Publicidade Topo

notícias

“Jamais vou acobertar sujeira debaixo do tapete e apoiar sem-vergonhice e safadeza”, afirma Bartoski

Durante discurso na Tribuna da Câmara, vereador lamentou o fato de não ter sido reeleito e diz respeitar a todos os iratienses

Nivaldo Bartoski (PSD) obteve 157 votos nas eleições deste ano e não conseguiu se reeleger. Foto: Assessoria Câmara

Em seu discurso na Tribuna da Câmara de Irati na terça-feira, 15, o vereador Nivaldo Bartoski (PSD) lamentou o fato de não ter sido reeleito para a legislatura 2021-2024. Ele desabafou, afirmando que entrou para a política com o objetivo de fazer seu trabalho de forma correta, sem “acobertar sujeira debaixo do tapete e apoiar sem-vergonhice e safadeza”.

Entrei na vida pública para fazer coisas certas e objetivas, mas jamais para acobertar sujeira debaixo do tapete, apoiar sem-vergonhices e safadezas que às vezes fazem. Quando vim à Tribuna, deu no que deu. Quem procura chifre em cabeça de cavalo tem que ouvir o que dá. Este nobre parlamentar não nasceu em berço de ouro, mas veio da pobreza. Hoje, se tenho algo, isto veio destes dedos tortos, ajudando a população a transformar com dignidade, sabedoria e relevância, este nosso município.

 Tucho como é conhecido obteve 157 votos nas eleições deste ano. A votação foi insuficiente para ele obter uma das dez vagas no legislativo. No pleito de 2016, ele havia sido eleito com 926 votos. Na época, Bartoski era filiado ao PSDB. 

Mesmo sem ter sido reeleito, o vereador diz ter esperança na política séria e de avanços sociais. Ele afirmou que respeita a todos os iratienses da mesma forma. "Aprendi a gostar do povo como o povo aprendeu a gostar deste parlamentar". 

Quer receber notícias locais?  

O vereador ressaltou que, ao longo dos últimos quatro anos, fez diversas viagens a Curitiba em busca de recursos para o município sem ter recebido diárias a que teria direito na Câmara. Durante a sessão, ele também solicitou a construção de uma travessia elevada em frente à Escola São Valdomiro, na localidade de Itapará. Esta reivindicação vem sendo debatida desde 2017, segundo o vereador. Ele justificou que o fluxo de veículos neste local é muito grande. "Em 2017, foi discutido que Itapará é distrito, como se fosse um bairro de uma cidade. Aquela via, que vai do mata-burro até a escola, tem um fluxo grande e mede quase 800 metros ou mais. Itapará ainda tem faxinal e não tem placa de sinalização. Eu tenho que dar assistência a todos e trazer as reivindicações. Todo ano, 2017, 2018 e 2019 é o mesmo problema, e a comunidade continua cobrando".

Bartoski reivindicou também a realização de obras na quadra de esportes da escola, que está deteriorada há quatro anos. "Recebi informações de que o serviço ia ser executado pela Fundepar. Aí, saiu a eleição e foram feitas muitas obras, e eu saio candidato pela comunidade. Mata-burro, buraco; travessia elevada, nada; quadra de esportes, caindo. Quantas comunidades Itapará abrange que têm alunos de sala de aula? Será que, desde 2017, pedimos com documentos e nada acontece? Sou eu quem executo? Que isto fique de exemplo que eu fiz o que pude".