimentos de internação e consultas de especialidades são todos feitos em Irati. Na nossa visão, acreditamos que até acaba sobrecarregando um pouco a Santa Casa de Irati, uma vez que temos estrutura, com hospital, com pronto socorro que é praticamente um hospital. Uma estrutura boa, uma estrutura com vários equipamentos, mas nós não podemos internar os nossos pacientes em Imbituva”, disse. 

Mesa Diretora da Câmara: Elcio também falou sobre a eleição da Mesa Diretora, que terá um mandato de dois anos. Além dele, a nova diretoria ainda é composta pelo vice-presidente, Pastor Edison (PSDB), a 1ª secretária, Duda Goebel (PP) e o 2ª secretário, Valmir Ribeiro (PSL).

A eleição foi com chapa única, sendo dez votos favoráveis e apenas uma abstenção. Para o presidente da Câmara, a nova diretoria traz uma composição diversa. “Resultado de muito diálogo, muita conversa com todos os vereadores, é o que a gente procura fazer e vai procurar fazer dentro da Câmara. Fizemos uma composição agora procurando os outros partidos, partidos de oposição”, disse. 

Ele também destacou a renovação de vereadores na Câmara. Apenas ele e o vereador Dirceu Camargo (PSD) já tiveram uma passagem no legislativo. Os demais estão em seu primeiro mandato. Segundo Elcio, os vereadores estão motivados e a nova Mesa Diretora deverá ajudar neste trabalho. “É o que a gente vai procurar fazer, uma gestão com muito respeito ao dinheiro público. Sabemos que em tudo que é cidade os vereadores são crucificados, então se você não tiver um respeito pelo dinheiro público, não tiver uma gestão eficiente, você acaba prejudicando o prefeito, acaba prejudicando município”, relata. 

O novo presidente da Câmara também estabeleceu o desafio de economizar no orçamento do Legislativo. No ano passado, a economia foi de R$ 900 mil, valor devolvido para a prefeitura. “O dinheiro é um só. O dinheiro é do município de Imbituva. Cabe a nós vereadores fazer uma gestão da parte que é repassada para a Câmara, uma gestão com responsabilidade. Tivemos uma devolução de R$ 900 mil, esse recurso voltou para o município como recurso livre e o prefeito pode aplicar em diversas áreas, aquelas que ele acha mais necessárias”, conta.

Agora, o objetivo de Elcio é economizar R$ 2,5 milhões nos dois anos que estiver no comando da Casa. “A economia se dá em todos os tipos de custo, desde uma conta de luz até viagens que eram feitas bastante no passado. Nós tivemos em Imbituva uma briga por baixar o custo das viagens, o custo das diárias dos vereadores. Cursos que os vereadores faziam que era gasto um valor, na minha consideração, um pouco alto e a gente vai tentar nessa linha cortar isso daí. Reduzir bastante, eu acredito que dá para fazer uma grande economia”, disse. 

Para atingir este objetivo, o presidente da Câmara disse que irá primeiro trabalhar a conscientização dos vereadores. Se não for eficiente, um projeto de lei poderá ser feito para baixar o valor das diárias. “Num primeiro momento, iremos fazer um trabalho de conscientização dos vereadores porque se os vereadores tiverem a consciência de que se não usar o dinheiro, ele vai deixar na Câmara e esse dinheiro vai voltar para benefício até na sua região de voto. Quanto mais dinheiro você economizar, mais o prefeito pode aplicar. Acho que precisa ter essa consciência. Num primeiro momento, vamos fazer esse trabalho de conscientização. Se a gente não conseguir, vai para uma lei baixando valores, reduzindo ou talvez até extinguindo”, explicou.