Publicidade Topo

notícias

Hospital de Rio Azul volta ao atendimento normal

Atendimento foi normalizado após o resultado dos testes RT-PCR em funcionários serem negativos para coronavírus. Hospital estava atendendo apenas casos de urgência e emergência após nove funcionários terem resultado positivo em testes rápidos

Hospital São Francisco de Assis, em Rio Azul. Foto: Ronaldo Tyski

O hospital São Francisco de Assis, em Rio Azul, retomou o atendimento normal dos pacientes após os resultados dos testes de RT-PCR de nove funcionários derem negativos para coronavírus. 

O médico Ronaldo Tyski explica que haverá algumas condições nesta volta. “O nosso atendimento voltará à normalidade, dentro de algumas condições. Sempre evitando aglomeração, tentando agendar o horário para atendimento para evitar a contaminação e o contágio do Covid em toda a nossa população”, relata.

Na última semana, o hospital chegou a suspender as consultas eletivas e atender apenas em casos de urgência e emergência depois que os testes rápidos de nove funcionários apresentaram resultado positivo para o coronavírus. Os testes RT-PCR, mais confiáveis, foram feitos para confirmar o resultado, o que não aconteceu.

O médico conta que os testes rápidos continuarão a ajudar no monitoramento, mas ele ressaltou que devem buscar outros exames mais confiáveis para realizar entre os funcionários. “Esse teste é importante nós fazermos, nós vamos tentar algum teste que tenha maior confiança. Esse teste, nós acabamos ganhando da Fehospar, que é a Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado do Paraná. Alguns hospitais ganharam esses testes. Nós vamos procurar fazer algum outro teste, acho que vamos entrar em contato com a Santa Casa de Irati para ver qual teste eles estão fazendo, que eu acho que tem maior credibilidade”, disse Ronaldo. 

Quer receber notícias locais?

Durante o tempo que o hospital não teve atendimentos, uma empresa de Irati realizou a desinfecção do local. O custo do procedimento foi de R$ 750. 

Preparados para a volta, o médico ressaltou que é preciso que as pessoas façam o agendamento para as consultas. “Nós pedimos para toda a população de Irati e região, ligar para fazer o agendamento do horário. Claro que se chegar sem agendar, nós iremos tentar encaixar, mas para evitar de chegar aqui sem agendar a consulta, para não aglomerar pessoas e deixar bem frisado para a toda a população que quem chegar com sintomas respiratórios, suspeita de gripe, que seja de outro município, por favor não venha. Claro que se chegar com alguma emergência, com falta de ar, nós iremos atender, mas se for quadro leve não vai passar na triagem e tem que voltar para os municípios de origem”, afirma o médico.  

Ele também destacou que muitas pessoas desconfiam dos diagnósticos de Covid-19 e acabam procurando outros locais para realizar a consulta. Ronaldo alerta que os pacientes que receberem diagnóstico positivo precisam ficar isolados e evitar contato com outras pessoas, para não espalhar a doença. 

“Tem muitas pessoas que chegam, testam em Irati e em outros municípios e não confiam no diagnóstico, eles ficam duvidando. Ninguém quer a Covid. Eles acabam vindo aqui para ter uma segunda opinião. Não só aqui, mas eles consultam em Irati com outros médicos também. Mas a população tem que tomar muito cuidado. Em qualquer suspeita tem que ficar isolado. Tem que voltar aonde ela fez o exame inicial, tentar fazer o exame RT-PCR, que é feito pela saúde pública, que esse exame é mandado para o Lacen [Laboratório Central do Estado do Paraná] e os laboratórios conveniados”, explica. 

O médico também alerta para a realização de exames de forma particular. “Existem outros exames que é o PCR rápido, que é swab rápido, esse tem até um certo grau de confiabilidade, mas sempre tem o falso positivo. A população tem que tentar fazer justamente o RT-PCR pelo Lacen”, disse. 

Além do tipo de teste, outro item que tem que ser observado é quando o exame é feito. Ronaldo destaca que no caso do RT-PCR, o terceiro dia após a aparição dos primeiros sintomas é o ideal. “Se o paciente chega no primeiro ou segundo dia de sintoma respiratório, nós não coletamos exames. Nós isolamos e marcamos para o terceiro dia de sintoma, é onde tem a maior sensibilidade para dar positivo ou negativo”, conta. 

Sobre os testes rápidos, o médico explica que há menos confiabilidade e que ele é usado mais para monitoramento do que para a realização de diagnósticos. “Não é um exame para ser feito na população em geral. A população em geral tem acesso, em qualquer unidade de saúde, onde está sendo atendido os quadros respiratórios, vai ser coletado o RT-PCR. Então, a população não tem que se desesperar. Fica em casa, isolado, cuidar para não contaminar seus familiares, as outras pessoas próximas e fazer o exame RT-PCR”, aconselha. 

A orientação para a população de Rio Azul é que, aos primeiros sintomas de gripe ou problema respiratório, se procure atendimento na unidade sentinela que fica em frente ao hospital. O atendimento é das 8 às 22h. Nos horários que a unidade sentinela estiver fechada, o atendimento poderá ser feito no hospital.

É possível também agendar as consultas eletivas por telefone. Os números são (42) 3463-1212 ou (42) 3463-1260. 

Texto: Karin Franco, com reportagem de Rodrigo Zub e Jussara Harmuch