notícias

Associação de Moradores define nome de praça que será construída em Engenheiro Gutierrez

Praça Estação da Amizade foi a sugestão vencedora numa votação que reuniu 15 jurados de diferentes setores do bairro

Construtora Cathio está construindo a praça em Engenheiro Gutierrez. Foto: Construtora Cathio/Divulgação

A praça que está sendo construída no bairro Engenheiro Gutierrez, em Irati, será chamada de Estação da Amizade. O nome foi divulgado pela Associação de Moradores de Engenheiro Gutierrez (AMEG) que organizou uma votação entre os moradores para a escolha do nome.

Foram 28 sugestões de moradores enviadas para a diretoria, que organizou um comitê com 15 jurados, representando diversos setores do bairro. A primeira votação aconteceu on-line no dia 13 de novembro. Neste dia foram escolhidos três finalistas: Praça Contos e Encontro, Praça Cristo Rei e Praça Estação da Amizade.

No início de janeiro, foi realizada mais uma votação on-line onde por 13 votos, os jurados escolheram a sugestão de um garoto de 11 anos, chamado Natan. Para a diretoria, a escolha do nome Praça Estação da Amizade foi positiva. “Nós tivemos a ideia de fazer também uma homenagem à antiga ferrovia, que passa ali pertinho. Nós faremos uma miniestação ferroviária, onde as pessoas vão poder tirar foto”, conta a presidente da associação, Joelma Fedalto. O nome será encaminhado para a Câmara de Irati e para a Prefeitura para oficializar a escolha.

O vice-presidente, Jefferson Fedalto, destaca que a praça terá toda uma estrutura para os moradores. “A praça vai ter muitas coisas legais. Vamos ter alguns quiosques para o pessoal sentar, o pessoal compartilhar, conversar. Vamos ter playground para crianças, vai ter academia ao ar-livre, vai ter pista de caminhada, vai ser arborizado. Vai ser transformado o local”, explica. 

Quer receber notícias locais?

A presidente contou que o projeto nasceu na associação que buscava por um espaço de integração na comunidade. “Para trazer um local de encontro, de cultura, de lazer, esporte, um local onde as pessoas pudessem se encontrar e novamente se reconhecer’, disse. 

A praça está sendo construída pela Prefeitura de Irati, com recursos que somam R$ 250 mil, provenientes de emenda parlamentar da deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR). “Esse recurso veio em maio de 2019. Passou por um processo licitatório. A empresa que ganhou foi a empresa Cathio que está desempenhando os trabalhos e a praça está ficando muito linda. Agora em janeiro estão de férias, mas na semana que vem eles já retornam os trabalhos”, revelou a presidente. Ainda não há uma data para o término da obra, mas a expectativa é que ela possa ser inaugurada em março.

Assembleia de prestação de contas

Por causa da pandemia do coronavírus, a associação não conseguiu realizar a assembleia geral para a prestação de contas e nem conseguiu dar continuidade ao processo eleitoral. “Nesta ocasião que estamos vivendo uma pandemia, temos que obedecer aos decretos governamentais e obedecer ao isolamento social. Não tem como fazer uma assembleia geral, convocarmos uma assembleia geral e definirmos 15 pessoas para participarem. Isso não tem como fazer”, explica a presidente. 

Segundo Joelma, a associação possui aproximadamente R$ 16.500 em caixa, que deverão ser usados em reformas de melhorias na capela mortuária da associação. Os recursos também são usados para a manutenção.

Com a impossibilidade das assembleias, a diretoria tem divulgado a prestação em grupos de whatsApp dos moradores. A expectativa é que a assembleia possa ser realizada em abril. “Não pudemos fazer. Não tem como fazer agora. Nós temos que aguardar o melhor momento. Se isso for possível, lá no mês de abril, mais, seja um mês que fora quando estivermos com segurança nós faremos a assembleia que aprova a prestação de contas”, disse a presidente. 

Os recursos da associação são adquiridos através de contribuições voluntárias mensais, de R$ 5 por família, feitas pelos moradores. “É graças à contribuição voluntária de todas as famílias da comunidade. Não são todas, umas 320 famílias que contribuem. Isso é voluntário. Não é obrigatório. É R$ 5 mensais, por família. Nós temos o cobrador que vai na casa, ele arrecada essas contribuições e aí destinamos para a própria associação. Isso mantem o nosso trabalho porque de outra forma não teríamos como manter os projetos, e a própria capela que é da associação”, conta a presidente. 

Ela também destaca que os moradores podem atualizar os cadastros na associação, que mantém um sistema com informações dos moradores do bairro. Neste cadastro, os moradores também podem optar por querer ou não fazer a contribuição mensamente.

Outro processo que teve que ser adiado foram as eleições para a nova diretoria da associação. O processo aconteceria em julho do ano passado. “O processo tivemos que prorrogar devido à pandemia, devido aos decretos municipais que impedem de a gente fazer reuniões, fazer assembleias. Tivemos que prorrogar através do edital nº 2, de 19 de junho de 2020. A gente prorrogou o processo, bem como o mandato da gestão atual”, relata o vice-presidente da associação. 

Ainda não há uma previsão de data para a eleição. Contudo, o vice-presidente comenta que os que desejam concorrer com uma chapa, já podem se organizar. “Desde já convocar a comunidade, aqueles que tem interesse em participar da associação de moradores, que vão pensando, que vão se reunindo com os amigos. Podem montar a sua chapa para concorrer”, disse. 

A presidente contou que a atual diretoria ainda não chegou a conclusão se irá concorrer para a reeleição. Contudo, afirmou que a atual gestão conseguiu cumprir muitos propósitos que se dispôs como a realização de um plano diretor para o bairro, com metas aprovadas pelos moradores para serem cumpridas nos próximos anos. “Nós entramos com vários objetivos e já conseguimos concretizar muitos deles principalmente a atualização do estatuto, que era o mais importante e urgente, a atualização do cadastro dos associados, a organização da arrecadação dessas contribuições, da forma que acontecia, agora está tudo de uma forma diferente”, disse. 

Ela ainda ressaltou a importância dos moradores se organizarem em associações. “Se todas as comunidades se organizassem, através de uma associação de moradores, seria mais fácil para o próprio poder público trabalhar porque nós somos os olhos da comunidade. Nós sabemos, nos conhecemos a realidade, nós que estamos aqui e conhecemos esta casa. Então, sabemos quais são as dificuldades, quais são as necessidades’, contou. 

Joelma também se dispôs a auxiliar quem pretende montar uma associação. “As outras comunidades que quiserem saber do nosso trabalho, como que chegamos até aqui, pode nos procurar. Eu digo que é muito simples. É ter boa vontade, é chamar uma equipe que tenha amor pelo bairro e nós não conhecemos tudo, não sabemos tudo, mas temos que procurar as pessoas que conhecem, as pessoas que podem nos ajudar”, relata.

Obra deve ser concluída em 2021. Foto: Joelma Fedalto